A minha Poesia em pps
Formatado por Zélia Nicolodi, Vitor Campos e Estrelinha d'Alva
(clicar na Imagem)

















Quero Alguém


O meu tecer de Esperanças!...


Já escalei a minha montanha!...


Amar-te-ei Sempre!...


Não te vás nunca!...


Não foi o ocaso


sexta-feira, janeiro 02, 2009

 

Um vinil dos anos sessenta!...




Tudo tem uma história mas, o certo, é que nem todas as histórias acabam bem! Pelo menos esta que foi e continua a ser um suplício de Tântalo para a nina das resteas, mas vai acabar em breve, seguramente! E, vejam lá, o Kim chamar-me de Dolce Laura, depois de falar na música do Adamo, Dolce Paola, que já está aqui. Queria ouvi-la e...

... E assim, voltei aos meus dezassete anos quando, em Serpa Pinto, junto do casal Côca e Béquinho, Irene e Óscar respectivamente, me preparava para arribar a South África e ser vista pelo melhor especialista de ouvidos. Tanta era a fama desse médico que nem por um segundo duvidei que ficaria a ouvir! Estão a imaginar os pensamentos da nina das resteas? Claro que não. Então vejam aquele meu sonhar, os meus desejos mais prementes para quando ficasse a ouvir, a ouvir de vez. Tinham passado apenas (apenas) 12 anos desde que deixara de ouvir, e a esperança vivia e viveu sempre em mim, e os meus dezassete anos estavam cheios de sonhos mil, sonhadora sempre fui e continuarei a sê-lo!


Ouçam os meus desejos no ano de 1969: - Vou trocar uma nota de mil escudos em moedas de um escudo, para telefonar às amigas e amigos, e a todos aqueles de quem gosto. Com um escudo falava-se bué de tempo, naquele tempo. Imaginam um saquito cheio de moedas? Pois eu sim, imaginava-o nas minhas mãos, moedas castanhas escuras, mil moedas que dariam para mil chamadas! Tá!...

- Vou falar com o pessoal pelas ruas e responder à letra aos galanteios dos rapazes, principalmente daqueles que, na "Casa Lisboa", me assobiavam e, por vezes, acompanhavam-me lado a lado a falar, à espera de resposta e de risos doidos, mas como não os ouvia, o que fazia era ir caladinha e apressar o passo e deitar umas bocas pra eles e uns olhares de lado, lembras-te de assistir a algo assim Marius? O teu mano leão decerto deve lembrar-se de mim. E como não lhes respondia pensavam apenas que era esquisita (palavras de um desses moços na altura)!... esquisita, pois!

Tantos e tantos sonhos. Credo laurinha olha prós anos que já se foram e continuas a sonhar que ainda hás-de responder aos galanteios dos cotas da tua idade e dos mais novos, por vezes!...

A minha Côc (a Irene) cantava para mim, e gravava musicas no gravador dela, daqueles antigos que as cassetes rodavam aos nossos olhos, e eu levava-o para o meu quarto e ouvia com os auscultadores que o aparato tinha, ah, lindas recordações desta mãe querida a quem chamei timidamente de Inha, quando a fui conhecendo. Ela e o Béquinho acolheram-me na sua casa e foi ele que tratou de tudo para que não gastasse um centavo, nem em deslocação nem em viagens. O Exército Sul Africano levou-me até Windhoek, estive no Calai, Rundu. Bem, estive na tenda dos Generais e posso dizer que eram mais de 50 todos sentados em conferência quando a minha avioneta,onde ia acompanhada pelo Béquinho, chegou (ele escoltou-me até terras do lado de lá) apresentou-me aos Generais todos e um a um me apertaram mão! Dali fui entregue a pessoal amigo! Em Johannesburg esperava-me O Maior da Força Aéra, o Dennis Hearp, o Comandante Nass, que já conhecia, e bons amigos foram!... E a Helena, secretária do Adido da nossa Embaixada, em cuja casa fiquei e nem podia ter sido melhor. Vivia em Sunnyside, um bairro lindo em Pretória!

A Côca dias antes de embarcar, ofereceu-me o disco de vinil, com o titulo, «Dite A Laura Che L'amo», por Michele, a capa vermelha e branca, e atrás estava escrita a dedicatória mais linda que alguém me tinha feito: - Oxalá quando voltares de Pretória, já o possas ouvir, com a grande amizade da Irene e Óscar!...
Chegou o dia, o meu pai veio e com lágrimas e abraços nos despedimos, fui de avioneta até ao Rundu e Calai, depois de avião rumo a Johannesburg.

Adorei estar lá, a Helena desfazia-se para me ver feliz e fomos à consulta com o tão famoso médico! Exames e mais exames, eu nem cabia em mim de contente, e se o pensamento positivo ajudasse assim tanto, claro que voltaria para casa a ouvir! Népia, never, não, nada, nadica! Apenas me disse que tivesse mais um pouco de paciência, a medicina estava a evoluir e dentro em breve a cura seria encontrada!...

Ali no consultório, portei-me com uma calma que nem sonhava... só não sabia como iriam ser os dias seguintes!
Chorei que me fartei, chorei, disse coisas que nem devia, decerto, fiquei revoltada com os meus amigos do Alto, que não me ajudavam porque não queriam, que não era justo, eu era boa nina, não fazia mal a ninguem, e por aí fora...Bem, fiquei 8 dias, 8 longos dias de cama e a pobre da Helena sempre a dar-me apoio. Ela tinha de ir trabalhar, mas vinha a casa várias vezes por dia e tinha um apartamento lindo e fazia de tudo para me distrair. Levava-me às compras, o Béquinho e a Côca deram-me dinheirinho para fazer compras, o meu pai também, claro, e comprei coisas para as amigas, os manos os pais etc! A choradeira depressa passou e mandei tudo às urtigas, pois sempre tive aquela coisa que me empurra mais prá frente e me faz ficar ansiosa à espera do próximo episódio...

