A minha Poesia em pps
Formatado por Zélia Nicolodi, Vitor Campos e Estrelinha d'Alva
(clicar na Imagem)

















Quero Alguém


O meu tecer de Esperanças!...


Já escalei a minha montanha!...


Amar-te-ei Sempre!...


Não te vás nunca!...


Não foi o ocaso


terça-feira, agosto 31, 2010

 

Ah, e a saudade voltou!


Não é todos os dias que recebo um presente assim! com direito a caixinha, nome gravado...

Trouxe-me um amigo que veio de longe, tão longe como a minha terra amada! Esta lembrança viajou pelo mundo, foi parar às mãos de quem mandou gravar a caixa, colocou a terra vermelha nela, pois o que estão a ver é nada mais nada menos que um pouco da minha terra amada!

Luanda; perguntas-me o que sinto ao sentir de novo o teu corpo nas minhas mãos!

Sinto que renasci ao tocar-te
voltei a ser a menina
que percorreu teu corpo
com os pés descalços
imersos nas águas do mar
quando o sol começava
a despontar.

Voltei a ser criança
e a ouvir
a doce canção de embalar
da terra mãe que me soube amar
e guarda em si
o amor
com que toda a vida hei-de sonhar.

Obrigada a todos os que deram as mãos para que este pedacinho da terra Mãe pudesse chegar até mim. Não haja dúvidas que a caminhada foi extenuante, mas, valeu a pena. Valeu, pelas lágrimas reprimidas há tanto tempo que com a visão e sentindo-a de novo, meu coração recomeçou o seu palpitar! Como se tivesse parado no tempo e ansiasse de novo aquele TOCAR!... (jamais poderei agradecer tão bela dádiva)
Amo-vos ó minha gente, gente que lado a lado comigo palmilhastes a Savana vermelho dourado!
aspirastes o mesmo cheiro da terra queimada, vimos o por-do-sol na sua cor vermelho sangue,
somos gente da nossa gente, gente que sabe o que é amar até para lá do sol poente!
Que felizes dias pela terra vos acompanhem!






segunda-feira, agosto 30, 2010

 

Vai uma ensaboadela?


Não é todos os dias que o faço pela razão que nem o tenho.
A minha mãe tem uma casinha linda, rasteirinha como eu lhe chamo, simples, mas tem um jardim que adoro, são montes de flores, de cheiros, de cores. Com a rega vai uma pá, mais uma mãozinha aqui e ali e...

Resolvi que queria regar o jardim ( a água é do poço ). Arregacei os calções, descalcei-me e toca a começar numa ponta, ah, que mãos largas sou a regar. Não havia folha que não levasse uma ensaboadela, como se diz. O chão estava quente, lá ia uma mangueirada para refrescar os pés, os braços, a cabeça, não tardei a ficar que nem pinto calçudo... qual rega automática, isso tira todo o prazer de regar, de exalar o odor das flores naquele momento.

Mas lá vinha a D. Elisa para poupar a água... Já repararam na brisa que trás o suave aroma das flores? e quando regam para o ar, as árvores e arbustos, se forma um arco- íris de cores? Pareceu-me ouvir a voz das flores, árvores, a dizer; obrigada nina, soube bem a banhoca!
Vai uma ensaboadela das minhas? com o calor que está!...






domingo, agosto 29, 2010

 

Quem diz que cota não bola e rebola?


Distrair o namorado da filha não é assim tão difícil. O rapaz é querido e desde o nosso primeiro encontro que nos damos bem. Vá lá. É mimo p'ra lá mimo p'ra cá e podem ver-nos pelas ruas da cidade abraçados.

Ontem estava um dia lindo, calorento. Vamos até à praia disse ele? Vamos pois, mas que bom. almoçamos e, bora prá praia. Esposende gosto muito.

Quando saímos do carro vejo-o pegar numa bola colorida. rio-me e digo; ena, vais jogar sózinho à craque? quem sabe, diz ele.

