A minha Poesia em pps
Formatado por Zélia Nicolodi, Vitor Campos e Estrelinha d'Alva
(clicar na Imagem)

















Quero Alguém


O meu tecer de Esperanças!...


Já escalei a minha montanha!...


Amar-te-ei Sempre!...


Não te vás nunca!...


Não foi o ocaso


sexta-feira, maio 29, 2009

 

Bom dia, meu amigo !...



Onde quer que estejas... É um BOM DIA que te desejo. É um Bom Dia com letras grandes. E, se pudesse, o teu nome escreveria nos meus cadernos todos, mas, só guardo a velha sebenta que já nos acompanhou nos tempos da meninice, e, naquele tempo não era como agora, que se escrevem bilhetes de amor, nas folhas dos cadernos do dia, se garatujam corações, se fazem riscos e rabiscos.

Enquanto, antes, sabíamos que tinhamos que estudar, que aprender a somar, subtrair, multiplicar. Agora aprendem a somar o preço dos ténis, a subtrair de tudo, menos na mesada que os pais têm de (obrigatóriamente, dar) e a multiplicar o amor, aquele amor inocente que, já nem é tão inocente assim... (ah, porque eles podem fazer de tudo, experimentar tudo, e a nós, a nós sim :) não nos deixam sequer um espaço para escrever-mos nas nossas sebentas já gastas, nos nossos cadernos tão usados, coçados, naquele tempo da mocidade, a nossa afeição, o nosso enorme desejo de trocar palavras que nunca trocamos, e sentir a amizade a que temos direito! Disse amizade, porque não poderá existir amor sem ver o teu rosto, sem sentir as tuas mãos nas minhas, de novo!...


Até parece que temos a stora Maria de plantão e de régua na mão, a espreitar através das janelas! Ah, como nos riamos dela, quando conseguiamos enganá-la e a viamos aparecer no pátio das traseiras, à nossa procura, onde já tinhamos dado os nosso inocentes beijinhos...E a escola era mista, apenas separados pelo andar de cima, os rapazes ficavam em cima, as meninas por baixo, ai, deixa lá que estou a referir-me apenas ao andar da escola...não vão pensar outra coisa de meninos de 7, 8 anitos...

Mas, podemos fazer como antes faziamos, cortamos por atalhos, vamos pela horta que mais parece um jardim, tem lá um banquinho secular, aquele banco onde já me sentei milhares de vezes à tua espera!... Mas, continuo a pensar que tens receio das reguadas que vais levar, e, decerto no último instante, mudas de caminho e deixas-me ali à beira rio, a contar as alfaces do senhor Mateus!...

Aquelas alfaces tão lindas que pareciam rir-se para nós, quando vinhamos da escola, e, com o resto da miudagem lá do bairro, arrancávamos as folhas maiores, deitavamo-nos no chão, à beira do poço, porque era enorme, e vinha até onde ficava a água baixinha, e, lavávamos as ditas, depois enchiamo-las de água, água pura, fresquinha, saída do ventre da terra mãe!...

E, claro que ao chegar a casa, a batas suja de terra, de verde, davam aso à raiva da dona elisa que jurava dar-me uma valente tareia, mas, eu queria lá saber, se, sabia que amanhã iria estar contigo no nosso banco a ver o rio a deslizar serenamente, e a beber pelas folhas de alface do poço do senhor Mateus, que, ainda lembro curvado, de enxada na mão, sobre a terra, e, penso que foi uma grande sacanice, estragarmos as alfaces dele, enfim, tempos idos que poderão ainda voltar ao nosso coração, não vá aparecer algum dos monstros que povoaram o nosso quotidiano... e, mal sabem eles que, nas horas dos deveres, escrevemos as mais lindas cartas de amor que alguma vez alguém escreveu... e que na hora da merenda as trocavamos, entre fatias de pão centeio, barrado sem nada, mas que nos sabiam a pão, ao pão do nosso amor, tão pobre e tão rico ao mesmo tempo!...
Tem um bom dia, meu amigo!...

(Um conto? uma realidade?)






Comments:
Cheguei..E claro este assunto é-me deveras agradável ..Os nossos tempos de escola..A lousa de réguas sempre bem esfregadas, a velha sebenta, ainda tenho ali duas,há tempo, numa daquelas lojas que ainda se encontram e onde á mistura se vende de tudo, encontri sebentas e não resisti..Dão-me geito para escrever pequebos pensamentos quando o pc não está por perto..O telm também é cunplice destes momentos ..A bata de branco imaculado..Namorados não tive na escola, bilhetes de amor não escrevi, mas fiz algumas patifarias próprias da idade e que na altura me alegraram muito..Brincava á cabra, ao eixo, á macaca, e lia, lia lia..Cantava e dançava sem parar se me deixassem..Mas confesso que não tenho o minimo de saudades desse tempo..Tenho saudades do pai e da presença e brincadeiras das e com as irmãs..Mas como quem vive de passado é museu, este é um tempo passado do qual guardo algumas boas recordações e outras tantas que é melhor esquecer..Beijinhos Laura.. É tão bom passar aqui e ler-te..Bom final de semana..



 
Estão muito bonitas estas tuas palavras de Bom Dia...beijinhos e um óptimo fim de semana.



 
Laurinha:
Conto, realidade, que importa? É um pedaço de prosa linda, com momentos muito ternos. O promenor do lenço dos namorados, foi um achado.
Minha flor de linho, como tu és sensível às pequenas coisas! Como falas delas com uma maneira só tua!
Beijinho



 
Ai que me esqueci de fazer o merecido elogio a esse lenço dos namorados , peça do nosso artesanato e mundialmente divulgada e conhecida..São tão bonitos esses lenços, Acho que vou fazer um camiseiro branco com motivos dos lenços dos namorados..Se j+a fiz um com os poemas de Pessoa porque não um com esses motivos popukares tão do meu agrado e que convém preservar..Beijinho..



 
Bom dia!....
(Aqui vai o lenço!...com quem fica o lenço?... e na roda feita de muita mão dada, sem poder olhar para trás, quando o lenço caía, alguem tinha de correr atrás de quem o deixara cair.)
Bem!...O certo é, que nem sempre se apanhava quem o deixara cair.
Quanta inocência ou ingenuidade,já começando a construir algo na ideia que ,por vezes pelas circunstâncias da vida se quebravam, com separações na infância, que ao longo da vida se vão repetindo, deixando as suas marcas.
Gostei destas referências
Bjs Laura



 
AH!...... Luis Vaz de Camões...grande mariola!
Nos teus punhos rendados quantos lencinhos guardaste, que dissimuladamente, as belas damas e donzelas da corte deixavam cair, com a esperança de recebe-los numa fugaz visita na calada da noite, auspiciando a ausência dos seus senhores maridos ou patronos, expelindo o amor impetuoso,que só ele sabia improvisar.
Provávelmente com imagem similar ao Gigante Adamastor, tal a sua grandeza.
Indesejável na côrte, com tanto amor para dar, ao mesmo tempo que se inspirava para os seus inolvidáveis poemas que nem apreciados eram nesse tempo.
Aqui me encontro eu fazendo comparações , mas sem a sorte do Luiz vaz
bjs Nina



 
Belas recordações ou bom sonho????

