A minha Poesia em pps
Formatado por Zélia Nicolodi, Vitor Campos e Estrelinha d'Alva
(clicar na Imagem)

















Quero Alguém


O meu tecer de Esperanças!...


Já escalei a minha montanha!...


Amar-te-ei Sempre!...


Não te vás nunca!...


Não foi o ocaso


domingo, julho 27, 2008

 

Vai uma cassata no Baleizão, em Luanda?




Ah, depois de um longo passeio pela Marginal de Luanda, com os pais e mais tarde os amigos, lá iamos dar sempre ao Baleizão!... Na realidade já não eramos nós que iamos ou queriamos ir, era a força do hábito, um bom hábito por sinal! Aquilo era uma enchente, pois havia petiscos para todas as bocas, caracóis (hug hug, agora detesto mas já adorei) passarinhos fritos, valha-me Deus do que somos capazes, já alinhei também e agora ai, ai, ai não se matam os passarinhos!...Era camarão com as cervejas, os finos, as moelas, feijoada em pratinhos, tremoços, tiras de choco fritas em pão ralado, tudo picantinho como manda o figurino, aqui parece que se matam se estiver picante como lá... falta de bons hábitos ehhhhh, e de África.



Aquilo era paragem obrigatória aos fins de semana, e aos Domingos principalmente, a malta reunia-se, uns iam buscar outros e lá iamos prá Ilha, e corriamos pela praia, (ai sim que corri, corri sempre quando descobri que se espetasse um pau na areia e corresse com ele enterrado (um bocado apenas) aquilo dava luz, fósforo, e achei-lhe uma piada que nunca mais deixei de o fazer, até ao dia de me vir embora, e deitava-me na areia morna, a olhar a lua e a sonhar, mas depois o geladinho era ali, aqueles sabores da Cassata de cores, a tuti fruti cheiinha de frutinhas pequeninas, ah, grandes lembranças que me adoçaram a boca...

Foi uma moça mais nova que eu, que vou conhecer em breve, encontrei-a no blog do leão verde e quando comecei a treta com ela e vi que morava ali pertinho de mim, ai que saudade me deu, mas já nos vamos encontrar para a semana se der!... morava perto, e mais perto ainda dos manos Marius e leão verde, e ao pé de uma casa de modas onde eu ia muito e cujos donos e empregados eram muito meus amigos, até já ia para lá ajudar na época do natal a fazer os embrulhos das prendas ehhh que lembranças...como ela disse que foi comer um gelado com a filha, mas que realmente não chegavam aos calcanhares do Baleizão, pois aquilo é que era o que se pode chamar de um bom geladooooooo, e se bem me lembro, por cinco tostões ou um escudinho a gente enchia as papilas gustativas à farta!...

Tudo isto me trouxe à memória um tempo que não mais se repetirá, mas a recordação ficará sempre comigo! Lá para cima onde morávamos, havia homens com carrinhos de sorvete, pertenciam ao Baleizão, acho que nem havia concorrência!... e muito bons sim senhora, sabiam já a morango chocolate e baunilha, e custava mesmo 5 tostões, e claro que a mãe comprava quando desse.

Tinha o meu irmão mais novo o Dérito, alguns 4 anitos, mais ou menos. A mãe estava na D. Edgarda a livraria por baixo da nossa casa. O meu mano queria gelado, a mãe não estava, o homem estava a passar e não tardava perdia-se de vista a apregoar o seu vozeirão Baleizãoooooooooooo e o rapaz nervoso, estava sentado entre as grades da varanda, a gritar ó baleizão, ó baleizãoooooo levanta-se, e vai ao porta moedas da mãe buscar!... não havia moedas disse ele!... uma nota de mil paus! O Senhor Costa da Farmácia, ouviu a gritaria dele para o homem esperar e lhe dar um gelado, já ia deitar o dinheiro pla varanda abaixo (1º andar) e depois o homem levava a nota e dava-lhe o gelado como? a sorte é que eu cheguei e vi-o com a nota na mão e o senhor da farmácia já estava a dizer-lhe que a minha mãe lhe levava o gelado ao mesmo tempo que a chamava, era ao lado da farmácia onde ela estava!... Imaginem a choradeira dele a ver o homem a ir embora, mas a mãe lá foi atrás dele e comprou, e depois o raspanete...então uma nota de mil escudos para deitar da varanda abaixo? nem se lembrou de ir a correr ter com ele à rua!...Tadito, era pequenito.
Assim a treta da minha vizinha lá do bairro, serviu para me recordar este episódio com os gelados do baleizão!...