E assim guardei ciosamente o meu disco de vinil, para ouvir quando chegasse a altura. (Em Luanda, levava-o para casa da Ligia, a minha Gi,morava no meu andar e dois apartamentos antes. Ela punha-o a tocar no gira discos, e, cantava pra mim vezes sem fim, imitava o Michele a cantar,levava as mãos ao coração e fazia aquelas caras cheias de sentimento, ahhh, só ela... ehhh, pobre Gi que foi uma nina Doce, uma nina mulher ao fazer as coisas de forma a que eu puesse sentir e ouvir) Tinha-o guardado juntamente com os nossos discos numa caixa na garagem e, quando veio aquela enchente até ao tecto, tive de deitar as minhas centenas de livros fora, foram todos para o lixo. Mas está guardado dentro de mim, e a dedicatória continua escrita no meu coração!...

Quem sabe laurinha se dentro de meses, já poderás entrar na you tube e escutar as canções daqueles tempos, o Rafael a cantar, "sin Laura", do filme «Quando tu não estás», ahhh!... Vamos devagar que nunca, mas nunca mais, aconteceu ir a consultas médicas para voltar a ouvir, e jamais verti uma lágrima, aprendi a lição com aqueles 8 dias de cama a chorar revoltada!... Não valeu a pena...
(A foto é no rio Kuando e o sapato é do béquinho)





Comments:
Laura amiga

Os homens não choram.
Só deixam rolar as lágrimas.
Agora não é só o computador que está lento e velho.
Também estou embaciado.
mas mudemos de assunto.
Estive em Windhoek, era logo ali depois do Luiana.
Comprei um cantil de couro, que mesmo ao sol a água não aquecia e um chapéu de "boer", também em couro.

Já nem me recordo se era nascido, tantos foram os anos que se passaram.

Tudo vai correr bem.
Assim o espero.



 
Olá Laura

Neste texto está todo o sentimento e a revolta de uma menina que aos seis anos deixou de ouvir e das esperanças que durante estes anos alimentaste, na possibilidade de novo poderes ouvir o Raphael, o Michel e tantos outros cantores que fizeram parte da tua época, a tua e a nossa voz.

Regressaste aos teus 17 anos e é comovedor o facto de quereres trocar o dinheiro para poderes falar aos teus amigos(as) que em Luanda aguardavam boas da tua parte.

Eu era mais um dos rapazes que te via passar junto à "Casa Lisboa". Talvez um dos tais que dizia que eras esquisita pelo facto de não ligares aos nossos piropos, não sabendo que o facto se devia à tua surdez.

Frequentei a casa da D. Lina (depois de ter ido para a António Enes) várias vezes fui até lá pois a minha irmã também estava a aprender costura com ela e lembra-se perfeitamente de ti e de como colocavas as mãos em cima do aparelho de música para sentires as vibrações da mesma.

Por certo vi-te muitas vezes, pois lembro-me de uma garota que sentada num banco(?) encostada à parede do fundo, baixava os olhos sempre que eu lá ia e que tinha cabelos compridos. Se eras tu ou não, não o posso confirmar. Talvez soubesse a tua estória da surdez, mas o tempo fez apagar essa parte na minha memória. Mas naquela foto do Joselito, lá estás tu, a D. Tina, a D. Lina, o Orlando e o Luís. Afinal gente da minha gente pois vivi paredes meias com eles anos e anos na Vereador Prazeres. Por isso não há dúvida que eu era um dos que assobiavam à tua passagem ali junto à "Casa Lisboa" embora não fosse muito de assobios, era mais da cantiga do bandido!

:)))


Outros tempos!

Mas tu não desistes e, ao fim destes anos todos, voltas a ter de novo a esperança de poderes ouvir.

Eu acredito que sim e tanto acredito que aqui deixo a letra da tal canção do Raphael. Vai aprendendo pois um dia colocarei a música e tu já não terás necessidade que a Gi cante para ti, tu irás cantar esta canção:

RAPHAEL - CUANDO TU NO ESTAS (YO SOY AQUEL)

No se, si el mundo es el de siempre
pero yo, lo veo diferente
cuando tu no estas
cuando tu no estas
no se, si brillan las estrellas
pero yo, me encuentro entre tinieblas
cuando tu no estas
cuando tu no estas

Cuando tu no estas no tengo a nada
no me queda mas que mi dolor
por eso envidio al mar que tiene agua
y al amanecer que tiene el sol
nada soy sin Laura
solo estoy, sin, sin su amor
nada soy sin Laura, sin Laura
sin Laura, sin Laura
sin Laura

No se, si es todo como antes
pero a mi, me falta como al aire
cuando tu no estas
cuando tu no estas
no se, si brilla igual la luna
pero yo, la noche veo oscura
cuando tu no estas
cuando tu no estas

Yo te busco a ti bajo las hojas
que cayendo estan cerca de mi
al otono gris llenos de sombras
le preguntare, que fue de ti?

Nada soy sin Laura
solo estoy sin su amor
nada soy, sin Laura, sin Laura
sin Laura, sin Laura
sin... Laura

sin Laura... sin su amor.


Sim Laura, voltarás a ouvir de novo, que a esperança nunca esmoreça!


Tudo de bom.



 
Ó Laurinha, então "um pedaço de mal caminho destes" e querias que os rapazes não te dissessem coisinhas ao ouvido? Eles só não sabiam que tu não os ouvias. Mas tu também não precisavas ser tão bonita assim, não é? hehehe

beijinhos Laura, e que cabelo tão lindo!



 
Laura

A foto é muito bonita, a música que não me lembro de conhecer é linda. Com o teu optimismo, fez e esperança, virás a certificar-te.
Conheço já, por alto, a tua história, mas contaste tão bem o episódio, que me emocionei, não sé porque sou do tipo emocional, mas também porque me habituei a adorar-te, virtualmente falando.
Fica o meu beijinho ternurento, reflectindo a emoção sentida.
Daniel



 
Querida amiga! Gostei de recordar junto contigo este sabor dos anos sessenta!Como diz o Marius,a última a morrer é a esperança,e tu vais conseguir,o teu sonho escutar,eras uma miúda gira,se calhar eramos por isso os pretendentes eram bastantes! O meu pai andava sempre atrás de mim,mas como vês não adiantou,trancas a porta ladrão em casa) e não é que a rapariga casou cedo? teimosa qb,agora matei alguma saudade com o poema da música do (RAPHAEL YO SOY AQUEL)adorei ler,e para ti doce amiga,o meu beijito e votos de bfs da (ninaAgulheta) Lisa para os amigos tu.