Um misto das duas...

Olha para o céu e vais ver como ele brilha, seja pela luz das estrelas ou pelo sol...

Beijokitas linda



 
tony. Não viu a postagem lá atrás, a cortejar a dama? fica calado? admite-se? é assim que se perdem os lenços.
anónimo.claro.



 
Laurinha. Era esta simplicidade que nos distinguia dos meninos actuais,eles hoje sabem mais do que nós em algumas coisas,mas deste amor puro e simples jamais vão saber,e o que ele representava na vida.Gostei de ler e é das coisas que jamais se esquecem.
Beijinho bfs (nina Lisa)



 
Se é verdade ou se saiu da tua imaginação, não tem importãncia, é bonito e permita-me saber um pouco como era a tua meninice que era um pouco diferente da minha.

Beijinhos

Verdinha



 
Laurinha? por onde andas ó mensageira do amor? Foste espalhar brasas plos diabinhos da cidade? ou foste ao famoso encontro que mais dia menos dia vai acontecer? queremos saber, queremos saber, queremos saber! Aparece menina das resteas, ou foste recordar ao poço do Lucas? Onde fica isso menina das resteas? é longe daí?
alguém que passa por aqui amiude, e segue o desenrolar das cenas desde o primeiro acto<<<<<<<<<<



 
este tony não vai ao sitio. rapaz, ou sim, ou sopas, mexe-te que eu sei de quem anda a apaparicar a rapariga...despacha-te, olha o tempo, olha os anos, olha os meses, olha os dias, olha as horas que os minutos já findaram, e cai o pano! depois choras baba e ranho. ahhhh tenho de ficar anónima senão levo na moleirinha.



 
Quem é o gajo?

Vim aqui mais para te desejar um bom fim-de-semana.



 
Laurinha,
passei para te deixar um beijinho e aos amigos e cá ...
Um dia destes eu falo...ou seja, esrevo.
Beijinhos com carinho



 
Pode muito bem ser um cadinho das tuas memórias. Portanto o conto de uma realidade que foi a tua no tempo de que te lembras. A tua procura do amor... desses tempos...

Beijinhos para ti nina das résteas daqui de longe da tua amiga Girassol.



 
Ai! Toni Toni!Como tu és importante,até para uma "anónima".
Ainda bem que é uma fêmea.
Como sou sacerdote do bem fazer,talvez esta anónima seja alguém, a quem já fiz a minha tarefa e agora preocupa-se comigo. Ou por infortunio seu, está a paixonada por mim.
É verdade! Os caminhos do amor são demasiado estreitos enquanto em certas mentes não abrirem auto -estradas.
Oh Toni! como a vida é dura Tens de contar com o Mafarro que está sempre à espreita.
Deus é Grande.
Pois , a anónima tem razão a Laura , está virada para o outo lado do Atlantico,isso só demonstra que quem quer amar não tem limites nem fronteiras.
Amai-vos uns aos outros,amar o próximo.São estas ladainhas que muitos decoram , mas quando chega a hora de o demonstrarem lá está o mafarro a alertar os perigos desta forma de amar.
Toni!nunca serás o único a sr crucificado, sofre em silêncio.
bjs Laura



 
Para resposta a pergunta que fazes no final: é o conto de uma realidade.

beijos e boa noite



 
Bicho de conta... tarde a más horas, vim da festarola na cidade...
namorados também não tive, isto é memso algo que tem e não tem coisas do meu passado, do meu presente e mete futurologia também..Haja sabedoria para ler e entender...
Nas minhas escolas, é evrdade,e sta de V V da Raia, a dos rapazes era no primeiro andar, a nossa no rés do chão... levavamos a comida num cabaz, quando e am batatas com bacalhau dava a quem gostava e..ia cheia de fome pra casa, magrinha que nem sei, e ainda apanhava para comer tudo, ehhh que riso...
Iamso de verão a pé, er alonge, tinhamos um autocarro já naquele tempo... e de regresso, mas que alegria, corriamos, apanhavamos solinho, estragavamos as alfaces do poço do Lucas, de um lado, o do mateus era mais perto de casa,faziamos covinhas e punhamos linhas de costura segura com duas pedrinhas nas covas dos lagartos , apanhavamo-los que era um regalo, depois fugiamos com medo deles, só visto...tive uma maravilhosa infância graças a Deus, mas, namorados não...apre...
Beijinhos nina e lembro sim as brincadeiras os jogos, enfim,e ra a nossa vida naquele momento..laura



 
Olá Paula, o Bom fim de semana começou hoje d etarde, rua, só voltei tarde, foi só acaba ro jantar que ficou adiantado, arrumar tudo e, ala que s efaz tarde, havia a feira Medieval, credo, tanta gente...tanta, que so queria sair dali, detesto multidões e andar apertada no meio de tanta gente..beijinhos..laura.

Maria, é conto, é realidade, é evrdadeiro, agora o que é e qual é ahhh, só eu sei...que historinha giraça e cheia de sentido para mim..Beijinhos doce Maria, com que então estiveram como o nosso Kim? ah, que regalo de rapaz...Beijinhos.



 
Quando se bebe por uma folha de alface e se come pão centeio barrado de nada, a vida sabe a fruta e o amor a cheiro de terra molhada.
Estou a sentir-te muito triste, Dolce!



 
Bicho de conta, quando andei a dar formação de Gestual numa escolda secundária, foi apenas uma apresentação, uma aula seguida de palestras,sobre a forma de viver das pessoas com dificuldades auditivas,... ofereceram-me um, muito lindo, tenho-o guardado, um dia tiro uma foto e coloco-o aqui, é um amor de artesanato da nossa terra...fiaará lindo o teu bordado..beijinhos. laura.



 
Olá jrom; realmente fizeste-me voltar atrás aos seis, sete anos, em Vila Verde da Raia, onde existe o poço do Mateus e do Lucas...e a minha escola, os caminhos lindos porque mal punhamos os pés na estrada, iamos pelos campos a correr e a saltar quais cabritos monteses...tenho boas recordações de lá, recordo os meninos e meninas que comigo brincaram, nem todos, pois os rostos também se diluem com o tempo. Tinhamos o açude, aquilo ficava na fronteira com Espanha, onde o rio separava, muito bonito...
Lembro a rodinha e todos virados para a frente, um corria por trás, fora da roda, e, deixava cair o lenço e o outro apanhava, seguia, fazia a mesma, enfim, jogos inocentes...
Tudo me leva ao momento das lembranças..Um beijinho. laura.