Ah, praia sol e mar. Haverá algo melhor numa tarde de sábado? Deixo-me ficar de calções, nunca os tiro. Não sou capaz de me expor sendo gordinha de pernas para cima até à anca... vejo as mulheres tão gordinhas e anafadas, na maior sem complexos, algumas até metem dó, mas cada um é como é. Eles também. Detesto homens com aquelas barrigas enormes, minha nossa, dão cabo de tudo, ficam foleiros por mais finos que sejam... sem referir que detesto aqueles mini fatos de banho e então quando são gordos... ó balham-me. Elas também podiam ver que o biquini deixa as banhas de fora no cimo da cueca, e se usassem fato de banho, escondia essas banhas indesejáveis, parece que não têm espelhos em casa. Nas novas ainda se desculpa mas da minha idade!... Bom, é o que reparo quando sentada observo tudo e todos.

Dali a nada o rapaz começa a deitar a bola ao ar, dá pancadas com as mãos e sem sair do lugar, atira-ma, ah, sai p'ra lá petiz...eu jogar? tás tolo. Mais que fazer... continua e eu mando-a de volta sentada. Bem, levanto-me, que fora de tom, raramente mandava a bola para onde ele estava ia mais para a esquerda que outra coisa. Já não jogo à bola há anos. Pera aí, força pariga, vá lá, concentra-te, xi, foi coisa de minutos. Bola p'ra cá atirada com os dois braços bem erguidos acima da cabeça e com força. Ele olhou-me admirado, e disse; eh lá. Nem lhe dei tempo de absorver que tinha encontrado uma adversária à altura... Como tinha a bola do meu lado ahhh disse-lhe, quem deixar ir ao chão paga um geladooooooooooo, estivemos nisso mais de meia hora, era ao pé, ao murro ao braço, como dava. Confesso que fiquei feliz pelo exercício, rebolei areia abaixo a defender... corri pelo mar a apanhar a bola, meti-me na água até à cintura... depois sequei os calções a andar e viemos embora. Quem pagou o gelado no Pé do Rio? eleeeeeee, os dois sentados a ver o vai e vem dos sky surf... das motas d'água, dos barcos a chegar da pesca, mas que cenário lindo. (na imagem dos barcos é o lugar onde nos sentamos mais acima)
Feliz domingo para todos, o meu? sempre feliz sempre com algo para inventar.
laura






sexta-feira, agosto 27, 2010

 

As pedras maravilhosas da minha vida!



Hoje não faço a lida ou seja, ontem fiz demais e hoje chega... Não me apetece nadica. Só vou fazer o almoço e em seguida vou zarpar, é o mês das férias, tenho saído tanto, andei no laró ou no larú vezes demais, e parece que está a pegar esse desejo de sair de casa e andar com as amigas. e os amigos ora pois! Sempre, não prescindimos dos nossos queridos amigos!
Subir ao morro do B. Jesus, ou sentar na escadaria do Sameiro a ver as horas passar num encanto de palavras, pensamentos, brisas que me trazem o doce sussurrar d'além mar em palavras ditas no aconchego do amor!

Meninas Glorinha, Sãozita, Jusy, Maria João e Sylvia, (a Lurdinhas tem de trabalhar,que pena, logo quero-a ali...) as meninas riem demais naquele lugar sagrado, por isso as mandei falar mais baixo enquanto tinha um diálogo com o meu Anjo! Ah, a Nossa Senhora do Sameiro deve gostar quando vamos para lá todas juntas fazer sala, e porque cargas de água junto d'Ela só se deve rezar? Ela deve rir-se com as nossas maluquices, só ela sabe ver dentro dos nossos corações de amor!

Gosto quando vamos para lá qual bando de rolas mal comportadas a rir e a falar pelos cotovelos, apressadas para assistir ao que de mais belo lá temos, o por-do-sol.
Sei que as férias estão a acabar e com elas as nossas muitas vezes juntas. Mas já sabemos que de Outono temos o programa dos chás, os cházinhos que a nossa Glorinha faz e nos mima a todo o instante...além de que os sábados continuam como sempre para nossa alegria e nos tornar os dias maravilhosos envolto em poesias dispersas por ali...

Amo-vos miúdas da minha vida e quero ter-vos sempre a meu lado. Sois o Sol de Braga para mim! Sois as pedras coloridas do meu caminho! que junto de vós se torna num mau caminho (ah, as malandrices contam para aqui!)

Hoje o programa será de arromba, mas quem quer saber? apenas nóizinhas e mais ninguém, uma dica; vamos para lá do mar!...

Bom fim de semana para todos os meus amigos e amigas bloguistas!






quinta-feira, agosto 26, 2010

 

Haja silêncio nas palavras!...


