A minha Poesia em pps
Formatado por Zélia Nicolodi, Vitor Campos e Estrelinha d'Alva
(clicar na Imagem)

















Quero Alguém


O meu tecer de Esperanças!...


Já escalei a minha montanha!...


Amar-te-ei Sempre!...


Não te vás nunca!...


Não foi o ocaso


sexta-feira, janeiro 19, 2007

 

Apenas crianças…





                              São apenas crianças Senhor.
                              Ainda por cima, têm falta de amor.
                              Não lhes chega já o cruel destino
                              Que trouxeram do ventre de sua mãe?

                                  Inválidas, tristes, sem destino certo,
                                  Como será o seu amanhã?
                                  Se lhes batem a céu aberto, e dó não têm
                                  Da sua dor, dos seus defeitos….

                              Num corpo pequenino, de dor marcado
                              Quem é capaz de bater num ser assim?
                              Num ser que já nasceu magoado.
                              Triste destino o teu, criança…

                                  De quem nem todos gostam,
                                  E nem te deixam ter esperança…
                                  Malditos os que em ti se vingam…
                                  E ainda há quem os desculpe…

                              Que justiça essa que quase premeia
                              Quem tanto mal fez às nossas crianças?
                              Onde está a moral no Juiz que te julgou
                              Ó alma carcomida pela raiva!

                                  Mas não faz mal, sempre disse que
                                  A justiça divina, tarda mas não falha…
                                  E gostaria de ver a mulher que lhes bateu…
                                  Depois de enrolada na mortalha!!!







Comments:
A alegria é um dom que se adquire a arte a tristeza que se transpira
em beleza...
Eu volto
Beijinhos
Belo
Conceição Bernardino

Meus blogs http://amanhecer-poesia.blogspot.com

http://sentidos-visuais.blogspot.com



 
Óptima poesia, Laura.
O tema também te tocou, eu sei.
É um prazer vir aqui.
Desejos, de novo, de um bom fim de semana



 
Fiquei sem palavras, é lindo.
Bjs



 
Foi o que saiu, quando furiosa por saber que a senhora que lhes chegava a roupa ao pelo, saiu dali sem qualquer culpa, acho que ainda lhe deram os parabéns..pela desfaçatez...De bater nos filhos dos outros e além disso deficientes..isso não..Não pode mesmo acontecer, lá seguimos e calando..., e quem cala..Consente..Pois..é o que somos, uns grandes consentidos..



 
Posso saber em que ilha moraste?

A luz inundou o dia, no resto do vago que resta da noite, sons de melodia dolente que ecoaram por toda a lagoa...

Feiticeiro domingo

Doce beijo



 
Já vivi em Luanda, e temos lá uma ilha, ( Mussulo) e estive lá meses, mandavam-nos viveres de canoa, naquele tempo a ilha era muito virgem..comiamos do mar, fruta de lá mangas cocos bananas, tinhamos lá de tudo..Eram umas casinhas pequenas, já havia turismo ali, mas pouquinho, já lá vão mais de 40 anos..
Também estive meses na ilha da Madeira, e porque será que me parece ser o Alquimista da Madeira? Beijo também..



 
Olá!
Lindo, Laura.
Parabéns.
Bom fim-de-semana
Abraços.



 
o fimde semana está a acabar agorinha mesmo.. desejo que seja muito melhor a que aí vem.. O verso foi pelo que o Zé lérias comentou no blog dele sobre as crianças que maltartaram e a senhora até foi absolvida...



 
Enviar um comentário



<< Home