Ai Tony, andas muito poeta hoje... Camões também andou para se afogar, mas, os poemas eram tão belos que; Deus nem deixou que se perdessem...E hoje, como ontem, são a prova mais certa do que ele escreveu, naquele tempo já se declamava poesia, e poetas, sempre os houve!...Imcompreendidos (ai laurinha como és tão incompreendida, ahhhh)porque para ser poeta ou poetisa, é preciso ter um DOM, Dom que muitos que escrevem, pensam que têm, mas, ao ler..se vê se tem se não tem o jeito, porque a dor sente-se na alma, o sofrimento que sinto, os momentos que passo,momentos de pura paixão, pura magia, sóssabe quem tem igual Dom... mau grado dali a nada já nem os lembre, mas, naqueles momentos sim, é doloroso sentir e escrever de seguida...Só quem sabe. Tenho uma bela capacidade, graças a Deus! Consigo desligar-me da dor, senão não fazia outra coisa, por isso os meus dias tristes e logo de seguida rio que nem uma tola, como hoje que passei o dia quase todo, o dia não, só a tarde e a noite, na rua...
Fui ter com uma amiga, a Getta, chamamos o café de espelunca, tem outro nome, pouca gente, adoramos estar ali no canto, tanto me ri, falei dos meus amores do passado, ela, idem, bebemos um sumo, para a próxima já lhe disse que sai um fino, para as grossas (nós que somos gordinhas)gosto muito de um fininho...enfim, como já tinha deixado tudo orientado, vim a casa para acaba ro jantar, acabando, fui com a neide e o telmo à festa Romana, e quando os bombos passaram, não contive as lágrimas por poder ouvir como nunca, de longe, tão bem, tão lindo, tapei o rosto e chorei, solucei, mas que magia nestes momentos tão belos...e, agradeci ao Pai, por mais está graça concedida , ao fim de tanto tempo...
Ah, tony, daqui nada conto-te a vida toda, xiça, devagar, devagar...Um beijinho, tem uma boa noite e amanhã um bom dia..enfim..laura.



 
Olá parisiense, que inveja tenho de ti no dia de amanhã, ou seja, daqui a hora slá vais tu parar na terra da minha querida girassol, quem me dera ir enfiada na alcofa das merendas (chegava lá com peso a mais, decerto...)com tanta coisa boa que levam, a começar por chouriços, salpicões...coisinhas boas, ai nina girassol que saudade me dá, só que a nina parisiense mora muito para lá do porto e é longe na mesma..Beijinhos nina, diverte-te, eu farei por isso, já tenho uma festa com um grupo coral, seguido de jantar, a Anita convidou-me, vou ter com ela pelas 19, e quando acabar vimos juntas para casa,mais vale assim do que ficar aqui a olhar pró pc...
Beijinhos e tem um dia bom..laura



 
anónimo, já me parecem anónimos a mais, mas, como é engraçado o toque, enfim...vamos lá a dobrar a lingua...laura..

Nina agulheta, é evrdade, o tempo dos bancos da escola, naquele tempo, era delicioso, como o é agora para os ninos que entram nelas, mas, parece que tiramos mais sabedoria e alegria dali, do que eles..beijinhos. laura.



 
Je vois la vie en vert...na verdade a maior parte, excluindo o namoro e os beijos, era assim mesmo, foi uma historia para ser história, com remendos de mim...mas, o poço do Lucas e o do Mateus, o correr pelos campos, apanhar lagartos bicharada, é tudo verdade... adorei, mas,aquela terra trás-me a lembrança que foi ali que deixei de ouvir...é em Vila Verde da Raia, na fronteira com Espanha e ali aprendi a hablar Espanhol, coisa que fui esquecendo,deixando de ouvir, mas ler, leio e escrevo mais ou menos...Beijinhos..laura.



 
anónimo, ai a curiosidade comeu a lingua do gato...
Fui arejar, passei a manhã a limpar la casita, a por a cozinha em ordem, roupas, tudo, fiz tudo, deixei o jantar na geleira num tabuleiro pronto a ir ao forno, e, ala que se faz tarde, para os copos, percorri a cidade, e..aqui estou..laura. por acaso andas no Teatro? é que falaste desde o primeiro acto, enfim..não entendi nadinha..



 
anónima? ahhh, será que tens moleirinha memso? Duvido, ams que disparates andas a dizer ó rapariga, credo..abrenúncio..xi, mas que coisas dizes...ao menos diz quem és, ahhhh, desconfio, mas,sem saber nem te acuso..



 
Carlitos; qual gajo? qual deles, andama qui mais d emeia dúzia deles, ah, os anónimos e as anónimas? olha que não sei, ehhhh... Beijinhos e bom fim de semana para ti também..laura.

Minha querida Lisa, nemt enho dito nada, ams não quer dizer que não te lembro, lembro porque hoje, de novo, fui lá acima, entrei na Igreja e,e stive a falar com jesus e Sua Mãe, claro que é por vós que peço primeiro, tão grave se me afigura o que estais a passar...
beijinhos e a ver se consigo ir ao teu blogue agora, já estou cheia de sono, andei na rua muiats horas e cheguei há pouco, mas, feliz porque andei muito e já me dizem que emagreci...enfim, ams que bom..abraços ao bruno e à tua filhota querida, laura..



 
Tal e qual nina girassol, aminha incansavel procura do amor, aquele amor que todos me dizem que não existe, mas, eu bato o pé a todos e a todos digo que estão enganados, enfim..ou nãos abem amar, ou não querem aprender a viver em amor...seja lá o que for, acabei a hstórinha e achei-a linda, pois tem prenuncios do passado, presente e futuro, para quem souber ler..Beijinhos.



 
Ehhh jrom; apre, que confusão prá qui vai, o tony não se cruxificará por causa de uns ciumezitos baratos, a laura apenas mostrou como os Poetas se encontram do outro lado do mundo, nada há de amor ali, apenas curiosidade, palavras lindas que nem todos sabem escrever, e, muita vaidade por ler que...até a idade dele seria a que eu quisesse, xi, os latinos sabem amar!...o tony é que sabe o que tem de sentir...mas, ele dirá algo ahhh desconfio que ele é todo prá frente e nem se vai ralar com isso...
Beijinho, tou com uma soneira que nem te digo..laura..



 
Pitanguinha, é, mas não de todo, há o que sobra e o que se espera e o que há-de vir, enfim...Beijinhos.



 
Querido Kim, na verdade hoje resolvi endireitar o juizo, meter na cabeça que gosto mais da nina das resteas como era antes, antes da confusão começar a aumentar, no meu pensamento a trabalhar desalmadamente, e,senti que não merecia estar a viver nesta ansiedade maluca, pois a vida não tem sido fácil e assim...vou recomeçar e por isso passei a tarde toda na rua, a noite ainda mais na rua,amanhã saio de manhã, volto para fzer o almoço só para os velhotes, de tarde tenho uma festa com coro no aniversário d eum lar em Braga, janto lá e só regresso às tantas, porque quero vir pela cidade e ouvir os bombos de novo.... ouvi os bombos à pouco a bombar ainda de longe, e , chorei agradecida por poder ouvi-los, é a primeira vez que os ouço como gosto, adorei,aquilo mexe comigo, faz-me vibrar os sentidos e nem fico parada, não consigo..a Neide abraçou-me, fez miminhos, mas, entendeu o que eu senti, (lembras-te daquele abraço que me deste em espinho? quando eu disse que não tinha abraços em casa? pois foi,sempre ali sempre só, foi isso...o que não entendeu foi que as minhas lágrimas eram por algo mais do que bombos a tocar, mas, conhecendo-me como me conheço, isto passa meu amigo, tem de passar, como sempre.beijinhos e nana bem...laura.