Fujo dos maus pensamentos como o diabo da cruz! o pensamento chega-nos em forma de palavras, logo, temos tempo de as corrigir antes que saiam da nossa boca... Seja sobre quem for, tento sempre pincelar a pessoa que me está a causar confusão no pensamento, de melhores cores. Justifico isso pelo pouco que essa pessoa tem dentro de si, essa pobreza de sentimento que, julga ela, lhe dá o direito de julgar o próximo à sua maneira! Só que pela Lei da vida, cada um receberá por tudo aquilo que dá ou nem dá!

Admiro-me quando vejo pessoas de cultura elevada, não saberem usar as cores tão belas nas palavras feitas de bons pensamentos! Atiram pedras a tudo e todos, orgulhosos brandindo a pena da palavra com uma pedra na mão!

Mas, há sempre um mas em que essas pessoas não atentam... As pedras que atiram, esperam-vos um dia numa curva qualquer do caminho!

Até posso dizer como o Pessoa; com as pedras que me atiram, um dia construirei um castelo!

E das palavras que leio, nem todas belas, claro, prefiro guardar o suave perfume de uma rosa, pois quem mal fala, sua boca suja, já o meu pai o dizia!
Ah, aspirem o suave perfume dessa rosa linda, e falem como se a tivessem na boca, ignorem os espinhos pois as más palavras são apenas espinhos que precisam ser mondados!... e com o tempo, acabaremos por chegar lá !






segunda-feira, agosto 23, 2010

 

Romeu e Julieta ...


Todos os amores começam assim...

Eu te amo, eu te amo, te amo tanto...

Eu te amo, eu te amo, eu te amoooooooooooooooooo minha Julieta...
Estou apaixonado! já não como, já não durmo depois de te ver tão boa cum'ó milho!
ó Romeu, muda de disco! só arrulhas, arrulhas, arrulhas?
que lentoooooooooooooooooooooooo !...

Ó ternura envolvente, eu dou-te um beijo
tú dás-me dois ... ah Julieta quer-me parecer que usas chanel nº 5 ...

Chega de treta, já vais tarde ó meu!... oops, não estás lá a ser muito gentil, vê lá se vais ao Dr. Tallon e emagreces um pouco, ou não viste já o Kama Sutra?

Que gostosura, o amor é assim... nem precisam de colchão, têm as suas penas... deixa virar o disco, digo as penas, é que és pesadote rapaz!...

Mas que posse em magia, tão bom amar, o amor faz-nos abrir as asas e pairar pelo espaço sideral! tão bom ter com quem compartilhar, as penas do amor!... E à vista de todos não escondem que se amam, porque o amor é puro, é de quem o quiser agarrar!... Não precisam de quartos com espelhos, camas perfumadas... Eles amam-se quando se querem amar e o resto é treta!

Lá vai uma, lá vão duas, três pombinhas a voar... Uma é minha, outra é tua, outra é de quem n'agarrar!...

As fotos foram enviadas pela Aninhas e Osvaldo, tiraram-nas na Basilica de Santo António em Pádua, Itália, logo, o amor é livre entre muros e flores... que mais belo cenário o amor precisaria?...






domingo, agosto 22, 2010

 

E o dia chegou!



O Leão verde, nome do meu vizinho irmão do Marius, viviam em Luanda uma rua depois da minha, tinha a rua de Benguela pelo meio, depois a do Lobito, estavam no trajecto por onde eu passava sempre que ia à Paiva Couceiro ou à Casa Sabú, aos CTT em S. Paulo a rapaziada passava o tempo em frente à Casa Lisboa, eu passava muito senhora de mim, claro que se metiam comigo, assobiavam eu dava conta não por ouvir mas porque olhava como quem não quer nada e lá estavam eles a dar ao assobio... coisa que o Leão verde confirma entre risos pois quem é que se vai lembrar disso passados quase 40 anos... na foto aos 17, 18 anos, mas quem diz que não era giraça... Ai que saudade de Luanda, ai que saudade meu Deus! a foto é na fortaleza de S. Miguel se não me engano!

