A minha Poesia em pps
Formatado por Zélia Nicolodi, Vitor Campos e Estrelinha d'Alva
(clicar na Imagem)

















Quero Alguém


O meu tecer de Esperanças!...


Já escalei a minha montanha!...


Amar-te-ei Sempre!...


Não te vás nunca!...


Não foi o ocaso


domingo, agosto 08, 2010

 

Em cada esquina do Mar!...



Em cada esquina ______ do mar

vou fazer o meu lugar _____.


Em ____ cada concha apanhada

terei um pouco ___ de nada.


Por cada estrela _______ caída

muitas mais __ darão luz.


Nos grãos de areia ____ da praia

os meus pés ___ irão correr.


E quando o dia nascer _______

vou chorar ___ e ___ agradecer.


Os barcos __ que andam à deriva

a mil portos _____ me vão levar.


Um marinheiro em cada porto

____ eu irei procurar________


Enquanto a lua ____ não chega

é com eles ___ que vou amar.


E se a madrugada vier ________

e eu estiver acompanhada ___!


Passa ao largo_____ ó pescador

na minha rede _________

não há peixe ____ só amor!








Comments:
ese mar que me escucha,
que en cada ola se acerca,
me dice: aquí estoy,
me mueve el piso de arena,
me salpica en besos salados,
me invita a dejarme abrazar,
a dejarme recorrer en lo profundo,
a ser parte de él mismo,
a llegar una y otra vez
hasta tus pies, hasta tus manos,
y hasta tus labios tibios.

un besito
de javier para laura



 
Hola Javi, qué romantico es usted e como escribes tão a justo lo momento.



Ese mar que nos escucha
ese mar que nos rodeia
és lo mio e és lo tuio.

Ese mar que no se averguenza
de hablar de amor
com una chica mais velha.

ese mar que nos acerca
nos leva en su mano
e deixa nossos corazones
bem cercano!...

Javi, saiu asi, e asi seguirá com besitos de laura para su amigo del Uruguay...



 
Lindo o teu poema Laura.
Diz-me onde fica essa praia para que eu possa lá morar.



 
Luis, ora pois, então não viste o mapa? em cada esquina do mar...se o mar tem esquinas, então eu vou encostar-me lá...acho que saiu engraçado...

Em todas as esquinas do mar
um amor se há-de encontrar
em cada esquina do mar
lá estarei a esperar...

Um beijinho da laura



 
Laura, adorei seu poema.Muito lindo
Beijos.



 
Sereia do GT
Princesa de Thedon
Flor de Linho
Dolce Laura



 
Querida Sapinha.
Em cada esquina do Mar? Por acaso não estarias a lembrar-te do Zeca Afonso? Pois bem , então digo-te o seguinte

Não conheço esquinas no Mar
Não conheço portos sem amarras
Não conheço barcos sem arrais
Não conheço pessoas a mais
Não conheço pessoas sem as amar

No meio do mar nascido
No meio do mar criado
No meio do mar perdido
No meio do mar apanhado
No meio do mar proibido

Minhas entranhas vieram do mar
Minhas cinzas vão para o mar
Minha alma irá para o mar
Minha vida foi no mar
minha humildade está no mar

Vejo velas no horizonte
Vejo um barco a partir
Vejo do mar serra e monte
Vejo um porto para ancorar
Vejo o mar como uma ponte

Se sentires a brisa marinha
Se sentires o vento de leste
Se sentires que na marinha
Se sentires picar na linha
Se sentires temporal há peste.

ESpero que na póxima 4ª feira, a moamba esteja pronta, vou sentar-me á mesa mesmo sem convite. Beijos e abraços daqui para aí.



 
Obrigada querida paloma, é simples, saiu assim..Beijinho da laura



 
Kim; que te deu?...

Sou tanta coisa linda mas feia também, ahhhh sabes do que falo, e quando se trata de embirrar, pois, embirro também.

Sereia serei
de um mar sem rio
uma flor de linho
nem que seja no meu ninho
serei uma princesa
sem seu cavaleiro
terei em D. Thedon
o meu sucateiro?