 
Laura

Nem sei se a estas horas é bom dia ou boa noite.
Foi quando "desalaparam", que para eles nem sei se lhe chamam jantar tardio ou ceia, se pequeno almoço antes do tempo.
Os "velhos" que aguentem ...
Mas foi quando consegui chegar.
Esqueci-me dos tempos de escola.
Nem sei se andei na escola.
Tive um verdugo que chamavam de prof. Salvado.
Em pleno Verão, com mais de 30º íamos de gabardina para a escola.
Naquele tempo não havia calças, eram calções e o energúmeno batia-nos nas pernas nuas com uma cana da índia ou lá que diabo era.
Era de tal maneira que até o meu pai se insurgiu contra ele ...
Mas enfim.
A escola era metade masculina, metade feminina.
Só na 3ª ou 4ª classe é que se olhava para o sexo contrário.
Só olhar, porque não havia maneira de se deitar a mão, quanto mais ... sim, um beijo.
Treinava-se em casa com a empregada que nos deu as primeiras lições de vida.
De resto eram as brincadeiras habituais do berlinde, pião e ... não à cabra cega brincava com as primas ...
O que se aprendia à nossa custa.
Só me ficaram na recordação as coisas fundamentais.
Não havia namorados, nem namoradas, só de nome, porque nem sabíamos como beijar "os nossos grandes amores".
O meu primeiro foi uma chinesa.
Sim, já havia pelo menos um chinês em Castelo Branco, em 1954/1955, com negócio montado e que vendia mais barato.

Os lenços ... são mesmo para "cuando as pombas vuarem".

Se no nosso tempo exigíamos roupas de marca ... eram no chinês ou na feira, que não havia marca que nos marcasse.
Só vesti calças para um casamento, aos 13 anos.
Duraram 8 dias, pois o fato era de "fioco", aquele tecido que nem os dicionários mencionam, tal era a fraca qualidade.
Mas agora há de tudo.
Só é necessário a "nota" dos "velhos" e tudo se transforma.
Estudar?
Estuda-se depois! (felizmente que nem todos).
A amizade é isso mesmo, não só a afeição, mas o ir e vir das marés, o nascer e desaparecer do sol, a palavra que se vê e se sente mesmo sem contacto.
O amor de se sentir livre ou apegado a algo, mesmo que esse algo seja mesmo o amor.

Por isso, BOM DIA AMIGA LAURA!!!



 
Minha querida Laurinha:

Permita-me que a trate assim,pois já há muito tempo que a admiro e hoje não resisti e soltouse-me a coragem e vim falar-lhe espero que me permita.Eu dou alguns erros a escreber mas como vi o lenço também com muitos então perdi a bergonha e aqui estou abrir-lhe o meu coração.Desculpe mas o tal Toni deixa-me roidinho de ciumes e depois parece que nunca mais sai do sítio.eu sou mais abentureiro e num gosto de empatar.num sou poeta como o camões mas também sei fazer versos embora mais simples.Chamo-me Humberto mas todos me tratam por chiclete os meus amigos a minha mãe chama-me Berto e era assim que eu gostava que a minha Laurinha me trataçe...dediquei-lhe um pequeno poema simples como eu mas muito apaixonado...

Laurinha do meu coração
Bamos fazer amor
Perdidinhos de paixão
Hoje que está calor...

Escolhi um galinheiro
p'ra nos podermos amar
O meu amor vai gostar
E depois...depois
só nos bamos beijar...
beijar...beijar...beijar...
Até nos faltar o ar....

Espero que goste meu malmequer.eu sei que o tal Toni fazia melhor mas,eu só dou aquilo que tenho.Uma quintinha com muitos animais.não tenho um banco antigo mas tenho banquinhos em casa e muito amor.Ah, e a minha mãe faz boroa quentinha todos os dias e tenho uma irmã que anda na horta e tenho alfaces muitas e pode sempre beber água fresquinha e a minha mãe tem muitos lensinhos e eu pesso-lhe pa ela bordar um muito bonito po meu malmequer e pronto por hoje eu já disse o que a minha alma sente.~
não fumo nem bebo só mastigo muita chiclete é por isso o nome mas eu sou Berto...

Com muito amor e paixão para o meu malmequer

do teu Berto



 
Olá Nininha:FOOOOGO!!!Eu já não percebo nada disto?!Afinal quantos apaixonados tens?Eu já misturo o JROM com o TONI, o TONI com o Berto e eu,euzinha? Ó faxavor...eu vou mas é apresentar-me:
Licençinha...Sou Maria Soledade tenho..anos, sou morena, cabelo curto, pescoço de perú(mal do tempo),nariz de penca,dentes metade meus e a outra metade meus porque os paguei,magrela p'ra cima e gordinha de pernas(vá lá!),boazinha que chegue e mázinha quanto baste...ora as apresentações ´tão feitas agora chovam lá os candidatos hehehe...

:::::::::::::::::::::::::::::::::::
Muito a sério agora Laurinha:O amor anda aí,ou por aqui, só sei que anda no ar. Façam lá o favor de se encontrar no banco secular,atrás do choupal, no meio das alfaces tanto faz...mas aproveitem o tempo senão ele foge e muito depressa, e depois?Bom, eu estou a falar do Toni porque o Berto(ele que me desculpe)não me parece fazer o género da minha Laurinha...Não é meu hábito desprezar ninguém mas, por favor...fazer amor num galinheiro?!!!E já agora que a Laura falou da escola, dos velhos tempos,aconselho-o pegar num caderninho de vocabulário(antigo)e estudar umas palavritas...vai ver que para a próxima não dá tantos erros, isto se quer realmente competir com o Toni e o Jrom(!)desculpa Laura é que parecem dois em um e isso está a baralhar-me...

Ai as réguadas...levei tantas!Não por ser má aluna, mas, porque tinha a panca de partir as lousas de ardósia na cabeça dos miúdos...enfim, não sei porquê aquilo dava-me gozo e eu picava-os de propósito para me poder vingar assim, mas,era só aos meninos!!As meninas eram intocáveis.Isto em pequenita na 1ª,2ªclasse depois até fiquei morcona demais...É a crueldade das crianças talvez, não consigo dar uma explicação racional mas que eu era mal acabada lá isso era...Bom, deve ter sido erro de fabrico hehehe...mas, já passou...

Bom, minha querida, a saga vai continuar e com esta pica toda desconfio que para durar...