Bom, como nem todos sabem, encontrei o Mário ( o moço que me ofereceu o blogue) através de um blogue amigo, a pascoalita, só depois de falar em Luanda ele me perguntou de que bairro era.. S. Paulo, ah, rua? dos Pombeiros e António Enes, dali veio a foto para ver se nos lembrávamos um do outro, a minha é a que está no resteas desol, e o mano dele o leão verde, lembrava-se de mim pois ele ia muito a casa de amigos meus e eu lembro-me dele também, assim, apareceu cá um dia já há quase 4 anos. Foi uma alegria relembrar a nossa terra amada, voltamos a estar juntos, e o tempo foi passando, a promessa de cá vir avolumava-se... eu vou aí, eu vou eu vou e nada.. não dá. Ontem fui ter com ele e o irmão mais a Glorinha na Árvore em Vila do Conde num encontro de gente da nossa gente... bem, já sei que quando me abraça não se fica só pelo abraço!
ai as minhas costelas...

Obrigada pelo carinho miminho com que me tratas sempre, soube bem andar por aí, almoçamos os 4 na maior, ao som das músicas de Angola... foi bom aparecer o Lessa, ah, que risada à mesa, que doidos varridos... falamos de tanta coisa, ou seja, matamos a saudade da terra vermelha que entre nós nunca há-de morrer... e que bela que é a nossa terra vermelha...
Assim; obrigada Marius por estares na Pascoalita na hora certa e através de ti cheguei ao leão verde, à D. Lina que também já abracei...






quarta-feira, agosto 18, 2010

 

Entrem, encontram-me no jardim do amor!


Desta vez é um encostar de porta... Tenho saído todos os dias e venho para casa, volto a sair, enfim, os encontros deixam-me num êxtase profundo...

Os encontros e os passeios que dou pela natureza em busca do meu sonho, um sonho que preciso de sonhar e de trabalhar para que ele aconteça!...

Um sonho que foi mais uma visão e que preciso de concretizar. Sei que quem me deu a visão, me mostrará o resto do caminho e tudo fará para que a visão aconteça...

E entretanto vou tendo os meus encontros a que chamo "os meus encontros de amor"

Se der, ainda passo nos vossos blogues, tenho sempre saudade dos meus amigos e como a maioria anda por aí de férias... aproveito e faço férias naquele tão Português "vá para fora cá dentro" e acreditem que para mim; férias, são onde o amor e o sonho se encontram...






segunda-feira, agosto 16, 2010

 

Parabéns ao Zé do canito...


Não fosse a nina pascoalita, ainda hoje não sabia que o nosso querido Zézito como eu lhe chamo, é aniversariante, embora já tarde pois estive com a dona Elisa na vadiagem, ainda vou a tempo de deixar um grande abraço e bem apertadinho..

Aqui está o salão à maneira, cabemos todos, somos muitos os teus amigos da blogosfera...

Zézito, aí vai o bolo que sem ofensa, é um bolo próprio já que tem um canito mais um bolo... a vela serve à falta de melhor... mas primeiro refresca-te na taça que a menina dá-te umas escovadelas no pelo!...


E agora, tchim tchim que o nino Zézito é mesmo ninito hoje...

Aquele apertadinho abraço da nina das resteas..laura






sábado, agosto 14, 2010

 

Qual a idade para amar?


Vejo-os pelas ruas sem vergonhas ou receios, jovens, muito jovens, quase crianças, de mãos dadas, aos beijos, e lembro que já fui criança, já fui jovem e sou mais velha agora... mas a idade nada tem a ver. O amor nasce porque tem de nascer, e a gente faz por isso, claro...Porque é na nossa cabeça que o pensamento ganha asas, e o sonho passa a ser paixão que se for para durar se transforma no tão badalado do amor!...

(A Dama e o Vagabundo, as personagens dos filmes da Walt Disney que mais gosto)

É que se vejo jovens e menos jovens nas suas cenas românticas, pelas ruas... Hoje vi um casal de cotas que se faz favor, estavam a exagerar nos arrebates de amor. Na cidade há enormes bancos de pedra, sentei-me ali a apreciar os turistas que enchem a parte mais cool, perto da fonte... Eles chegaram de mão na mão, o que me levou a pensar que, marido e mulher não podiam ser...pois para essas cenas (e que cenas) tinham a casa deles... que melhor forma de amar, senão na intimidade resguardando a privacidade?

Já longe perguntei-me; mas o que tem de mal? se era amor o que é que eu teria a ver com isso? e se eles se amam então que continuassem pois a vida é deles... se não são marido e mulher? o problema também é deles, claro... mas será que há um limite certo para amar? ou os cotas não podem também namorar e atreverem-se a fazer dessas figuras?






quinta-feira, agosto 12, 2010

 

Ontem foi dia de festa!