 
Trouxeste a esperança até hoje. Carrega-la contigo porque é teu sangue e teu corpo. Levar-te-à ao cimo da mais alta montanha onde deixarás o desespero e voltarás renovada. Acreditas na tua força. Assim nos dizes... O tempo, só o tempo... e já não faltará muito, parece-me. Sentes???...

Beijinho, Laurinha
Belmira (Girassol)

Emocionei-me ao ler este teu relato. Tu acreditas que está perto. Agarra essa esperança, esse acreditar... e deixa de acontecerá. Passas-nos a tua esperança de maneira que já todos acreditamos que o dia chegará. Faremos coro então cantando contigo. Ouvir-nos-às... Ouvir-te-ás... Partilharemos a tua vitória da mesma forma que partilhamos a tua esperança.



 
Sabes Laurinha?

Tinha eu uns sete aninhos e li a biografia(sou pedrada em biografias) da HELLEN KELLER e ela dizia(nunca o esqueci):
EU CHORAVA PQ NÃO TINHA SAPATOS ATÉ Q VI ALGUÉM Q Ñ TINHA PÉS.
HELLEN KELLER era surda cega e muda,e acompanhada com sua perceptora fazia conferências pelo mundo...uma mulher excepcional,teve tal como tu uma vida preenchida com alegrias e adversidades.

um xi-coração AMIGA
pandora_box



 
É sempre triste enfrentar o que consideramos injusto.
Vê o lado bom...talvez essa surdez te tenha desenvolvido outras capacidades.
Talvez nem tivesses tido uma vida mais feliz se recuprasses a audição naquela altura.
Bj pra ti e... sê feliz! :)*



 
Pelos vistos já chego atrasado para deixar parabéns...

Escapou-me...

Então aqui vão, amiga!

PARABÉNS A VOCÊ!!!

Beijinhosss



 
Laurinha,
é sempre bom ler as tuas histórias. Eu sei que tem sido uma grande luta para voltares ouvir... há coisas lindas de se ouvir, mas olha que existem coisas que não valem a pena ouvir.

Beijo com carinho



 
Miuda, enquanto há vida há esperança, por isso nada de deixares de acreditar,que vais ouvir coisas maravilhosas, e coisas horriveis, mas vais ouvir,e não te esqueças que nesse dia prometes-te que vamos as duas lá acima ao centro de Braga gritar mas gritar bem alto, até que a nossa vóz nos doi-a
se nos chamarem de doidas, não nos chamarão de esquesitas. Vais conseguir vencer mais esta prova de fogo da tua vida.Vais conseguir conseguir.

São Famalicão



 
Minha doce Laurinha...

Vi a tua mensagem e vim a correr.... ler o teu post. Acredita que vivi cada palavra que aqui deixaste... os teus 17 anos... a viagem... o médico...o desgosto de 8 dias... o reviver novamente... E, agora, aqui estás tu, cheia de força para o que aí vier. E pensa, Laurinha, o que for melhor para ti, ser-te-á entregue. Acredita! Eu tenho muita fé e esperança que tudo irá correr da melhor forma...

Vive tranquila, com calma... sem grandes expectativas. O que for, surgirá!

Eras linda Laurinha... ai, desculpa, és LINDA!!!

Cubro-te de luzinhas douradas e brancas para embalar o teu soninho...

Fica bem querida!

Beijinhos de Amor e Luz.



 
Laura, estavas linda naquela foto, acredita!
Aquele pé é que está a mais.

Depois de ler o que escreveste, acrescentado a tudo o que já li sobre ti, se pudesse arranjar uma maneira de voltares a ouvir, fazia-a. Podes ter a certeza. E não é demagogia o que estou a dizer nem conversa de treta de internet. É o que estou a sentir neste momento...

Beijões



 
Abençoado vinil...
Ternura Amiga:
Deixo a sua inconfundível beleza e enorme encanto com um extrato de um texto meu:
Neste Ano Novo de 2009, acreditem em Vós e acreditem que há sempre um lugar para a Felicidade.

Sinto perplexidade e espanto quando me assolam pensamentos que advêm de seres infelizes, descrentes de uma felicidade que tarda a chegar, não sei por que razão.

Nem que seja por instantes. Presentes. Pausadamente respirados. Ou sôfregos. Emotivos. Ou frios. Doces. Ou distantes. Ternos. Ou sem ternura. Alegres. Ou tristes.
Mas, intensamente vividos. Plenamente! Repletos de autenticidade. Verdadeiros. Sentidos. Únicos.
A Felicidade também pode ser sofrida. Angustiada porque não surge camuflada, escondida. É real ou sonhada em sonhos bons.

Beijinhos de um sonhador ignorado do mundo...com muito respeito, estima e um "sentir" gigantesco de amizade e encanto pelo que carinhosamente "constrói" com dedicação imensa...
Com cordialidade sentida e sincera

pena

OBRIGADO por existir!



 
Ao passar por aqui de novo, faço minhas as palavras do Roderick. Aliás, penso até que todas as pessoas que lidam contigo de uma ou de outra forma sentem, mais ou menos, isso mesmo. Se pudessemos fazer alguma coisa para que voltasses a ouvir, fá-lo-íamos. Todos. Tem esperança! TU TENS!... Tem Fé! TU TENS!... Tem Calma! TU TENS QUE TER!... Não deixes que se instalem em ti demasiadas expectativas para que não seja grande a desilusão. Não deixes que a fasquia suba demasiado alto. Alguém aqui disse que há muita coisa bonita para ouvir mas também muita coisa feia, muito feia. Também disseram que o que for melhor para ti te será dado. Portanto, Laurinha, acredita em ti. Tudo o que foi dito é válido. Tudo são palavras de Amor e de estímulo. Parece que está a formar-se uma corrente que te carregará naquele dia e te aguardará à saída da operação... É uma corrente de Amor, Laurinha. Para TI... POR TI... Sentes???..

Beijinhos
Belmira (Girassol)



 
Dou muitas vezes comigo a pensar que dificilmente serias a laura que és hoje, cheia de energia e com toda essa garra que te conheço, se não tivesses vivido com essa pequena privação. Questiono-me mesmo se terias dado tanto valor às pequenas coisas!

Afinal de contas, dou comigo muitas vezes a sentir-me uma sortuda pelas dificuldades que passei na infância, facto que suponho me torna bem menos ambiciosa e conformada, ou melhor grata pelo que de bom possuo.