Beijinhos Grandes



 
Xistosa, imagino-te de batinha branca, e os calções que deixavam ver as marcas do castigo do Prof Salvado, o homem nem salvava, dava canada... A minha Madrinha Albertina, que Deus a tenha, quando eu ia para a casa dela, ela era mana da minha mãe, Professora na Venda Nova ao pé dos Pisões, arre, a mulher era má cumás cobras, apesar de eu ser inteligente, o meu mal era falar na aula, cala-te, e, pimba, uma canada na cabeça, e se fosse preciso, outra e mais outra... mas na cabeça, Senhor!... eu acabava por acha ro abuso, demais, por ser familia, pegava na pasta e ia pra casa, logo em frente da escola... réguadas levei algumas, às vezes era em fila Indiana, e eu muitas vezes mal sabia porque apanhavamos, elas depois lá me dizam..depois de ter as mãos a arder, ou só uma...Minha nossa, que estupidez, mas, agora estão proibidos de bater nos alunos, e pelos vistos parece que o feitiço se virou contra o feiticeiro... só que nas pessoas erradas, por vezes.

Não tenho bem a certeza do tecido das calças, mas, devia afzer-te suar a estopinhas, pois o meu tio Acácio, já ido também, tinha uma loja de tudo um pouco, e, ainda há anos havia lá tecidos que nem lembram ao diabo, duros que nem mortalha, mas, era o que s epodia ter..
Não namoraste naquela idade, mas, acredito que mais tarde devias ter sido fresquinho..pela tua forma de falar, bem me parece...mas foste logo perder os olhos por outros olhos em bico, enfim, gostos nem se discutem...
Obrigada pelo enorme carinho com que sempre me distinguista, obrigada do fundo do coração..adoro ler-te e lembro-me que me deste a dica naquela poesia, o meu tecer de esperança, naquelas palavras para por umas e tirar outras, e, sim, saiu muito mais nito..Um beijinho e tem um dia bom...e, quando vieres cá, porque vens muitas vezes, avisa-me e podemos tomar um cafézito por aqui pertinho..mail'a esposa, se ela quiser, claro...ó que seca aturar a laurinha..



 
Ó balha-me o Santo Ingrácio, estou a rir, não imagino quem sejas, podes ser um amigo, amiga do blogue que estás a levar isto no gozo, eu acho bem, mas, não me baralhem mais...amar só posso amar um..nunca fui de andar aos beijos a meia dúzia duma vez, cumó nosso zezito do canito, esse até comprou umas sabrinas iguaizinhas para duas namoradas que...viviam no mesmo prédio...o rapaz era ou devia ser campeão na arte de amar, seduzir...

mas, ó ciclete, leva muito tempo a pronunciar e quanto menos palavras houver, melhor...Bem, se tens uma casinha, ah, como adoraria morar numa casinha, mas, já estás a meter uma sogrinha pelo meio? e se nem nos dermos...no galinheiro? ó homi, tu tás tolo, achas-me com cara de garnizé? além disso nem ponho ovos, credo, ai já não concordo, quero viver sozinha com o meu amor, o tempo já é tão pouco que nem vai dar para tanto amor que tenho para explanar, ahhhhhh, bolas, já nem sei que te diga, rapaz, velhote? ah, desconfia semrpe laurinha que nem metade do que dizem é evrdade, agora levas-me prá quinta, e na sexta venho eu d emalas aviadas, nanja eu...esses negócios são tratados só com euzinha, ah, julgas que a sagitariana que é fogo, se deixa meter num ninho de galinhas? Nem penses, eu quero amar à luz da lua, e não só!...que à luz do dia também é bonito, e não quero nenhuma galinha rançosa a sacudir as penas dela pra cima do meu capote!...nem os pintos dela, credo...a laurinha sempre foi senhora que se preze e, nunca andou a cacarejar em ninho alheio...mas, deste-me para rir logo de manhãzinha...obrigada pelo carinho, sejas lá quem fores..laura..



 
Maria da Soledade, ah, como me faz saudade quando te leio, e como me lembro de ti vezes sem conta, ou seja, não há um diazinho que não esteja sno meu pensamento, mais a Neidinha...

És um amor, ora, apresenta-te pois, fazes cá um retrato, mas, quem te quiser ver como és, linda de morrer, deixa de te botar abaixo, que vá ao blogue da soledade, que, até tem lá um post para mim, em poema, mas que lindo e que surpresas as minhas ninas me fazem..isto fez-me lembrar o nosso Osvaldo que nunca mais disse nadica...ma sme dedicou aquele post com a estátua da NINA, embora eu lhe tenha dito que; eu, dava 3 daquela, sem tirar nem por...

Enfim, nina soledade, o jerom, é so mais um amigo, o único apaixonado é o tony, bem, digo que parece apaixonado porque só fala no camões e não fala de amor ahhhhhh, mas, calhar é Poeta e..ainda havemos de falar em verso...daqui nada chegamos lá..ou, o mais certo é o rapaz desaparecer, tão chateado há-de ficar, por vezes...

Apre, eras fresca que nem as alfaces do Lucas...era preciso partir a loiça, digo a louça, na cabeça dos meninos? (o que me estou a rir, bendita sejas rapariga, que, tens o DOm de me fazer rir quando a minha alma chora)mas deve ser por isso que aqui na terra, existem tantas cabeças malucas,, enfim, a partir de agora, quando vir algum desses, vou lembrar-me de que; pode ter sido vitima de alguma lousada mal dada da maria Soledade... Nossa Senhora, o manel foi ao pão e nem me vê rir desalmadamente..
Bem, minha querida, vou para a rua a ver se o António se lembra de mandar alguma sms, e decide alegrar o meu dia...soubesse ele a quantas ando, soubesses tu a mesma coisa, mas, resolvi que vou dar a volta a tudo e, sozinhas acho que estamos melhor...já não provocamos mau estar nalguns lados... calhar ainda vou estudar a hipótese do chiclete, porque, esse,segundo ele, vive so com a mãe, e de uma sogra cuidamos nós, agora do resto!...
Beijinhos e Deus te pague por alegrares o meu dia, e, posso saber se aquilo eram lá horas de estar de plantão? adorutu. laura.. eu dia 6 devo ir ao Porto ao lançamento do livro do rafeirito...é num shoping conhecido, devo ir com uma amiga, se quisesses aparecer por lá, davamos à trela um cadinho, ou, moras longe dali? mas, sinto que quero estar só contigo quando nos conhecermos, porque duas amigas assim, precisam d eprivacidade para falar, adoro ter privacidade nos meus assuntos...na minha vida, e, tenho-a...o manel tinha a mania de se meter a afzer de conta, mas, foi tiro e queda, a vida é de cada um, e, cada um sabe de si, não devo satisfações a ninguém, nem sendo meu marido perante a Lei!... desde pequena que tento viver assim, à minha maneira, já tive desaires por causa disso, cenas de ciume doentio, mas, marimbo-me para isso...assim, o noso encontro deverá ser a sós, para falarmos de tudo, coisa que, com 3º nunca poderiamos...mais beijinhos e tem um dia bom...laura..



 
Ah, chiclete, tens razão, eu sou o teu malmequer, ahhhhhhhh..acertaste sem te dar conta, porque há os Bem me quer, e tu, sem te dares conta, foste logo buscar o mal e assim...ahhhhh...