Festa para mim é quando há algo a comemorar e quando a casa se enche de amigos que tal como nós, cultivam o amor a mãos largas!... a amizade sem fronteiras...

Há 31 anos que o Nuno chegou ao mundo para alegria de todos os que compartem a vida com ele, especialmente à vida da nina das resteas que é uma mãe realizada e feliz!

Preferiu caril para os amigos, teve receio que a moamba fosse esquisita para quem não conhece os desgraçados dos quiabos que todos retratam tão mal e que eu e todos aqui em casa, adoramos! (Mais uma vez, Deus te pague João pelos quiabos que me enviaste e cultivaste)
Estava tudo a preceito, duas mesas, éramos 9, 3 de casa e os restantes, a namorada e dois casais amigos do Nuno desde rapaz!

Não é que houve um apagão em Braga, Braga ficou às escuras! e a ventoinha? e as bebidas geladinhas? ai, ai, ai laurinha... que suadeira. A comida estava pronta e eles chegaram, fomos para a varanda e beberricamos uma garrafa de verde gelado, aliás o vinho que tinha para o jantar, verde e maduro, nem lhes tocamos, os rapazes encarregaram-se de trazer e já vinham à temperatura que o tempo exigia, fresquíssimo.... Faltava a Margarida, médica que sairia mais tarde. A casa eram velas por todos os lados, davam um efeito lindo, tirei essas duas fotos, na mesa parece que tem luz, mas em volta não, está tudo às escuras. Eis que a Margarida chega, a namorada do Pedro e mal ela entra nas sala as luzes da casa como por magia acendem-se todas, reparo nela, que linda menina e disse alto; Chegou a Margarida e trouxe a LUZ com ela... Foi tiro e queda, logo, a miúda além de linda é um Ser de Luz!... Como eram os dois casais amigos ... Filipe e Ana, ah, tão lindos, o Filipe ficou à minha frente, lógico que a treta só podia ser como foi, uma constante cumplicidade!...

O Pedro, namorado da Margarida, trouxe-me uma Quercioli - Medici Ermete Reggiano Lambrusco Rosato D.O.C. DOLCE... tirei essa foto para verem o Dolce de perto, mas...

vá lá que ele já devia saber que eu sou a Dolce... (alcunha que o Kim me pôs) geladinho, ui, ainda ficou um tico e vou bebê-lo agora ao almoço para comemorar o excelente acontecimento de há 31 anos... e assim; Parabéns meu amor, meu querido Nuno, amei ver que tens amigos da nossa classe, logo, a classe da amizade e do amor, companheirismo. Sabe bem ver-vos trilhar a vida por caminhos que sabemos onde nos vão levar!...
E, é a primeira vez que a Neide não pode estar presente, claro que falaram os dois nesse dia, mas, a ausência notou-se, e os amigos que vieram são amigos dela também, falamos nela que nem sei...

Escusado será dizer que os convidei para voltar, que não precisavam de trazer nada, só tinham de me avisar por email!...






terça-feira, agosto 10, 2010

 

Ei... pessoal!... com este calor... andor daqui para fora!


Pormenor do nosso simples barquito...

E o nosso Rei Roberto a cantar ternas baladas de amor!... Eu te amo, eu te amo, eu te amo!...

Nos mares entre glaciares, que o calor aperta... e temos cozinheiro, produtos do mar, ora pois... a menina é uma mãos largas com os seus amigos... vai uma lagostinha para matar saudades dos tempos em que as tínhamos em casa às caixas? Champanhe do melhor espera-nos à entrada do desk...

Muitos ainda não foram de férias.
Eu acho que estou de férias todos os dias, já que me sobra tempo para tudo (para as maldizentes, sim, tenho a casa arrumadinha sim senhora...) e faço o que quero, saio quando e com quem quero...vá lá, não se pode dizer que sou infeliz de todo. Sou um ser que ama a liberdade e sabe fazer bom uso dela. (lá vêm as más linguas de novo!) pois por onde ando ou com quem ando, recomendam-se!

Assim lembrei-me das ninas e ninos que não podem ir de férias (eu vou em Setembro e por duas vezes, mas que bommmmmm... Uma com o meu amor (raparigas, agarrai os vossos amores que eu nem estarei com meias medidas, já que da fama não me livro, que venha o proveito então!)e da outra, quando chegar das primeiras, apenas poderei recarregar baterias durante um dia ou dois já que ficarei de férias desde o dia 5 até ao dia 15, e dia 17 lá vou eu de novo à aventura.