Já conhecia essa foto e esse sorriso que transborda de alegria e felicidade :))

Oxalá concretizes os teus sonhos e que esses nunca se transformem em desilusões :)

Bjo



 
“Reencarnação”

Foi em tempos… há muito tempo
Um tempo longínquo que já não sei…
Recordadas no momento de um pensamento
Pergaminhos da memória que furtei

http://pensamanzas.blogspot.com/

Uma boa semana com um abraço amigo…



 
Então por tudo aquilo que conheci de ti, não vou acreditar que ainda vais ouvir muitas baladas e galanteios? Confesso que logo logo estarás a ouvir-me cantar a célebre canção da Laura.
Mais ou menos assim:- Laura , Dolce quimera, eu estava á espera de poder beijar-te... Com todas as forças que reunes, dentro em pouco até a 5ª sinfonia de Betowen rugirá nos teus ouvidos.Eu lá estarei a mandar uma girândola de foguetes e, ouvirás de certeza. És uma mulher de armas e não sou eu que me atrevirei a enfrentar-te nessa altura. Nunca te esqueças do ditado:-Não há bem que sempre dure nem mal que não se ature. A esperança é a última coisa a morrer. Verás que nessa altura de certeza alguém terá um vinil para o ouvires enquanto não ficar totalmente riscado. 2009, vai ser o célebre ano da recompença. Um beijão dos amigos Fernanda e João.



 
Xistosa; os homens choram sim, choram que a alma também lhes dói, e o coração sente a ternura e a compaixão! Obrigada amigo, por tanto carinho. Somos amigos virtuais? acredito que não, somos amigos memso, o amor sente-se na alma entre todos os seres. O amor que eu tanto falo e apregoo, não é aquele amor de homem e mulher, é o amor entre todos, o amor de amar o próximo e ajudá-lo em tudo o que se pode! Bem hajas rapaz e boa sorte para ti que o teu dia deve estar a chegar!...laura..



 
Mário; não é revolta, é dor, em pequenita sim, era revolta, mas se era. Agora não, agora transformou-se numa doce esperança que me assola umas vezes mais, outras passo de largo e nem ligo. Tenho alturas em que dói. Dói na alma o não poder ouvir. Mas depois vem aquela esperança doida, constante, intuitiva e começo a sonhar a imaginar a operação, que vai decorrer na maior, os meus amigos a visitarem-me no hospital (ah, já está prometido...alguns sim, já selaram o pacto ehhhh, mas nem digo quem são, cada um vai se quiser e puder...) e depois fica certo que mal entenda as palavras, hás-de ouvir-me ao natural, e podes sempre botar uma assobiadela das tuas, ehhh, mas não precisas de cantar a canção do bandido. mas claro que gostaria de saber a tua letra ehhhh só para ver como te portavas quando eras rapaz, ehhhhhJesus, nem sabes o que me ri sozinha a imaginar-te a ser algum daqueles moços atrevidos e a caminharem ao meu lado, um cadinho apenas, como não lhes respondia, devem ter pensado; desta não sai nada e continuavam...

Já tinha dito que me lembrava do leão a falar com o seu Zé, marido da D. Lina, e do supermercado o Suprema do pai da Ligia, tenho uma vaga ideia mas ele não me era desconhecido de todo, só que com os anos mudamos de visual...
e se aparecesse alguém claro que me encolhia no meu cantinho lá no banquinho do quarto da costura, feito no fundo da marquise... e é verdade que eu ia por lá muito, muito, até à noite ao fim do jantar ia ajudá-la a tirar alinhavos, o que fosse, pelo prazer de estar junto dela,que estava sempre a cantarolar e bastante cantava pra mim... era uma senhora maravilhosa e só posso dizer bem dela...a Tina ia lá muitas vezes com o Chico e o Paulo, eram um lindo casal, ela sempre moderna e pintada mas era linda, muito linda, morenaça e jeitosona, eram duas cunhadas totalmente opostas uma mais branca e alourada e de olhos azuis, muito linda, muito elegante também, quando saiam no descapotável, o espada do sogro, eram um vistão entre o povo... e a outra morena cabelos pretos.Boa gente boa gente, muito mesmo.

Ahhh, também vio filme do Rafael e foi no Miramar, mas que beleza e lembro de ler nos lábios dele, sem laura, sem laura, e ficava ali a olhar o ecran gigante...o mar ao fundo e a sonhar, sempre a sonhar.
Obrigada pela letra, ah, eu depois canto-a pra tu ouvires ehhh, ora deixa lá ver se a minha voz tem conserto....
Beijinhos d alaura..

Bigadão moço lindo, és um amor de nino e claro, gente da minha gente só pode ser assim. Um amor de gente! Beijinhos e estou ansiosa por poder ir à D. Lina, o tempo passou e a vida nem mudou, arre!...e daqui nada já são dois anos que passam sobre isso...



 
Pitanguinha, era mesmo ehhh mas eu ficava tão envergonhada que nem te digo...ora, ora, era apenas uma nina como se diz, vistosa e nada mais, perfeitinha, elegante era, eu sabia e tinha espelhos, mas, mais nada, eram os nossos belos anos d ejovens e isso é o melhor do tempo que passamos. o cabelo aos 22 antes de ir para a África do Sul, cortei-o e apareci aos meus pais de cabelo pequenino, a minha mãe, simpática como é, em vez de me dar um beijinho de boas vindas, ela foi primeiro que eu, disse assim; e agora sabes o que merecias? e eu; não! Pois era, era levar dois estalos nessa cara e bem dados...que boas vindas as dela ehhhh...
Ahhh, beijinhos.



 
Obrigada daniel (não tenho pc há 2)dias, só hoje o tive a funcionar..
Beijinhos e obrigada por tanta ternura..laura.


Querida agulheta...com que então a menina era marota e o pai tinha de andar a tomar conta? por isso fui sempre bem comportadinha, ou até demais senão!... pobres pais que não se lembravam que foram piores que nós, incluindo as mulheres deles e nossas mães...
Beijinhos e obrigada pelo carinho..laura..


Acredito pois querida girassol, acredito que removerei todos os obstáculos que s einterponham entre mim e o meu sonho...Podes crer. Sempre fui forte e hei-de continuar a lutar. Sabe Deus como o tenho feito em demasiado tempo da minha vida...mas tem de ser..
Beijinhos, muitos..laura.



