A minha Poesia em pps
Formatado por Zélia Nicolodi, Vitor Campos e Estrelinha d'Alva
(clicar na Imagem)

















Quero Alguém


O meu tecer de Esperanças!...


Já escalei a minha montanha!...


Amar-te-ei Sempre!...


Não te vás nunca!...


Não foi o ocaso


quarta-feira, fevereiro 28, 2007

 

As águas do mar!...






As águas do mar levam com elas
Os segredos das nossas vidas,
Podemos descansar, que ele não vai falar
Nem sequer aos peixes vai contar
O que acabamos de lhe relatar…

Porque o mar, é o mar que eu sempre soube amar…

Ele conhece os sonhos de muita gente
Pois tem quem vai falar com ele
Como fala com um amigo qualquer,
E dentro deles sentem e ouvem, a voz do mar
Do mar que os ouve desabafar…

Porque o mar, é o mar que eu sempre soube amar…

Sempre que por ele passo, aperto o passo
Tenho que parar, ficar a olhar a sua imensidão
Tenho que falar, e ouvir o que tem para me dizer,
Nunca posso esquecer, porque ele responde sempre
Quando me sento junto dele, ao amanhecer…

Porque o mar, é o mar que eu sempre soube amar…

Tem quem vive perto dele, em frente, até.
Tem quem o veja a trazer e a levar a maré.
Tem quem nem sinta algo dentro de si ao vê-lo.
Tem quem vê o mar como outra coisa qualquer.
Tem quem diz que nem gosta dele, sequer.

Porque o mar, é o mar que eu sempre soube amar…

Etiquetas:







Comments:
Lindas palavras sobre o mar. Sobre o nosso mar, o meu mar Algarvio tem isso tudo também. Por vezes inspira-me, outras põe-me nostálgico..Não podemos esquecer que muito do seu sal são lágrimas de Portugal...
(Já agora o que é cacusso grelhado?)

Bjs e até breve
SE DEUS QUISER



 
Cusco!..
Todo o nosso mar é lindo..e se forma e continuarão a ser as lágrimas de Portugal..
Por te cruzarmos, ó mar
Quantas lágrimas em (ti) (vão)?
Quantas noivas ficaram por casar
Para que fosses nosso, ó mar..

Cacusso é um peixe da lagoa em Angola.. Coisa boa moço. Esfrega-se com cebola quase esmagada, óleo de dendê, muito alho, piri piri à brava, sal.. depois grelha nas brasas. Pode acompanhar com pirão, farinha de mandioca, que é um petisco sem igual, mas apenas cozinhado por quem sabe..e eu sei graças, graças que enquanto estive lá aprendi a cozinhar com as senhoras de cor que lá onde eu ia, me ensinavam..à moda da terra mesmo..ehhhhh, e até breve se Deus Quiser sim, e beijinho de mim..



 
oohhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh.. eu ali no post de ontem a responder à laurinha e afinal já aqui está outra maravilha para comentar. O mar!!!!!!!! ó mar meu amigo que já um dia me quiseste engolir quando eu falava contigo...
Um dia perguntaram-me como era viver no silêncio. Eu respondi: mergulha no fundo do mar, abre os olhos e deixa-te estar. Sente a serenidade do melhor confidente que pode haver. O mar que tudo guarda, desde as histórias mais fascinantes até às almas dos corpos que para si tomou.. Tem duas faces: a bondosa e a enfurecida. Por isso tem mais afinidades com o ser humano do que julgamos; e quando pensamos que o conhecemos, puuftt, também nos prega uma pelas costas aii o malvado :)



 
Também gosto do mar. Agora a descrição do cacusso lembra os peixes que meu pai tempera e assa. Eita coisa boa.



 
Partilho contigo um poema de Sophia, Laurinha:

« De todos os cantos do mundo
amo com um amor mais forte e profundo
aquela praia abandonada e nua
onde me uni ao mar, ao vento e á lua. »

Beijo.



 
Alves.. Eta coisinha boa, mas vc tem e eu não, que aqui não tem desse peixinho ehhhhh. E que bom que seu pai faz também..culinária de Angola e Brasil, teem muita afinidade.. beijinho de mim..



 
Anjo, que linda poesia da Sofia de Melo Breiner, acho!! Lindo sim, e obrigada por escreveres coisas tão lindas, pa mim... jinho de mim..



 
o mar e sempre tão mar!



 
O assunto era o mar, mas também se discute receitas de peixe! Hehehe, me deu até ágüa na boca esse tal de cacusso na grelha...



 
Rafael Velazques..
Pois é, o mar é tudo para quem o ama, e nada para quem o detesta, como se fosse possível, detestar o mar..Mas comnheço quem não gosta dele..Eu amo-o muito, fez parte de minha juventudo em Angola..
Obrigada por vir cá..



 
Mestre Splinter, eu nem vou à sua casinha porque tenho medo de imcomodar esses jovens e a musica deles... Mas já que veio cá, e como não tem aparecido..moço, pensei que enjoou da laura ehhhhhh. beijinhos pois..