 
Oi Laura!Bom dia!
Quem me dera saber fazer a tua poesia.
Maus dias todos temos, é necessário é dar a volta por cima.
Virei-me para o Toni,porque alguém se meteu com o coitado e não é justo.
Os anónimos são muito chatos e por defeito, normalmente servem-se do anonimato para resolverem as suas próprias frustrações.
Não estás a ver este Toni?
Ao menos estende-lhe a mãozinha.
É claro que quando se estica o braço para a América latina, lá fica Coimbra debaixo do sovaco.
Azar ,coitado!
Também te chamaram "mensageira do amor".Acho que essa foi justa.
Eu tenho receio é da outra energia.
Sabes, a oposta!
Bom Fim de Semana
Beijinhos Laura



 
Olá jrom; ahhh, o tony é virtual, o tony verdadeiro nem sei quem é, viro-me para ele? mas quem é ele?...se ele quiser marcar encontro comigo, (ahh que cabrinha dirão alguns!) se viver na China; Lógico que nunca daria,se viver aqui perto, aqui longe?...porque não, e claro que seria num jardim, é assim...se antes eram outros a querer comandar o barco, o barco onde eu ia naufragar, claro... no que respeita ao amor, pelos vistos, enganei-me, mas, isso foi por não saber ler a carta dos mares...é algo que já se deve aprender quando se vai meter numa embrulhada dessas tão ilógica quanto o amor...Se o Tony quiser falar, porque nada se resolve sem falar,sem se olhar nos olhos, aquela tal da quimica de que tanto falam..imagina que ele era um cota do caraças, sem maneiras, desdentado a babar-se, como disse a parisiense e a africana ontem, nos emails que trocamos, ahhh, amanhã se der, posto sobre isso porque me ri demais, demais..., que agora vou ter com as minhas ninas, o gasoleo acabou, e, vou a pé, levo hora e meia a chegar lá, mas, o almoço serve o que há na geleira, se o patrão não paga o gasóleo, a empregada faz greve e vai a pé, bronzeia-se, ouve os Bombos se tiver sorte,e, alguns piropos também, que agora ouço-os falar e leio nas bocas que mandam...ehhh sabe bem,d epois de cota... e, vem regalada e morenaça para casa...

jrom...diz lá quem é o homem se o conheces, tá certo que não sou nenhuma flor viçosa, mas, sempre sou a laurinha ehhhhhh (ai tony se me estás a ler deves tar admirado ehhh) alinho, na boa, na de falar, falar e falar, até posso mandar as aulas nesse dia, às urtigas, ahhhhh, e que bem me ia saber, já que; adoro a terapeuta, mas, detesto as aulas daqueles sons infinitos sem retorno, por agora...Só que...a partir de agora seria algo nem imaginado por mim, e, assim...veremos, será que conheces o tony deste mundo da blogosfera? eu desconfio, desconfio, mas, com as lições que já levei da vida, nada mais posso fazer senão desconfiar.Além disso o tony não tem net em casa, segundo ele, mas, há mundo virtual na rua e podem-se abrir quantos emails se quiser...e as sms que me enviava, esgotaram-se, coitado, deve ser pobre como a mim e nem tem saldo, ehhh...só que eu tenho um Anjo que de repente, me carrega o telelé, e...
Sério, o tony por enquanto anda na retaguarda e isso faço-o eu também...
De que energias falas, as más, as dos lados? daqui e dali? se formos a ouvir tudo o que dizem ou tudo o que falam, ficavamos gagos de tanto ouvir.. mas, quem manda na nossa vida? pô, eu já me deixei disso há anos...
Beijinho e, vou vestir os calções, a inha tunica, sapatilhas confortáveis, e, fazer-me à estrada...laura.



 
Bom dia doce Laurinha...

Hoje talvez conheça o Roderick. Vamos lá ver se consigo passar na exposição da Ana.

Beijinhos grandes de Amor e Luz!



 
Laurinha:
Que se passa contigo?
Tu fazes o possivel para difarçar, mas há qualquer coisa que me faz desconfiar que não estás bem.
Quero de volta a minha flor de linho, alegre e optimista.
Vá lá nina. Vai passear, ouvir os bombos, espanta esse véu de melancolia para longe.
Eu estou aqui, sempre para ti.
Tens o meu Email. Se quizeres, desabafa.
Beijinho, amiga querida.



 
Meu malmequer como estou feliz e só por me dares respostinha e logo de manhazinha!Tu acordas com as galinhas?Que bom! Eu acordo com o Giserdo o meu galo que canta cócarócócó por volta das seis da manhã.Eu ordenho a Tonha a baca cá de casa e ós despois vou dar de comer ao Poçinhas o meu porco pra engordar pra matança a seguir levo a Pileca a minha mula a passear no campo pra comer erba fresquinha.Hoje bou fazer paozinho fresco ai quem me dera que aqui estivesses minha flor.Se não queres fazer amor no galinheiro é que eu acho que ias gostar eu levo-te pra beirinha do fogo na cozinha e assim bamos comendo uns enchidos que a minha mãe enche e que bons!
Eu sou um homi do campo mas sou bonito de olho azul e tenho bom coração.Já falei cum a minha mãezinha sobre o meu malmequer e ela disse-me filho Berto podes trazer a flor para a quintinha assim ficamos com mais uma maozinha pra ordenhar a Tonha ou passear a Pileca pelos campos...
Hoje já fiz outro poema com muito amor

Meu malmequer gordinho
Bou-te encher de carinho
Lá na beira do forninho
bou trabalhar só p'ra ti
só não quero no meu caminho
o outro...o tal Toni...

Cócarócócó bamos a lebantar
Bai ser assim minha flor
que eu te vou acordar
quando tiveres a nanar
no teu canto acolhedor...

Berto o teu chiclete o teu amor secreto que agora já não é mais...



 
Ah Laurinha, o que eu estou farta de me rir com o teu Berto ou chiclete(sei lá!), ele que me desculpe mas é muito pouco romântico!!Então agora quer levar-te para o forno com este calor?Será que lá na quintinha não tem pelo menos um tanque grande onde pudesses chafurdar?Assim chafurdavas lágrimas, sorrisos, tristezas e saboreavas água fresquinha...E afinal a "tua sogra"queria-te só porque sim,ou para ajudares lá com a vaca e a mula?Bom,o Berto ou o chiclete tem pelo menos uma coisa positiva.Não se esconde atrás de um anonimato, vá lá...vá lá... E acordares ao som do "galo" além de muito poético não deixa de ser engraçado...ai só me consigo rir...abençoado Berto, que me faz esquecer a porra das tristezas...
Quanto ao Toni que se ponha a pau senão...menos Camões e mais acção...
:::::::::::::::::::::::::::::::::::
Nininha diz o nome do shopping que eu vou lá ter(Penso que deve ser o Norte Shopping)e talvez a apresentação seja feita na FNAC pelo menos é sempre lá que o meu irmão lança os livros.Isto é só um palpite claro,mas, depois confirma por favor.
Eu cheguei agora da minha Mãe e venho a morrer de calor...como não tenho uma boa piscina vou mesmo é para a banheira que não aguento mais...Ontem fiz alta madrugada porque não podia dormir com o calor.Hoje levantei-me só às dez, e, aínda aproveitei bem o resto da manhã.às duas fui à Mamã e saí de lá às 4horas porque chegou a Paula e ficou ela.Enfim, dias sempre iguais mas tem de ser.Não pode haver frio nem calor,porque há uma Mãe sempre à espera de um miminho...