Ofereço-vos uma viagem a bordo do mais belo Trasantlântico.... Meninas e meninos, tudo a bordo, cada um diga onde querem que os apanhe e nenhum ficará em terra...

Levamos mantimentos para 20 dias, acho que chega sob risco de enjoarmos de tanto barquear.
meninas meninas, tudo a bordo, com ou sem namorado, como quiserem... Ahhh até podemos deixar os maridos em terra e aviar-nos pelo caminho, e vice versa ... ahhh estou a rir que nem doida, pois escrever é uma coisa e fazê-lo é outra, mas sei de quem gosta de me ler a escrever assim!...

Meninas, para quem vai ao mar, aviem-se em terra, a bordo nada falta, temos Almirante, Imediato, Capitão Mor, temos tudo como manda o figurino.
Há trajes das mil e uma noites para os bailes na passagem do cabo da Boa esperança, e quem sabe ainda encontramos por ali o Admastor... ou a Nau Catrineta, esperemos que os marujos não venham esfomeados... pois não temos a sola de molho!
Vá lá, todos precisamos de espairecer, e se me sobra imaginação, bora por esses mares fora a marinheirar!
A recolha é já daqui a nada, aprontem-se, nada de farnel, só a roupa do corpo, que lá tem boutiques Armani, Nina Rici e por aí fora, sapatos Luis Voution... etc etc...
Boas férias na companhia da nina e do pessoal amigo dos blogues, blogues com assinatura, óbviamente!... tudo na maior...






domingo, agosto 08, 2010

 

Em cada esquina do Mar!...



Em cada esquina ______ do mar

vou fazer o meu lugar _____.


Em ____ cada concha apanhada

terei um pouco ___ de nada.


Por cada estrela _______ caída

muitas mais __ darão luz.


Nos grãos de areia ____ da praia

os meus pés ___ irão correr.


E quando o dia nascer _______

vou chorar ___ e ___ agradecer.


Os barcos __ que andam à deriva

a mil portos _____ me vão levar.


Um marinheiro em cada porto

____ eu irei procurar________


Enquanto a lua ____ não chega

é com eles ___ que vou amar.


E se a madrugada vier ________

e eu estiver acompanhada ___!


Passa ao largo_____ ó pescador

na minha rede _________

não há peixe ____ só amor!









sexta-feira, agosto 06, 2010

 

Assim será!



Assim será o nosso lar ________
entre paredes____ caiadas de branco
árvores _____ de sombra amiga.



De noite ____ a lua a espreitar
de dia ____ o sol a brilhar...



Assim será ____ o nosso jardim
assim será _____ a nossa vida …



Entre pétalas de rosas
de odores mil _____________



Rodeados pelo céu ____________
azul _______________anil...



E os espinhos _____ caíram
secaram ______ ...



nas pétalas que o vento levou
e _____ na nossa alma
nunca o amor ____ se acabou!



Assim será a nossa vida sonhada desde sempre!

Um dia, a vida irá dizer-nos que o amor vive entre paredes ____ escondido ___ e que chegou a hora de viver na luz, a luz que de nós ___ emana!... Pois o seres de luz, buscam-se ____ sabendo que só ao lado de quem tenha luz própria, conseguiremos realçar o brilho das estrelas! e o que de melhor há dentro de cada um!

Bom fim de semana para todos.

laura

Já tinha saudade de escrever as nossas fugas de fim de semana!...







quinta-feira, agosto 05, 2010

 

Chegou o carteiro!


Campainhaaaaaaaaaaaaaaaaa.... quando é para abrir a porta, ou é registo ou uma encomenda. Lá veio o manel de encomenda para mim, e de quem? pois, do João e Nandinha!... O João que viu os meus tomateiros e disse; se não der flor não há tomates...

E eu garanti que se não desse tomates azeitonas haveria... e acertou.

No post do João em tempos falou-se em quiabos e eu disse que aqui não conseguia arranjar, era raro que aparecessem à venda, mas adoramos, aqui quase ninguém os conhece, só quem vive em África sabe o que é e para que se usam... ou quem já os comeu cá e gostou, aprendeu a fazer moamba ou de carne, peixe.