 
Ó pandorinha anónima; eu sou vidrada em Biografias, na tv quando dá aqueles 60 minutos e tem legendas e me interessam... e se são pessoas com sentido de humanidade pelo mundo e de querer fazer bem para endireitá-lo, ai nina, nem te digo, adoro... A Helen Keller, uma rapariga formidável..já tentei ser como ela na parte de ouvir com a colher de pau apertada nos dentes, mas, xiça penico, não sinto a musica assim... ser surda custa, mas cega e surda, ai Jesus, óh laurinha sortalhuda que és..olha ao teu redor...
Obrigada querida, isto é um exerto da minha vida e foi por causa do Kim me chamar dolce laurinha que levou ao Adamo dolce Paula, e depois lembrei-de e foi o fio da meada, foi só puxá-lo..
Beijinhos, muitos, da laura..


Ó Alkinha, o melhor d enão ouvir, foi o escrever, ler, querer aprender e lutar, tive de lutar e ainda tenho, parece que as guerras não acabaram ainda, mas, ainda tenho genica para outro tanto... Ah, nem te esqueças de ir ao hospital com a pascoalita, vocês prometeram ehhhh...
Aguardo-vos lá para o 3º dia que já devo estar sem efeitos secundários e sem visões como desta última vez, ai que a coisa esteve demasiado animada para o meu gosto...
Beijinhos da laura.



 
Pandorinha; esqueces que eu posso desligar o aparato quando não me apetecer ouvir...vós os ouvintes não podeis desligar, tendes d eouvir o marido a berrar, os filhos a gritar, a mãe a chamar, a vizinha a chorar, e eu? nananinaná...eu desligo, e quando o manel pensa que me chateia e quer discutir, eu simplesmente dou meia volta e deixo-o a falar sózinho e pelos vistos parece que ele gosta de falar com as paredes, ehhhh. beijinhos e claro que não gostando do barulho ou d atreta, desligo pois...beijinho pra ti de mim...


Vieira calado; parabéns a quem? mim num faz anos, mim já fez dia 11 de Dezembro, ou querias que passasse já prós 58? credo homem, credo primo, vamos deixar a vida rolar e ainda faltam 11 meses para o novo aniversário, ehhhh, primo, primo!...beijinho d alaura..



 
São, sãozita; eu disse que ia gritar no dia de Natal e bem alto MERRY CHRISTMAS...foi isso, e se me quiseres coampanhar estás à vontade, mas, prepara-te para correr que os policias algeman-nos e...ai, cadeia prá gente, espero que não!...Beijinhos.parigaça do nosso bairro, ora lembras-te deles por ali a seguir o pessoal e a distribuir piropos a torto e a direito? ahhh se te lembras...



 
Meu querido anjinho das luzes natalicias (ainda)...eu era linda sim, agora sou como já disse; cotinha, Mas que vaidosa fiquei quando veio cá um casal amigo que já não nos vê há mais de dois anos e disse; laurinha, desculpa, mas tu pareces filha do teu marido!...estás fresca, linda e nem parece que fizeste uma operação á cabeça, o que me ri ehhh e que bom, assim sinto-me mesmo linda...
Obrigada, enches-me de mimos e nem sei que te faça. Já pensaste em comprar uns óculos na loja dos chinocas? é que asim devias ver-me como sou na realidade, uma cota e mais nada!...
Beijinhos e miminhos pra ti e teus 3 principes e pró marido também, pois, pelos vistos o rapaz é bom, bom mesmo, mas que sortalhuda ó parigaça...laura.



 
querido roderick; acredito em ti e não és o único que já me disse isso. tenho amigos muito mais novos que eu. No meu Banco tinha um Luis Paulo, um amor de rapaz, devia ter os seus 32 anos, era um homenzarrão, lindo, querido e bom. Quando a vida começou a entortar para o nosso lado no aspecto monetário lá ia eu falar com ele para me explicar o que fazer. Deviss evr o amor com que me ajudava e tratava, era um respeito, um carinho que nem te digo! Até dizia ao ver-me aflita; D. Laura, juro que se o banco fosse meu ou mandasse e pudesse fazer algo, ficava já sem divida nenhuma... já não o vejo há muito, mas qualquer dia vou procurá-lo, eles mudam de banco constantemente, quero dizer de sucursal, etc etc...
Ainda nem sabe que publiquei os livros, e que já está tudo muito melhor, os miudos já estão formados, mas aquele moço era especial também, era e é mais um Anjo daqueles que fazem parte da nossa vida para sempre...
Obrigada querido roderick, pelo miminho e pelo amor que temos em comum, o amor de sermos irmãos no planeta terra!...Haja alegria e ouvirei em breve..prepara-te para o nosso livro ou nossos livros..um abraço enorme, da laura..



 
Ai pena, já reparei que gostas de dar à pena, mas deixas-me encabulada com tanta palavra que nem se aplica a mim...
Obrigada pelos mimos rapaz, mas, poupa a tinta que pode fazer falta pra novas escritas!...(estou a brincar pena, a brincar e fiz-te rir? espero que sim. Um abraço d alaura..



 
Girassol; ai, a corrente cresce, engrossa e como naõ me sentiria tão bem assim? ai nina, mas há pessoas por quem é urgente pedir, muitas pessoas que têm verdadeiras dores no corpo e na alma, e eu estou tão bem assim; não ouço mas nada me dói, nada e assim; canalizemos tanto amor e esperança para os que nada têm e tanto sofrem! Obrigada querida girassol, mas que bela lembrança..jinho da laura,, agradecida,sempre..



 
Talvez tenhas razão pascoalita, talvez, mas acho que a natureza já me fez assim, com o coração grande demais para caber no peito, mas, quem sabe, uma coisa é certa, se não ouvisse, nem escreveria muita coisa pois teria mais que fazer, como muitos de vós... e o sofrer, o privar-me de ouvir e contra a minha vontade...levou-me a olhar noutras direções e a sentir-me mais feliz e realizada...
Beijinhos nina e obrigada pelo carinho. laura.



 
Obrigada manzas, mas ler ot eu manzas transporta-me para bem longe daqui, numa terra de maçãs assadas e canela, ah, e que cheirinho! Beijinho e já lá vou..laura..