Olha, logo vou ver se passo de novo por aqui o que é muito difícil pois vejo-me aflita para entrar!Entro sempre pela porta do cavalo, pois nem me a barra de endereços me deixa chegar a ti.

Espero que a tua tarde esteja a ser bem divertida, pelo menos mais que a minha...valeu-me rir à brava com o "teu" Berto...

Até logo Nininha/Jinhos Muitos

**Deixa-me p.f.o teu número de telm no meu mail.Eu vou deixar-te lá o meu.



 
Ah, esses amores infantis eram tão lindos e ingénuos... :)

Suponho que em parte a história será verdadeira, noutra deixaste-te levar pelo romantismo e imaginação.

Essa das folhas de alface nunca me passaria pela cabeça! :D

Beijocas e bom fim de semana!



 
Ajuda-nos a passar a ideia da Esterilização Obrigatória para os animais de estimação
É importante, porque cada vez há mais cães e gatos pelas ruas abandonados
temos um selo para colocares no teu blogue
http://esterilizacao-o.blogspot.com/



 
um bom dia...
e quando se dá um bom dia aquem dormiu connosco e fez parte dos nossos sonhos?

abrazo europeo



 
Querido Anjo d eluz, minha querida ritinha, adoro tu e é uma festa quando apareces, acabei de chegar d eum baile que nemt e digo..dancei com o maestro do coro, ah, amanhã se de rponho fotos, mas só lá para a atrdinha que de manhãzinha vou sair, fazer 9 km de caminhada, a coisa vai, hoje andei duas h a pé, a roupa a alargar e assim, ainda me sinto mais nita...
Creio que vais adorar o reoderick e a Ana, pela impressão que tneho deles, mais o sebastião, o pequenito...um dia também nos vamos abraçar..beijinhos a todos, todinhos, da laura..



 
Querida Maria, tens olhar arguto, mas, descansa que eur ecomponho-me rápido, pela escrita deves reparar que já me rio e sou mais engraçada... mas, a vida tem de tudo e aminha é o que digo...não fossem os filhos, e!...Mas,d eix alá, hoje passei um dia muito feliz e esqueci que existem antónios, bertos, galinhas, sogras, capoeiras, e por ai fora, temd e ser, assim, obrigo-me a sair todos os dias, fico morenaça, perco peso, e levo uma spiscadelas, e hoje dancei que nem doida com o maestro do Coro onde a Anita canta, que mais quero?Fica bem e nem e rales comigo, eu sou senhora de dar a volta aos problemas, mais rápido do que julgas, mas, tens razão, não ando bem não senhora...Adoro-te e sei que tu a mim, também..laura..



 
Ó ciclete, chichete ou lá comot e chamam, já te disse para encurtares o nome...

Não tenho nada contra as sogras, mas, cad aum na sua casa , gosto d avida doc ampo, mas, não dessa forma, achas-me comc ara de andar a correr atrás das galinhas ou dos galos? e pensas que vou levar a vaca a pastar? isso faço eu se a tua mãe fizer o resto, a vida da casa, o pão, a sopa, e que não bote lá batata no pote que engorda e eu estou a fazer dieta a ver se o tony repara mais em mim...claro que sei quem é o tony, ele anda-se a esfalfar com medo que eu nem o reconheça, ahhh, ê cá sei os mês segredos...
E quanto a dormir ao pé da lareira, eu já sei que sou uma brasa, mas, não dou pra tanto fogaréu!...calma ai...e além disso tens cara de miudo e eu já passei a idade do desmame dos catraios...
Olha, nem leves a mal, mas, vai aprender a escrever direito, pode ser por linhas tortas, mas, vou descansar, passei a tarde até agora a dançar e a saltar, o mê dançarino era um amor e tadinho, viu a laurinha sozinha, mas, eu é que o fui buscar, um Maestro sentado,sem batuta, jovem, amoroso,nanáninaná...só lhe dei uma pisadela, mas, amei, amei dançar, andava com uma vontade de dar uma troca de passos com o tony, mas, ele é um despassarado... enfim, desculpa lá ó Berto dos olhos azuis, mas, é muita areia prá minha caminete, já que teria de trabalhar a dobrar e preciso de dançar que o tempo que me resta já é pouco para dar ao pézinho...
Té manha e dorme bem cas galinhas...



 
Soledade, é sim, Norte shoping, 15 h Fnac, foi lá que apresentou o primeiro, o rafeirito, ele anda aqui há anos e eu nele, no blogue, ahhh alto lá, e adoro-o o rapaz mais a gatinha dele, a Glorinha vai comigo para não ir só e a Sãozita nãos sei ainda, se pode...claro que ja te envio o telemovel, so para mensagens, porque se ligas, eu atendo na maior, tu ouves-me, entendes-me, mas a ti, não pesco uma palavra...já escrevo..venho derreada de dançar, mas, amanhã conto e estou á espera de fotos menos comprometedoras, além de que não quero que se veja o meu rosto..levei o meu vestidinho cor de laranja e os sapatinhos, é a 3ª vez que o uso...fi-lo eu, tirei fotos numa montra, hoje, porque o raio do vidro fez-me tão magra e elegante que dá para enganar quem não me veja há anos...

Aqui também fez muito calor, agora está fresquinho...também me ri imensod e manhãzinha, com o berto, ahh e ainda bem que te riste também, faz bem à alma das nina stristinhas...vou adorar abraçar-te, ver-te olhar-te nos olhos e encher-te de beijinhos, é como se sempre nos conhecessemos e só nos deixassemos de ver, há umas semanas, vais ver...eu sou gorducha, mas, vê lá se aparece uma gordona e abraças-te a ela no meio do nort Shoping, ó laurinha, ahhh levas uma lambada e era uma vez uma soledade, sou gorda mas nem tanto...Beijinhos e fica bem, eu acho que é slinda, linda, de alma coração e corpo, o pescoço mais vale de peru que de vaca com a papada a cair ehhhhhhh.Beijinhos.



 
Sim, tété, é evrdadeira a maior parte da escola, com a stora e tudo, mas, não eramos namorados, a stora é que andava sempre a vigiar, as alfaces faziamos siso memso assim, er alindo, ternurento, pena que estragassemos, ams, não arrancavamos a alface toda, tinhamos a delicadeza de arrancar a folha maior , deitados no chão, na erava, lavavamo-la, e depois enchia-a-mo-la, quantas vezes fosse preciso para matar a sede, cada um servia-se, ahhh, que burros eramos....o resto, inventei, mas acho que está lindo porque tudo são recordares de outros tempos e saudades que ficaram..beijinhos meus..laura.



 
Olá mixtu, então, nesse caso, se temos o amor ao lado, só podemos agradecer pela sorte enorme que temos, mas, é muito raro, rarissimo... Tomara eu acordar ao lado do meu amado, ahhh, sorte grande..ji da laura.