Ah, doces lembranças que deixaram meu coração saudoso!...










Comments:
Laura

Fizeste-me lembrar a Ilha de Luanda em Janeiro e Fevereiro de 1962, ter chegado do "puto" e ir logo passear para a praia, coisa estranha, mas era divertido.
Não sabia da cassata de Baleijão.
Cresceu-me um pouco a água na boca, ao falares das tiras de choco frito. Sabes onde é a terra da especiladade e feitas picantes e tudo, como dizes?
Setubal!...
É um Shô!...
Beijos
Daniel



 
Olá daniel, bom domingo para ti, nem me digas que não conheceste o Baleizão, cá em baixo junto ao hotel Europa, um cadinho mais pró lado das praias...eu estive hospedada lá uma semana e foi assim que o conhecemos...Baleizão sim senhora...
Não conheço setubal, só de passar, mas em Luanda iamos à Corimba, lembras-te? e havia lá um restaurante (restaurante aquilo?) à beira mar do lado do mar claro, só de tábuas já comidas pelo mar e o sol, o dono era amigo do meu pai, e passavamos lá uns bons momentos aos Domingos d etarde quando iamos apenas passear até ao Morro da Cruz ou ao morro dos Veados! que lembranças...
Os chocos com tinta enojavam-me, mas comia-os so detestava ver as linguas pretas da tinta, eu e os meus manos faziamos aposta a quem ficava com a lingua mais preta...
Belos tempos e melhores recordações!... Eu cheguei em 62, janeiro parece-me, tinha feito dez anos em dezembro.
Beijinho...



 
Doces recordações e doces geladinhos também!

Coitadinho do mano, aos 4 anos sabia lá ele a diferença entre 5 tostões ou mil escudos. Hoje em dia já quase todos sabem, nesta sociedade tão virada para os cifrões...

Quanto às comezainas, ainda hoje em dia adoro caracóis, mas lá os passarinhos ou pipis nunca comi. Comprava um de vez em quando, que o meu gato pelava-se com aquilo. Adivinhas quem tirava os ossinhos todos para ele não se engasgar?

Mas quer dizer todos temos de comer, né? Sem qualquer crítica aos vegetarianos, macrobióticos e assim, facto é que nem todos sobreviveriam só com umas folhinhas de alface, né?

E bom, não sendo muito de doces, tenho uma louca predilecção por gelados (e chocolates também, nham, nham). Bolos e isso, passo! Pode-se dizer que fiquei com água na boca, só de olhar estas fotos... :)))

Jinhos, nina!



 
Tété, eu adoro gelados, chocolates e por vezes sou tão gulosa que compro um chocolatinho e para não ter de dividir, como sozinha quando venho das compras, ehhh nem resisto...
Eu sei que todos têm de comer e eu ja comi passarinhos, mas agora faz-me pena e eu dou-lhes pão da minha varanda deito aos cadinhos pequeninos e eles se eu esqueço esvoaçam tão perto que os toco se quiser..e dizem..menina tão? o nosso pão?...
Muitos beijinhos repenicadinhos para ti...Vens moreninha?