 
Tenho confiança nisso, Laurinha, que vais voltar a ouvir, não só esse vinil que tens guardado como muitas outras coisas, como a voz dos teus filhotes. Um beijo de quem torce por ti!



 
Olha só o que eu te fui recordar! Quando te falei do Rafael estava longe de imaginar o que ele tinha significado para ti e até pensei que nem o conhecias.
Dolce, tu eras uma miúda muito bonita e as pessoas lindas nunca envelhecem quando também são bonitas por dentro. Hoje és mais bonita ainda, porque em cima de ti cairam os anos da vida e da sapiência e isso ninguém vê, mas sente-se. Está dentro de ti. Miúda, tu és muito lutadora e tenho a certeza que voltarás ao som dos dias, das tardes e do anoitecer. Só ainda não percebi uma coisa; está para breve alguma intervenção cirurgica ou algo parecido?
Deus escreve direito por linhas tortas e quem sabe se Ele não te silenciou para que pudesses olhar a vida doutra forma? Nunca saberás como teria sidoa tua vida se não te tivesse faltado esse sentido.
Acredita tal como o tens feito até então e um dia acordarás com o mavioso som do vento a vira-te as páginas dum novo poema.
Cantar-te-ei então a Dolce Paola e trautar-te-ei estrofes que não lembrava. Assim será Laura, porque o teu alargado grupo de amigos não quer viver assim ... sin Laura, sin Laura, sin sus poemas!
Beijinho Dolce! Os arcanjos te oiçam!



 
Esse Luís Paulo! Não vias penas quando ias falar com ele?
;-)



 
Olá, bom 2009 para a autora e para todos os k por aqui andam!

Aqui continua bom. Potes, contentores, cargueiros de QI emocional!



 
Querido Kim; claro que espero em breve ser implantada, e só hoje se conseguirmos apanhar o médico, saberei se falta muito se pouco. É que quando fui fazer os exames para ver se o ouvido aguentaria o implante (antes disso, peguei nas duas mãos do médico, um ser maravilhoso e disse-lhe; Dr, eu e os meus ouvidos, aguentamos tudo e mais alguma coisa!) ele riu-se e já tinha visto a energia que a nina das resteas tem!..., mas como se descobriu um tumor beningno na cabeça, um Meningioma, fui operada passados 3 meses, não fosse o diabo tecê-las, correu tudo bem como não podia deixar de ser, e já foi em Abril, aliás foram duas operações, que é a melhor forma de tirar esses tumores, pois o meu não contente com o espaço que utilizou sem pagar renda, ainda se espalhou lá para trás para ter direito a colónia de férias e assim, eram dois intrusos a retirar!...Que bom quando acordei e só pensei pra mim; laurinha o juizinho tá cá todo, alegra-te pariga, e claro que quando acordei o meu mote como sempre foi...acho que até tive forças para erguer o corpo, meia deitada, sentada na cama nos cuidados intensivos e lembro-me de dizer, dêem-me uma folha d epapel e uma lápis para escrever aos meus filhos e dizer-lhes que já está, já está tudo bem!... pois não esqueci isso. O médico ao outro dia de manhãzinha quando me veio ver, pegou na minha mão e perguntou; D. Laura, já escreveu aos seus filhos? Já sim Dr, já falei com a Neide e mandei mensagens...e a dizer cá pra mim; não foi mentira a lembrança... claro que quando cheguei ao quarto antes de ser posta na cama já estava a pedir que ligassem o meu telelé p´ra Neide, em paris a trabalho, e fui eu que falei. pronto Neidinha, já estou na minha caminha, correu tudo bem, agora vou nanar tou sonolenta..e, claro que a rapariga estava numa ansiedade, e o Nuno já tinha ligado vezes sem conta para os cuidados intensivos. Era longe e todos tinham de estar no trabalho, aliás nunca fui piegas em que essas intervenções necessitam de ter a familia toda ao lado! O manel só foi buscar-me, a neide não estava, o nuno não podia faltar e os amigos tinham as suas vidas... Lidei bem com tudo e tinha lá um sobrinho do meu Manel que me ia ver muitas vezes, é mais novo que eu dois anitos e riamos e falavamos da vida,(Nasceu em Nova Lisboa e esteve em Moçambique há anos e isso era motivo para falar até ao fim da visita, de horas... e as enfermeiras eram todas amorosas e ai, tive uma sorte do caraças, e cá estou eu à espera para ir à faca, para poder ouvir. Não, nem tenho direito a ouvir depois das asneiras que nas outras vidas fiz. Sim, acredito nas vidas passadas e que tudo será pago até ao último ceitil...
Pois foi moço, por causa da Dolce Paola...levaste-me ao mundo do recordar onde passo muito tempo quando a vida é madrasta...
Claro que me vais cantar, claro que nos vamos conhecer, mas claro que gostaria de ter esse prazer muito antes do implante, para veres a verdadeira laurinha, só a alma, o resto nem presta, nem conta!...
Ah, o Rafael, muitos filmes dele vi no Miramar, ia com o meu pai à noite, a mãe nems empre lhe apetecia e iamos os dois, por vezes a pé ou de jeep no Land Rover, tão bom...
E por causa disso tudo tenho andado no youtube, ahhh lá me desenrasquei e quando vi como era o Dite a Laura ch'lamo, pois já tinha ouvido o disco nas colunas da aparelhagem na casa da Gi, em Luanda, mas não sabia como era o artista, e foi bom poder ver, embora já baço e envelhecido pelo tempo...adorei, e claro, dali saltei para o Rafael, e foi um fartar vilanagem!...
Beijinhos e fica bem...laura.
Obrigada pelo carinho.
Laura..



 
Ehhh Roderick, se via penas? Olha que não, eu não ia de penugem, nem tenho um buço assim tão grande, ó meu!...
Claro que ele é que era e é Anjo, embora um rapagão do seu metro e oitenta e tal, decerto, mas era a ternura e o amor em pessoa, e sabes que Deus manda muito disso prá laurinha, deve ser por ter peninha da nina, e como ela nem é tão má diaba assim; mas também tenho os meus momentos de mau génio...lá lá lá, sagitarianas são fogo, são umas metediças e querem fazer tudo ao mesmo tempo e não aturam mesquinhês, forretice, maldade, mau viver, enfim...dou-lhes cabo do canastro, aos que me quiserem infernizar a vida, ehhhhhhhh...
E sim o Luis Paulo se não via as minhas asas via e sentia as minhas penas!...
Grande abraço, apertadinho, daqueles desganar...