 
Olá Rafael, fui ao Buda verde e não deu para comentar.. Não sei porquê, mas tentarei de novo..O seu Brasil é triste sim, estive lá e vim triste também, mas não pense que as outras terras são alegres...a nossa nem é, de momento não.. O mal de todos é que não sabemos como deitar abaixo os governos e as pessoas corruptas e vamos consentindo até ficar tudo pior..aqui apesar de sermos muito pequeninos, ´+e o que se vê, falta de trabalho e faltando isso, falta tudo.. Ai é um País enorme, nem sei explicar aos meus amigos de cá..Estive em S. Paulo em belo horizonte, Brasilia e por aí fora na Goiania, mas..que distâncias....O povo fez-me ternura sim, mas a pobreza dói em todos os cantos do mundo. E sois mais alegres que nós, e optimistas, por natureza...Beijinho..



 
Mestre Splinter, também não consegui comentar naqueles Cds horrorosos ehhhhh..oa comentários não deixaram eu entrar..assim fico por aqui e mando beijos de mim..



 
O mar ... aquela imensidão ...
Olha-o, canta-o e não fiques triste
um dia ele te levará p'la mão
a terras d'onde um dia tu partiste.

Que belas imagens!
Eu sou um das que tenho o MAR quase à porta de casa e é cada vez mais raro ir até ele.
Mas se queres saber tenho bastantes saudades :-(
1 beijo



 
Ó poeta pascoalita..com que então também versejas e nem dizes nada..que lindo versinho mana... Tu só precisavas meter-te na tua bela carrinha e ir por ali nas calmas e fica lá em cima, onde a Côca e o béquinho me levaram, e que vista do mar, tão azul, ali na Ericeira, e ficas em casa..mete-te no autocarro..acho que dá.. Beijinho para ti..



 
Pascoalita..Um dia ele te levará pela mão, a terras d eonde partiste...Pois é, levará as minhas cinzas..só pode....



 
o teu post sobre as memórias da tua Luanda está bem melhor que o meu sobre Lourenço Marques. Com tanto tempo por aqui e ainda não sei como se coloca um video ou um estes slides que aqui tens.
bem eu também não me dedico muito a isto, como tal...

beijoca



 
Olá, obrigado pela informação sobre o cacusso! Cheira-me bem.
Quanto á tua pergunta sobre a localidade de Barreiras Brancas, conheço o sitio perfeitamente. É uma localidade á beira da estrada a uns dois, três km´s de Loulé. Outrora havia lá uns bailaricos onde eu costumava ir cuscar.. Se puder ajudar em algo mais pergunta.
Bjs e até breve
SE DEUS QUISER



 
Jotinha, é uma amiga que me põe a simagens, e cada vez me surpreende mais, pois eu deixo ao critério dela. Nem rpeciso pedir, escrevo e mal ela possa já tá lá qualquer cosia a ilustrar, e neste caso, ela deve ter tido uma trabalheira dos diabos para fazer isto.... Que bom que é ter amigos destes, e de longe e tudo....
Abraço pa ti jotinha.
O teu post sobre Lourenço marques está muito bem escrito, lindo e as imagens olha pede a um amigo que saiba, e devagarinho chegas lá...



 
Cusco, Inde bem que és cusco e apareceste no nosso cantinho, meu e da Pascoalita...
Se desse, se pudesses, mas, ao menos saber se ela está lá, era uma amiga a Fernanda, ou antes acho que era Maria fernanda Barreira Neto. ...sitio ou lugar Areias brancas.. Barreiras Brancas, Loulé.. assim mesmo, passados estes 35 anos que não a vejo, e lembro-me de ela me dizer sempre onde morava, e ela era a moça que falou comigo quando foi desse post dos tempos da minha adolescência..ela sabe da história toda ehhhhhh, era casada com um Filipe, e tinha uma menina na altura com uns 4 aninhos a Paulinha. A mãe dela viveu sempre lá e ela não sei se quando sairam de Luanda,se regressou à terra ou se foi pelo mundo... Claro que adoraria saber dela e abraçá-la...
Cusco, Obrigada pela ajuda e um jinho grande pelo jeitinho..



 
Olha quanto à questão da tua amiga lamento mas não consigo ajudar. Apesar de essa localidade ficar próxima da minha, actualmente é um local de passagem esporádico. Poderia até conhecer ou de nome ou até pessoalmente mas não é o caso.
Se tiveres mais alguns dados pode ser que se chegue lá. Fica em agenda…
Tentei na lista telefónica, mas também é vago, pois se esse ultimo nome (Neto) for do marido já não dá. Se o ultimo Neto é do pai então poderás chegar lá talvez, tentando os vários que se encontram na lista. E como é uma localidade pequena onde as pessoas se conhecem bem poderás ser bem sucedida ligando para algum deles. Encontrei 3 nomes terminados em Neto nessa localidade. Se achares útil posso dar-tos.
bjs



 
Eu amo o mar



 
Mar de angola... Nunca vi! Ouvi muito falar dele, mas nunca o vi.



 
Publicar um comentário



<< Home