 
Agora ia um pedaço de cada um! Gosto de todos. E sabes que mais? Dste-me vontade de ir ao frigorífico acabar o resto do bavaroise do almoço ahahah

Assim não há quem cumpra regimes ahahahahah



 
Pascoalita, e quando me lembro que iamos começar regime e eu optei por continuar na minha..e tu e a manaa fricana lá andaram á fome e desanimadas...quantos kilos sairam? acho que nenhum e assim, eu emagreci nas férias e apesar de tudo mantenho o peso pois ja tinha engordado mais 3 ou 4 kilos desde há uns meses e voltei ao peso do ano passado, ao menos isso, as férias também contribuiram...
Ah, apanhassemos a vasa do baleizão, aquilo eram gelados apesar de agora já sabem melhor há mais variedades.
Beijinho e deixa lá o Bavaroise, assim animaste-me a ir ao frigo buscar leite creme queimado, nham que bom....



 
(estendendo o prato)
Chega cheio! :D

Beijos!



 
rafeirito, o shakita adora lamber a batedeira sejam natas , cremes, bolo, mas tu?...nem esperava isso, chega cheio, pois toma lá..um cadinho de cada... Beijinho.



 
Ó Laura, o remédio é ires ao Pingo Doce e comprar um Vienneta. É o que há, filha.

beijos



 
oi Laura já tinha sentido a tua falta moça!
bem agora ia um geladinho mesmo sem ser em Luanda.
é muita bom recordar-mos não é?
isso só mostra que foste muito feliz com os teus familiares.
Como diz a pitanga compras uma vianneta e o resto é só fechares os olhos e estás lá num instante querida.


bj

joão



 
Bolas pitanguinha!...qual Vianetta qual carapuça!... Ali, ali naquele lugar com o cheiro da terra que nunca deixei de amar!... e ter ali ao lado os amigos e amigas tão queridos que sem ser por acaso, sempre tive! Coisa de quem todos se podem gabar.... e ainda conservo alguns agora porque os outros perderam-se de vista, nem sei onde estão!...Foi tudo uma correria um salve-se quem puder, e assim... Beijinhos nina.



 
Mendogas, pescador em terra!...
Pois é, e um gelado sabe bem em qualquer altura... E se conhecesses a minha outra terra claro que ficavas com ela entranhada na alma e jamais a esquecias...mas a vida continua, dê lá por onde der!. Um beijinho a ti e aos teus da, laura..



 
Luanda ...África ... ficaram-me na memória os sons, as cores , os cheiros , as vistas, a Ilha, o Mussulo, a comida, a forma de estar, de viver, o mar, os rios, a vegetação, as flores , as pessoas!

Nada mais será como dantes, os tempos são outros, os países tb, que só lá estive depois da independencia, mas mesmo assim tenho saudades de África Minha



 
chá verde!... Claro e se foi só depois da Independência, que tão mal feita foi...
Mas a terra os cheiros d aterra queimada, dos mercados, das pretas sentadas no chão a assar batata doce,os montes d epiripiri, as mangas sumarentas, as goiabas, ah, as goiabas, os cajus, os abacates quase de graça, do peixe seco que nem gosto, mas estavam ali a cozinhar... havia imensos peixes a secar, um areal inteiro junto ao mar e às cubatas dos epscadores, mas era tudo diferente daqui.
EWram lindas a snoites de cacimbada ao luar, parecia que era um mundo irreal!... Só dormiamos com um cobertorzito fininho ..e nunca usei casaco comprido lá. Era outra vida, eram outros quereres e viveres e foi o que teve de ser, infelizmente para muitos e felizmente para outros...Um ji a ti, da laura..



 
Laura isto tras saudades da infancia.



 
Já tenho agua na boca......dos sorvetes e da n/Angola....
Saudades doces e felizes!!!!!



 
Mau! Olha que estou de regime. Acabei de comer 1 queijo fresco com umas mini-tostas ... não quero ver mais fotos destas ahahahah



 
Laura, sei bem do que falas. O lugar é tudo. Há quem viaje a Portugal e traga para aqui salpicões e queijos (quando conseguem passar na Alfândega)e eu sempre digo que o sabor não é o mesmo. Falta o lugar.

beijos, Laura.