Já que o homem anda armadilhado em montes de sucata!...
Beijinho a ti rapaz querido do meu coração..laura



 
João, não sabia que o Zeca Afonso tinha algo a ver com as esquinas do mar...

versejas que sei lá e consegues ser original..Força aí na escrita..
Um xi apertadinho da laura



 
Nina,
Lindo, muito lindo o que escreveste, o que não é novidade para nós porque sabemos todas as tuas capacidades literárias e poéticas...
Mas mesmo habituado à tua escrita, este poema achei-o algo diferente, meigo, terno, eloquente mas resoluto, cheio de poder e de perseverança!...
Se existe alguém que merece toda a felicidade do mundo esse alguém esta tu, Nina.

Caramba, como é lindo o que escreveste hoje.

bjs Nina,
da Ana e Osvaldo.

Ps. Ontem eu e a Ana falamos muito de ti em Turim, Itália, mas com muita ternura!... não te arderam as orelhas?. héhéhé.



 
Não Osvaldo e Aninhas, nem por siso, apenas senti meu coração banhado em ternura, em paz e amor pois sei que os bons amigos que tenho, jamais falariam algo menos puro...a nina das resteas é e será sempre a vossa nina, doa a quem doer...

Essa poesia saiu assim em momentos de saudade do que a vida poderia ser mas por enquanto ainda não é. Não é porque para cada hora as suas coisas e pelos vistos as minhas horas boas ainda vão demorar...
Mas eu espero por elas, em cada esquina do Mar, mar que rima com amar...

Amo-vos meus queridos Osvaldo e Anita, amo-vos sim... laura



 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.



 
*
Pescador da barca bela,
Onde vás pescar com ela,
Que é tão bela,
Ó pescador?
Não vês que a última estrela
No céu nublado se vela?
Colhe a vela,
Ó pescador!
Deita o lanço com cautela,
Que a sereia canta bela ...
Mas cautela,
Ó pescador!
Não se enrede a rede nela,
Que perdido é remo e vela
Só de vê-la,
Ó pescador.
Pescador da barca bela,
Inda é tempo, foge dela,
Foge dela,
Ó pescador!
,
in-Almeida Garret
,
foge dela
que ainda há tempo
srsrsrsrsrsr,
,
um mar de estima, deixo-te
,
*



 
Laura meu anjo você é meu doce mel.

., . - . - , _ , .
.) ` - . .> ' `(
/ . . . .`\ . . \
|. . . . . |. . .|
. \ . . . ./ . ./
.. `=(\ /.=`
.... `-;`.-'
......`)( ... ,
....... || _.-'|
........|| \_,/
........|| .*´¨)
¸.•´¸.•*... ¸.•*¨)
(¸.•´ (¸.•` *
*´¨)Aos meus queridos amigos, um вєιנo e uma flor♥*♥
¸.•´¸.•*... ¸.•*Franciete*férias*
(¸.•´ (¸.•` **♥*♥



 
Olá querida Laura,
Eu vou contigo ou melhor: posso ir contigo? Prometo que, quando fôr necessário me mantenho à distância!...rsrsrsr
Que poema lindo...que me fala em tantas coisas que eu gosto!...
Beijinhos,
Manuela



 
Poetaeusou...Agora é que sei porque escrevi assim...na certa era a sereia do pescador da barca à vela..e só agora me lembras-te...

Escrevi este poema há dias, em momentos de serenidade e paz, depois de chegar do mar! Ele tem nostalgia, ele tem o que de melhor a vida me deu, os meus segredos de menina e de mulher!... nas terras distantes de Angola, foi lá que meu coração ficou!...

Aquele apertadinho abraço ó poeta eu sou, e obrigada pelo carinho de transcreveres o poema do Almeida Garret...

laura



 
Querida Franciete, na verdade sou mais diaba que Anjo..pode crer..tenho momentos ahhhhhhhhhhhh..
Boas férias muito amor e muita paz.. aquele abraço apertadinho da laura



 
Querida Manu, para onde eu vou, todo mundo pode ir, a vida é livre e o meu barco nem tem ancora...ela há-de parar para cada um de nós sair no Porto que desejar..em paz, alegria e amor...
Deste-me uma sugestão para um post, já fiz um nos começos do meu blogue, talvez há quase 4 anos...chamei-lhe o barco do amor, e realmente muitos ninos e ninas foram ficando cada um no seu Porto, foi riso demais entre todos...
Sê sempre bem-vinda minha querida manu..e com alegria partilharia um barco contigo, teríamos muito tempo para falar das nossas vidas...