 
Olá o que me vier à real gana! Não é por nada, são apenas lembranças dos meus tempos idos e que guardo com carinho, assim como hei-de guardar estas que tão bem me fazem á alma!... Beijinhos e obrigada...laura.



 
Claro que vais ouvior esse vinil e muitos outros......até me vais ouvir a mim.....e isso sim vai ser uma dor de cabeça.....ahahhahahaha

Boas recordações, laurinha , sem duvida e eu que o diga.....

Beijokitas grandes linda.



 
Querida Laurinha... calculo que dês graças a Deus, todos os dias, por seres uma Mãe, Mulher e Amiga, Mavavilhosa.

Calculo que saibas que a maior parte das pessoas que todos conhecemos e tanto ouvem por aí.. não são sequer capazes de escrever uma linha coerente.. quanto mais os teus maravilhosos poemas dotados de tão sólidos e profundos sentimentos...

Calculo que saibas que há muita gente que infelizmente atravessa a Vida, sem conhecer sentimentos por nada nem ninguém, nem coisa nenhuma... mas tu és Toda Sentimento Verdadeiro pujante de forças...

Calculo que todos concordarão que é bom e uma mais valia nas nossas vidas, conhecer-te e ter o privilegio da tua sã amizade.

E todos sabemos que não colocas o teu desgosto acima dos teus Olhos, da tua Saúde, da tua Mobilidade, do teu fantástico Cérebro e Inteligencia, dos teus Maravilhosos Filhos que te amam profundamente e da Vida que tanto já te deu e fez conhecer.

Por favor Laurinha, dá descanso à tua alma e agradece-lhe quem és. És MARAVILHOSA.TODOS TE AMAMOS E NÃO É POR NÃO OUVIRES. Disso, nem nos lembramos. AMAMOS-TE.E O AMOR NÃO PRECISA DE VOZ.xi coração querida... continua a escrever e pf vai-me dizendo as coisas para o mail, porque só venho ao blog qd me mandas.bji para ti com infinito amor e grata por seres quem és. ( Estou à espera de ver outro quadro teu... venha ele.)



 
Nina parisiense; claro que já estou pronta por ouvir a ti, a ti, pois... já falamos ao telefone e claro, tu ouviste-me e eu nã, nã, mas sentia-te ali, isto é; visualizei-te interiormente... e senti empatia com a alma que me falava do outro lado!...
Beijinhos querida, muitos, muitos... laura..



 
Minha doce Ligia, Gi, o que for que te chamemos. Ah, a chama da nossa empatia nunca se apagou, apesar de só nos vermos por duas ou 3 vezes, (depois do 25 de Abril e 32 anos depois, saíste do carro, abraçamo-nos com ternura e como disseste, parece que tinha sido ontem que nos despedimos, e os 32 anos voltaram à estaca zero...) a amizade continua a florescer a cada dia que passa e temos uma vivência em comum por sermos vizinhas lá no Prédio do Carmona, e este disco, mais uma vez se fez lembrado e com ele as nossas doces recordações de tanta musica que ouviamos e quando o teu pai estava nem iamos prá sala, mas quando ele se ausentava em serviço e que bom...ahhh, punhas o som ao máximo, pulavas em cima dos sofás, saltavas pelos ares, cantavas, qual contorcionista e cantora, fazias que empunhavas o microfone e eu a ler-te deliciada, era bom para ti e para mim!... e quando eram horas da mãe chegar, por vezes só davamos por ela quando aparecia na porta da sala e nos fazia uma careta como quem diz; mas que é isto? e e tanto barulho, mas ria-se, era uma queridinha, sim, era...
Assim; Deus te pague tanto amor e ternura para uma nina dos seus 14, 15, 16 anos, e tu uma nina ainda tão pequenita que já entendias os sons do meu sofrer...
Obrigada querida. Sei que me enalteces demais e sou apenas uma pequenina parte do que dizes... uma laurinha sonhadora, uma poetisa feita das suas dores e uma amiga dedicada a todos os seus amigos, mesmo não os conhecendo, a alguns da net, dos blogues.... Bem hajas pois rapariga de Luanda!...
Envolvo-te o Ser no meu abraço sentido, mesmo sendo tu alta e eu pequenita, os meus braços envolvem-te no meu amor!... laura..



 
Arre que hoje nem precisam de gastar um euro e tal a comprar o jornal do dia. Há por aqui muito que ler... Beijinhos a todos, todinhos..laura.



 
Xi, pá, isto é com cada post dentro do post... :)

Claro que estamos todos a torcer por ti! Esperemos que a medicina tenha evoluído o suficiente para conseguires concretizar esse teu sonho. Tu e outras pessoas com o mesmo problema, evidentemente!

Beijocas, nina!



 
Oi Laura,
Como passou de reveillon? Obrigado pela visita.
Bjus.



 
Um linda lição, quando aprendemos que a revolta mais atrapalha que ajuda, seguimos melhor pela vida.

abraços



 
Laura minha amiga,não me atrevo a pronunciar seja o que fôr.
O respeito que nutro por todos os que durante a sua vida possam perguntar repetidas vezes:(porquê eu?).
Só me posso questionar,que direito tenho eu de me queixar?
Desejo que tudo o que anseias te seja proporcionado com o maior exito.
Que possas ouvir o teu vinil e tudo o que de bom há para ouvir.
Que todas as energias boas estejam contigo.



 
Pois.... e, aqui estou eu a recordar todos esses tempos...devíamos realmente termo-nos cruzado muitas vezes...
Nesta altura eu estava cá...interna por 2 anos em Viseu num colégio de Doroteias, chorando, com saudades...mas foi preciso, passou depressa num instante estava de volta, e aí desforrei-me dos dois anos de exilio...
Adorei tdo...hoje lá vamos nós em voo picado até à barracuda. Jinhos muitos



 
tété; por isso é que disse que não valia a pena comprarem os jornais diários..havia aqui imenso para ler.. Beijinhos nina, e obrigada..há mais que como eu anseiam ouvir, claro...

Oi Emerson, Reveilon? uau, passei em casa com meu marido, ele a ver tv e eu aqui no pc e a ver tv ta,bém..Os filhos não estavam e os cotas nem iam sair, nem apreciamos, e assim, foi mais uma noite. Beijinhos e obrigada que o seu tenha sido marvailhoso. laura..