 
Bom dia a todos. Não consegui copiar as fotos do baile de ontem, e a surpresa da minha imagem...ahhh... mas, o pc como sempre, anda tolo (baixinho, schiuuuu que se ele ouve, deixa de funcionar mesmo, vá que é analfabeto!...) ó, pudera!.
Vou caminhar 9 km, emagrecer é uma prioridade, uma falta de confiança em mim, tem-me impedido ao longo dos anos, de; voltar a ser a nina das resteas...Tenham um BOM DIA, e ao memso tempo, um dia BOM... Logo mais tarde, pela noite, faço o novo post porque as fotos ainda vêm da maquineta da Anita... Que bom que consegui aldrabar a minha imagem, espelhada num vidro de uma loja, ah, fiquei tão admirada comigo que me fotografei, e quem me dera ser assim, mas, acho que sou quase o dobro dela...levei o meu vestidinho cor de laranja a sair e..os sapatinhos inseparáveis. Um beijinho e fiquem bem, tão bem que nem sei... Maria, Maria, não te rales que; eu estou benzinha, cada dia que passa, melhor fico, tristezas se pagassem dividas e devolvessem mais algum, ficaria rica com isso...laura..



 
Laurinha. Normalmente as coisas da intimas e muito familiares, não as conto aqui e reservo-me muito especialmente.

Todavia, já tens reparado e há até uma amiga comum que se designa por Pandora-box, que várias vezes tem comentado o amor que tenho à minha cara metade.
Numa das casas que tenho,(Algarve) por cima da minha cama e em lugar que habitualmente muita gente, pendura uma cruz ou a figura de um Cristo, eu tenho um quadro de tamanho médio com o lenço dos namorados.
No amor sou sensível.
E recentemente comprei um serviço de loiça completo alusivo ao mesmo lenço.

Biquinhos, querida amiga



 
Zezito, vais fazer-me andar à nora à procura dot als erviço, só para o ver, porque comprar, nem teria onde o guardar... como não conheço, nunca vi, até deve ser muito giro, há lembranças para tudo..Beijinhos da laura.



 
Bem, fiz os 9 km, quem organizou era tótó da Sila, sabendo que vão sempre pssoas mais velhas, ala que se faz tarde pelos caminhos do B Jesus acima, xiça, penico, aquilo custou pra caraças, nas subidas que a andar raso, isso eu ando que é uma maravilha, comi pouco ao pequeno almoço, aliás, mal toquei nas bolachitas , e...lixei-me, começa a dar-me uma tontura, bebi logo a água que puseram na mocila, e...arre, mas, chegamos lá, nem sei quantos eram, milheres eram sim, e nós já cheias de andarmos ao para trás, metemo-nos no café, eu e a Sãozita, ahhh, descansamos...quando me levantei parecia o boneco articulado, o Pinóquio..só faltava o tio gepeto...depois o herminio e a Adelina, chegaram de carro e levaram-nos a casa, ahhh quando olhamos para trás do que sobrou daquela multidão d egente, só havia 4 adultos e duas crianças, ehhhhhhhhhh, o que nos rimos, e, fomos a meter cmainho..chegamos pois, o pior era ver o sorriso de escarninho dos que regressavam a casa, rais os partissem...mas que riso, deitei-me, almocei pelas 13,30, já tinha dormido um cadinho, e, lá fui de novo, desta evz à dona Elisa fazer as compras do costume, etc etc, cheguei agorinha...se passar na tv, fomos filmadas e eu ia do lado de fora mais a nina sãozita, eu de azul, calções e tunica, nada de chapéu...ela toda garrida, mas, a caloraça era demasiado...muito muito calor. bronzeei-me, já ontem andei h e meia a pé...tenho andado que sei lá..Beijinhos.



 
Laurinha:

Resolvi seguir o seu conselho e aprender a escrever...direito!!

Venho despedir-me escrevendo(penso!)que, correctamente nunca deixando de ser quem sou:O Berto, ou chiclete como queira...

A quinta existe, a Mãe existe. O Giserdo, a Tonha,o Poçinhas e a Pileca são personagens a quem me permeti dar vida apenas e só porque nada melhor que o riso para alimentar a tristeza...
Essa tristeza que eu partilho consigo diáriamente(ou quase)minha amiga.
Vou dedicar-lhe uma poesia não ao correr da pena nem em tom de brincadeira, mas sim, com música de seriedade cuja nota principal é a amizade...

AMIZADE É:
Partilhar emoções...
Alegrias...
Tristezas...
Um leque de incertezas
Que invade corações...

AMIZADE É:
Diamante lapidado
Soneto de um poeta
Lenço de linho bordado
Com a alma inquieta...

Até quando o tempo pára
A amizade é...jóia rara!!...

Com muita amizade
Berto, ou chiclete, como queira...



 
Que ternura, chiclete, mas, o nome mais vale ser o de Berto, é mais pequeno para escrever...
Obrigadinha pelos mimos e pelo carinho, a tristeza já era e, ou foi de andar 9 km a pé, hoje, de me rir perdida quando estava quase a ficar por ali deitar-me na ervinha tão verde, e, deixar-me rolar ou rebolar até ao outro lado, mas, era o que me apetecia... mas, vim morenaça e fez-me lembrar os tempos de Luanda quando era morena sem fim, naqueles anos todos...e como vivia feliz, e sei que o mundo tem o seu quinhão, guardado para mim...
A sério, nada me causa tristeza, a minha vida há-de ser sempre um mar de rosas porque eu entendi que será assim... pois quando fico azeda, sou mázinha, chatinha, e tudo acabado em inha... Assim; obrigadinha, muito obrigadinha, mas, não possod eixar de notar que, os amigos entram, fazem-me rir perdidas com os ditos e os não ditos, porque são isso mesmo, amigos para tudo, em todos os momentos...
Se um dia aparecer pla minha cidade, é so avisar por email, podemos sempre beber um cafézito lá em cima na fonte...
Um abraço da laura e saudades aos bichinhos à sogrinha emprestada e à quinta que, diga-se, por momentos me tentou, ehhhhhh..beijinho da laura..



 
Chiclete, ia lá eu inventar que eras poeta? xi, a nãos er que os poemas já tenham dono, nem me digas que foste tu que os escreveste? é que não os conhecia ainda...adorei, tanta ternura e carinho...Mil Obrigadas, sempre..laura.



 
_________________________________


...que doces recordações, Laura!


Eram tempos diferentes...


Beijos de luz e o meu desejo de uma semana MUITO FELIZ, amiga!!!

_______________________________



 
AMIZADE É:

Ser VERDADEIR(O)A...

O Berto, ou chiclete é?

Fica a dica,agora é só adivinhar e se possivél...perdoar...

Adoro-te

"Berto"



 
Berto? uma Berta ás escondidas das luzes da noite, és uma fonte de ternura e senti que sim, que és alguém conhecido, mas, que não posso saber mais sobre ti...ficamos assim! Amigos, e boa sorte onde quer que estejas..beijinho da laura.



 
Enviar um comentário



<< Home