Aquele abraço apertadinho da laura



 
Querida Sapinha.
Quando me referi ao Zeca Afonso, lembrei-me da canção Grândola Vila Morena em que tanto como tu, arranjava amigos em todas as esquinas, tanto no mar como na terra. Ele dizia:-
Em cada esquina um amigo. Em cada Rosto igualdade.
Quando se te conhece, verificamos a tua amizade, em cada esquina...



 
João, lembro-me dessa parte...e é bem linda a letra, e como falei em esquina do mar, mas o mar não tem esquinas, nem poderia...

Aquele apertadinho abraço para ti e Nandinha, da laura



 
Olá querida Laurinha,

Este calor que se faz sentir ultimamente - e que como africanas, gostamos, não é ? - a tua alma foi refrescar-se ao pé do mar e resultou este lindo poema muito suave e romântico. Parabéns ! até me senti refrescada por estas tuas lindas palavras !
Cada vez que eu for ao pé do mar, lembra-me-ei do teu poema.
Por acaso, o Leo foi fazer o seu desporto à beira do mar, eu não fui por ter muitas arrumações a fazer em casa. Aproveito a sonolência da blogosfera - e que sonolência !!! - para fazer no meu PC, entre outras arrumações - aquilo que não consigo fazer durante o ano !

Beijinhos, amiga Laura
Verdinha



 
Laura,
Deixei comentário ontem e não aparece. Terá ido com as ondas do mar?
Que bom que deve ser transmitir tão bem as nossas emoções assim. Isso é um dom, minha querida!
Xi



 
Olá LAURA!
Sem que levantes grandes ondas a tua poesia continua a brilhar, em cada esquina do mar. Parabéns!
Abr amiga,
J



 
Olá Laura!

Este é um texto muito bonito, cheio de criatividade ao ritmo da fantasia - barco que sempre nos leva aonde nós queremos chegar. E como fala de amores, portos e marinheiros ... só podia gostar muito do que escreveste.

Beijinhos.
Vitor



 
Verdinha...calor só sabe bem à beira mar, debaixo de uma palmeira a abanar...

O pessoal tem calor demais, e preferem a fresca ou a penumbra de uma casa de férias!

Ando aqui aos soluços pois tenho coisas para fazer..

Também tenho feito poucas visitas, estou é a receber e que bom..ainda se vão lembrando da nina das resteas..
Um xi apertadinho da laura



 
Bacouca, bacouquinha, não te queres referir ao post de ontem? ah, parece que comentaste lá, ora espreita...mas comentes onde comentares, eu vou ler...

É um Dom que já existia e do qual eu pouco caso fazia, muito escrevi e nunca guardei... e agora, ou seja, aos 55 começou tudo a vir cá para fora..é a forma que sei... de deitar as dores, os amores, desamores, ao ar...
Abraço apertadinho da laura



 
Jorge; que giro o que disseste, soube bem ler-te..
Aquele apertadinho abraço da nina das resteas.



 
Vitor, saiu assim, ao sabor da maré em verdes águas, como diz a velha canção...

Aquele apertadinho abraço da laura



 
Mar encontrado,
mar perdido,
mar da esquinas
Mar dos amigos
Mar do horizonte
onde os sonhos vivem
Mar das sereias
dos poetas dos amores
Jinhos



 
Multiolhares.


Mar dos poetas
e das meninas
de olhar perdido
buscando no horizonte
a ténue linha
que as separa do inaudível
ansiando que acabe
o mar de tormentas
e a vida siga
entre ondulares de marés
que caibam numa mão
e nos chegue ao coração...

Beijinho a ti e anda barquear...
laura



 
Enviar um comentário



<< Home