 
Paula, doce paula, pois é, mais aos 17 anos queremos ouvir e queremos viver como todos e!... Beijinhos e claro que já não choro por coisas destas...


Olá jrom; já estavas a demorar...vou-me habituando e depois ninguém me cala...Pois é, quem pensa que não tem de tudo e tem saúde, eurinhos, um lar, uma boa familia, filhos bem na vida, de que se queixa? falta algo? sim; sempre...nunca se tem tudo o que se quer, enfim..Beijinhos e obrigada pelas boas energias.
laura..

Maria clarinda; é o que eu digo sempre aos meus vizinhos lá do bairro, já os vi e os abracei aqui e graças a Deus, moravamos tão pertinho que nem te digo, apenas com uma rua de intervalo.. disse-lhes que todos nós calcorreamos as mesmas ruas do bairro e da cidade, andamos nas mesmas praias, entramos em cafés Bares, restaurantes todos, ahhh fomos ao cinema ver os mesmos filmes, enfim...e eu andava sempre por ali, ia à Paiva Couceiro às retrosarias, à Casa Sabú em frente ao Colonial, a padaria era ali na outra esquina,ia aos CTT muitas vezes levar cartas para os meus avós e cartas de amigos, e sempre passava nesta casa Lisboa, se passava... o Miramar a pé eram alguns 10 minutos mais ou menos, das barrocas cá do alto, via o mar, o nosso mar e os paquetes, navios enormes chegar e partir...

Claro que vamos, mas péra lá, o meu Nuno chega amanhã e é melhor adiarmos o passeio em voo rasante pelos nosso Bairro e pela nossa terra amada...Seid e certezinha que quando formos para o lado de lá, poderemos planar por ali, se enos for permitido, tá claro, e ai sim, poderemos beijar a nossa terra, sentar nas nossas praias; S. Jorge, Barracuda, ou Restinga, Morro da cruz, Morro da Pedra, a Barra do Quanza e tanto mar, tanto mar que tinhamos para amar...depois vamos papa rum bitoque com todos, ah, eu quero uma Cuca e tu? Beijinhos.



 
Por mim pode ser na Portugália e ir até São Paulo dar um ´pé de kizomba funáná ou simplesmente ouvir os característicos acordes africanos.
Cuca, Laurentina,Mac Mhaon, que seja para festejar.



 
Jrom; pois ainda te lembras? Bora pra lá e já somos tantos, tantos, que mais dia menos dia temos de alugar uma barcaça e seguir rumo às terras quentes...
Funaná? olha que essa nem conheço ehhhhhhh, havia Merengue, e no meut empo de pequenita, dez anos, er ao Twist que a rapaziada ali divertia-se a valer... Ora bamo, bamo lá prá ilha, e mandamos vir camarõezinhos bem vermelhinhos, cuca pra mim!... e depois pdoe ser uma costeleta daquelas do tamnaho do prato...c batatas fritas e ovinho estrelado, ai que bom... e depois andar a pé por ali e falar, falar, enquanto a lua deixar!...e pra casa, ala que se faz tarde e amanhã tenho de ir trabalhar, prá Cabie An, no largo da Maria da fonte no Quinaxixe...Beijinhos e comemoremos à de todos os que por lá andaram, viveram, sofreram e amaram e cá voltaram!...



 
Passei para ver ... é que fiquei embaciado, depois de atravessar o Deserto do Namibe, com temperaturas quase ou até negativas, (só por decoro é que não digo que naqueles tempos, o "termómetro" estava sempre positivo, sinal de que o tempo era bom ...).
Acompanhar um MVL de Serpa Pinto ao Luiana, eram uns diazitos ...

Mas temos que falar sempre de alegrias ... viam-se paisagens de encantar, em longas savanas ...

É para terminar ...



 
Bem, boa noite Laura. Obrigado pelo bom comentário deixado no real gana!



 
Xistosa. Há pára brisas no mercado quase , quase, grátis, embaciar ao ler os meus amigos sim, mas espero que nem acredites em tanta baboseira, é que eu nem sou assim...ora, ora, eu que o diga...
Na verdade estive em Windhoek, sobrevoei o deserto o Kaalari, e vi de tudo, ah, ainda dizem que não devemos lembrar o passado? ai, essa não, eu quero recordar todos os bocadinhos por lá, que, tirando a consulta médica, foi tudo lindo para guardar cá dentro...Vivi experiências que na cidade nunca teria, passei por momentos de pura magia no ouvir dos tántãs, (eu estava ao lado dos batuqueiros, sentada no chão, pernas cruzadas, a fogueira a arder, ai mãe, o céu estrelado, pois não havia candeeiros nas ruas...e assim só posos dizer; bendita experiência que me deixaste encher o coração de mais amor!... As luzes colhia-as no deserto, nas savanas sem fim!...
Beijinho e obrigada por te lembrares de mim...laura



 
O que me vier à real gana. Obrigada eu por poder entrar num lugar tão bonito e de escrita maravilhosa!... Um abraço e irei entrando quando o tempo o permitir...laura.



 
Laurinha, doce Laurinha tu já sabes que em mim para definir a pessoa que és, é inconcebível em palavras exactas.

Percebo este sofrimento atroz, contínuo e embaciado nas trevas da escuridão. A inesquecível revolta da infância e adolescência, os porquês sem fim, sobretudo o ódio de não puder ouvir as notas das canções, os barulhos da natureza e da música.

Mas sabia que um dia o momento iria chegar, na altura certa...

Lembro-me, aos 7 anos de pegar num pianino da casio, de aumentar o volume e encosta-lo ao meu ouvido a sorrir, sentir a música circulando adentro, suaves cócegas, suaves melodias... com tanto amor não fui capaz de desligar e no fim adormeci com a música a cantar. Eram os dias felizes da infância, nela guardo recordações.

Mas tu Laura, agarra nesta esperança contida quando tudo parece efémero e perdido. Dou-te a minha força rejuvenescente e pra mim és uma inspiração! Uma alma de sonho, a heroína e sobretudo um verdadeiro exemplo!

Minha querida, daqui nada estarás a ouvir como eu, implantada.
Mil beijos
Sun
(Alice)



 
Enviar um comentário



<< Home