Meus queridos, agradeço a vossa lembrança, pois para a semana tenho o aniversário do Nuno, ia fazer caril, mas agora o prato virou moamba, eis o que me faltava para que uma moamba saiba a moamba mesmo!...

Tenho o óleo de dendê, tenho tudo o que preciso e agora com estes ricos quiabos, a coisa vai ficar divina...
Muito e muito obrigada João, pela lembrança querida. Sabe tão bem ter amigos, amigos que quero envolver no meu abraço apertadinho, que pode soar mal a muita gente, mas eu dou-o como um abraço apertado de carinho!...

Laura.






terça-feira, agosto 03, 2010

 

Tantos Zés na minha vida!



Desde oprimeiro Zé Manel que lembro, neto dos meus vizinhos do rés do chão na Pontinha, querido, mais velho que eu, mas aos avós dele tinha-lhes medo.. Pudera.. quando não comia a sopa lá ia a minha mãe chamar o senhor Gaspar que tinha uma perna de pau... como se não chegasse a perna de pau para me assustar, trazia também um avental preto da mulher enfiado na cabeça, já se sabe que a sopa voava, eles alternavam, ou era a avó ou o avô, raios, isso não se faz mas a dona Elisa (a minha mãe) decerto não tinha outra forma de me convencer que sopa fazia bem...

Bom, tirando isso tive muitos Zés a fazer parte da minha vida. Engraçado que na família não tenho nenhum Zé.

O Zé que mais amei foi o meu namoradinho, paixão assolapada, era por ele que comia mais pão à tarde, que distribuía pelos passarinhos no telhado, assim a mãe mandava-me buscar mais, depois de eu refilar um bocado, não fosse exagerar no refilar e ela não me mandasse lá.

Maravilhosos bocadinhos das tardes dos meus 15 anos... já lá estava à minha espera, sentado na NSU do trabalho, eram apenas olhares de ternura, palavras puras, ele tinha 18 anos, ah como eu gostava dele, mas tudo o que é bom dura pouco. Parece que o pai mandou dar-lhe algum recado em como lhe podia chegar a roupa ao pelo, (soube-o à anos, pelo marido da minha amiga Landa, amigo dele ainda hoje, já que ele vive em Luanda) despedimo-nos para mais tarde recomeçar... Saudade desse tempo onde havia sentimentos partilhados!

Ontem fui com o Nuno à aldeia, e como sempre passamos na Tia Antónia, mãe do Zé, o Zé é mais novo que eu um ano, mas somos tão amigos desde que nascemos, sempre que ia para a aldeia dos avós, era ele e os irmãos e irmãs os meus companheiros de brincadeiras, corridas pelo cruzeiro, íamos com as tias aos lameiros... era amizade que ainda hoje nos faz emocionar quando nos encontramos... Foi lindo ontem aquele abraço, além da tristeza de perder a esposa, a querida e amorosa Ana no ano passado.

Quando estava grávida da Neide fui com eles levar a irmã a Ana a Espanha, Madrid, tive de ir na frente, a cada pedaço parava para eu arejar a má disposição. Paramos para comer aqueles deliciosos pães com chorizo que eu adoro, eram enormes, o zé nem acabou o dele, já dizia, não quero mais, vai para trás. Fogo, ainda estava a meio, o meu já tinha acabado, agarrei no dele, tirei-lho antes que chegasse ao prato e disse; qual para trás, prá frente é que ele vai, e, comi-o todo ehhh ainda ontem me perguntou; Leta, queres ir a Espanha comer mais meio pão de chorizo? ahhhh. respondi; não, obrigada não estou grávida!

Ficou a promessa de nos encontrarmos ainda esta semana, ele vem cá quase todos os dias, anda a fazer obras na casa. Vamos almoçar a qualquer lado, para matar saudade da saudade que sentimos sempre que estamos muitos anos sem nos ver!

Ah, ainda há mais Zés, Zés que amei, que conheci, com quem comparti palavras e afectos... Haverá sempre um Zé na minha vida a entrar ou a sair dela, mas isso é lógico, o mundo está cheio de Zés!...
Há mais um Zé, um Zé a quem fiz uma declaração de amor, mas de um amor que não é de homem mulher, nem é de pai e filha, como direi? É algo muito próximo da energia Divina que me faz sentir bem a seu lado, aprender com ele, já que também é mais um Zé na minha vida! é um Zé do GT, único, sem par!...