 
Só um comentário. a um comentário.
A África é dos africanos.
Os brancos foram para lá fazer o quê?
Quantos estudaram?
Quantas oportunidades lhes deram?
Mas já lá vão mais de 30 anos e tudo acabou.
Ficaram pior ... mas ficaram com a terra que era e é deles!

Eu que gosto pouco de pouco gelado, não conheci o Baleizão.

Quando havia "cacau", ia ao Polo Norte, isto em 69/72, quando estive na tropa.
Luanda era só de passagem ...

Matava a fome de gelados, "cassattas", "tuttifruti", ... bem não sou religioso, topo a todas a mordomias ...

Cheguei a fazer "corridas" de gelados ... quem comia mais e mais depressa, NUNCA PERDI ... tal a sofreguidão ...

Um chocolatito?

Também vai ... então se for do negro de culinária ... mas não sou exigente.
O meu filho esteve a tirar uma especialização na Suiça e trouxe-me um "Toblerone" com 4,5 kg, (158,73 oz. - onças), (é o amior que fabricam).
Derreteu-se todo e em pouco tempo ...
Também o tempo na Suiça é mais fresco.

Vou deixar aqui as suas últimas palavras:

" Ah, doces lembranças que deixaram meu coração saudoso!..."



 
Olá, tudo bem??? Desculpe a usurpação do espaço, mas gostaria de te convidar a participar no nosso pequeno inquérito,,,, talvez te interesse,,, Estarás de acordo com o casamento ou adopção entre homossexuais??? Agradecemos a tua opinião, se a quiseres dar em: http://sexohumorprazer.blogspot.com/2008/07/inqurito-de-opinio-casamento-entre.html . Agradecimentos antecipados, HCL



 
Adriana, tras saudade pois e lindas recordações e nos perguntamos porque acabaram tão depressa!...
Beijinhoa vc e sua slindas ninas...laura..



 
Tão pascoalita; párematar acabas com uma suave cassata ou um stracitela, ou memso aquele cheio de frutinhas lindas que ainda eram melhor que deliciosas..uau...Beijinho e ahhh pareces a minha neide quando chega de fora, amanhã já cá estará se Deus quiser, e começa logo a fazer as dietas dela de saladas, sopas, enfim...Come muié que esta vida são dois dias...ji.



 
Pitanguinha; j´+a assisti no aeroporto daqui a muitos levarem ainda garrafões de tintol e depois os guardas ficam com eles na entrada ehhh e claro que os bebem à saude de quem embarcou... é presunto salpicão e que bem que aquilo sabe, mas, para muitos que são revistados, fica tuudo em terra... Ji.



 
Meu querido xistoso, és mesmo xistoso...e porque trocaram o pessoal que ja lá vivia por outros brancos outras raças? a terra é deles? mas os pobres são os mais escorraçados lá na terra deles, coitados..a terra é dos corruptos que lá estão!... a terra devia ser um lugar onde qualquer cidadão pudesse sentir-se livre e ser feliz e ter trabalho..é isso, não falo de guerras nem de vinganças, atão a nossa terra também é só nossa? que dizer de quantos cá entram e fazem mais mal que bem e andam aqui com todos os direitos?
Eu estive em África sim, calhou como calhou lá ires dar, foi a vida e agradeço a benção que foi a minha estadia lá!...
A terra é de Deus e de todos, pena que os homens não entendam isso, e só vivam com raivas dentro deles e com a ganância de ter mais e mais terra e mais mundos so deles!... Há-de chegar o dia da vitória em que todos se amarão como irmãos e não haverá fronteiras a dividir, apena so amor a juntar!...
Um abraço e deixa-te de ser mesmo xistoso ehhhhhhhhh...
Laura..



 
ahhh ó xistosa, a minha filha também veio da Suissa há coisa de dois emses e trouxe-me uma caixa com muitos tablerones e nham que bom papaei até fartar e depois sou bolinha de enrolar e rolar por ali abaixo...
Não gosto do chocolate preto, é amargo, detesto e quendo me dão...xi, dou ao Manel que adora...
Jinho.



 
"Desde mi ventana,
campo de Baeza,
a la luna clara!"

António Macchado, nasc. 26/7/1875, Sevilla...para ti.



 
Ãi doces palavras, que deixaram a minha gula alvoraçada!!! =)))



 
rosa e oliver...desde a minha janela...e de 1875...Mas há tantos anos, e eu tinha um amigo já falecido, claro, que se chamava António Machado. Um beijo...laura..

Menina grafonolinha, a gula virtual é fácil de resolver...um ji pra ti...



 
Laura como é gostoso ouvir você falar de Luanda. Devias cobrar do governo de lá por toda a propaganda que fazes daquela terra.
Beijos.



 
ehhh meu querido Alves, eles querem lá saber, mas aquela terra jamais será como eu falo dela, porque estragaram tudo violaram tudo corromperam tudo...ja escrevi varios poemas sobre isso... grande beijinho a vc moço lindo. laura..



 
Olá Laura

O que eu fui descobrir, um dos carrinhos de sorvete que saíam do Baleizão está aqui.


http://marius70.no.sapo.pt/LugeladosBaleizao.jpg

(copy e paste)

Eu trabalhei algum tempo perto do Baleizão. Ia lá muitas vezes para que o dono (bem velhote por sinal) pagasse o arranjo dos carros que iam à oficina onde eu trabalhava.

Se visses o que era aquilo por dentro até te assustavas. A sorte dele é que lá não havia ASAE senão fechava logo.

No entanto, o que interessava, era o que na nossa mesa aparecia e isso Garota de S. Paulo era de provar e comer, comer, comer... :)

Agora vou-te mostrar outra foto mas esta do nosso bairro Foi tirada o ano passado. Penso que sabes e vais reconhecer, só que como sempre te tenho dito, o nosso Bairro "morreu".

http://marius70.no.sapo.pt/LuBarMagestic.jpg

Tudo de bom



 
Minha nossa marius, o homem do carrinho do gelado tal e qual, e o Majestic aquilo era lindo e tinha quartos mais para lá..e as persianas, vida que miséria tamanha...
Morreu pois o nosso Bairrinho onde fomos tão felizes, namoramos, vivemos em harmonia, gozamos daquele sol e das nossas praias ai que maravilha...Sou grata por isso...

Marius, hoje tive uma grande alegria, grande mesmo... Fui ao Continente apenas para comprar tinta para o cabelo, já anda meio branco meio de cor, mas afinal não posso nem devo pintar ainda..a cicatriz está fresca blá blá dizia a cabeleireira e a empregada da casa dos produtos.
Entro depois no supermercado apenas e só para pegar um pacote de farinha e não a encontrava na sprateleiras, andod aqui prá li e reparo depois num senhor uma cara minha conhecida (de Luanda) da Rua de Benguela... o padrasto da Salete a irmã do Arlindo e do Victor o pai tinha táxis, e eramos muito amigas, acho que vos mandei uma foto das duas de calções na minha varanda, ela tinha cabelos compridos e tinhamos umas carinhas felizes...Lembras-te dela? Moravam abaixo dos Adrianos uma ou duas casas senão me engano... Foi uma alegria que nem imaginas, o que nos rimos por nos encontrarmos daquela forma e ao fim de 34 anos...e em frente às prateleiras do raio da farinha!...
Um ji a ti da garota..



 
YES, PLEASE!

Recuei no tempo... e pareceu-me ter sido ontem que comi a última cassata no baleizão.
Mas. nos últimos tempos a minha preferência era mais a "banana split" do "Polo Norte".

(http://gostodepitanga.blogspot.com)



 
Olá carlos; com tanta volta ja nem me lembro onde fic ao Pólo Norte, claro que me lembro dele, mas já não vejo onde ele está...Beijinhos...



 
Enviar um comentário



<< Home