A minha Poesia em pps
Formatado por Zélia Nicolodi, Vitor Campos e Estrelinha d'Alva
(clicar na Imagem)

















Quero Alguém


O meu tecer de Esperanças!...


Já escalei a minha montanha!...


Amar-te-ei Sempre!...


Não te vás nunca!...


Não foi o ocaso


quarta-feira, junho 30, 2010

 

Vai um carapauzito?



Ando de novo com a Lena nas minhas caminhadas por Braga fora, fazemos sempre caminhos alternativos para não enjoar da paisagem e das caras...

Hoje deu-me para me virar de repente e agarrar a Lena e voltá-la para trás para ver um homem dos seus sessentas e tais ... ele voltou-se para trás depois de passar por nós (talvez seja por não ouvir mas sempre estou com um olho no burro outro no cigano) parou mesmo o caminho dele e ficou a olhar-nos... ou somos mesmo umas gajas boas ou então nem me perguntem porque terá parado! ela admirada e eu; ó rapariga mas tens-te em tão má conta? bistes, bistes, ainda fazemos o homem parar (nem que fosse só um! ehhhh) para reparar nas nossas curvas, ahhhhh fez-nos bem ao ego e o que falamos depois nem é práqui chamado, mas que rimos que nem tolas, lá isso sim... mais por ela dizer que já era velho ahhhh mas mais vale assim que nenhum... (somos as duas da mesma idade!)

Já me tinha desabituado das caminhadas, ela andou com a anca emperrada e eu sozinha ia pela cidade dar umas voltas mas isso era pouco. Fico com a genica a mil e que fiz? além de dar aquele ar limpo à casita, mandei sms à Getta que viesse almoçar comigo. Veio cá ter e grelhei carapaus, batatas com pele, saladita, pikles azeitonas, e pinga de Vila Real que o Terêncio enviou pelo manel no sábado. Sobremesa, gelatina e metades de pêssego. Maravilha, ficamos que nem patas de tão satisfeitas...
Sirvam-se... ainda faltava por o molho à espanhola...






segunda-feira, junho 28, 2010

 

Pé-de-meia de amor!




Comecei ___ um pé-de-meia de amor

///__________ sem ter tuta e meia

ou _________ algo de valor.


Investi num fundo … /// …

espero receber __ paixão ___sentimentos

proventos… ///


Acrescentarei aos juros _______ ///

________ ressalvas de promissórias

que trarão créditos ________ abonatórios…


No fim ___________ ficarei a saber

se minha alma vai lucrar _________

ou se o amor _________ será para saldar.


Se a conta será maior ____________///

que os meus _____ (ricos) _____ sonhos

_________________de amor…


Se terei de abrir bancarrota …

desistir ____________ de jogar

transformar as acções _______ num jogo a ganhar.


Ah __________ tenho a certeza

que esse meu pé-de-meia ___________

nunca mais _________ vai acabar!




Ah, o que me ri a escrever este pedaço de poesia...

Já foi há meses, hoje lembrei e lá fui repescar!

Ora vamos lá pessoal, este pé de meia promete dar juros sem fim se não me der cabo da cabeça a mim!...

Um beijinho da laura e tenham uma excelente semana!









sábado, junho 26, 2010

 

Diz-me!...



Diz _____ diz-me

que a vida ainda vai valer a pena.


Diz-me ____________ !...

_____ que o sol ainda vai brilhar …


Diz _______ que

sonhaste ____ os teus dias em mim.


Sem sombras ______ sem dor.

______ eternamente enamorados…


Tal como te sonho _____ te anseio

na suave brisa da manhã.


Na mão que me estendes

para sentir-te _________ perto…


Nas palavras que chegam em ternura

apenas por ti ____ murmuradas.


E no meu seio guardadas ____...

_____________ avaramente!


Diz-me _________ que a vida é tudo isso

e não só o momento presente!









quinta-feira, junho 24, 2010

 

Para todos os meus amigos!





Árvores frondosas nos acompanham

por onde quer que a vida nos leve.


Ramos e folhas balouçam ao vento

num estado qualquer do pensamento.


Julgamos que caminhamos sós

só que tem sombras amigas por perto.


Entre nós e a céu aberto há Seres de Luz

embora tudo nos pareça disperso.


Jamais esquecerei os nossos lugares

meu pensamento segue vossos passos.


Onde quer que vos possais encontrar

é o rosto de cada um que vou procurar.


É o vosso olhar que manterei vivo em mim

e o amor que em cada um respira.


Não perderei um momento sequer

daqueles que a vida haja por bem me dar.


Estarei convosco em todos os traços do caminho

e meu abraço amigo será de todos.


Quero acompanhar-vos pela vida

fazer parte de vós na estrada desvalida.


Estreitar-vos ao coração

quando a caminhada se tornar dorida.


Pois é em amor que minh’alma vos procura

é com a vossa mão na minha que me sinto segura!


É para todos vós, amigos do GT e outros, para aqueles que continuam a ser meus amigos da alma, porque eu sinto as vossas dores, sinto o vosso amor! Moa, estar perto de ti, uma vez mais, despoletou sentimentos que só o amor, amizade consegue!
Não sei explicar-vos sentimentos, mas sei o que sinto dentro de mim, e todo esse sentir me faz ficar de bem comigo, e sendo assim! Venham mais encontros, mais amigos, mais paz e LUZ!...
Graças ao grupo dos GT, saíu esta poesia em amor, paz, alegria! tenho-vos em mim a cada dia, a cada hora, cada momento!
Beijinho a todos e excelente fim de semana que se aproxima. Laura









terça-feira, junho 22, 2010

 

Mais uma vez aconteceu G.Tinho ...


As surpresas acontecem quando menos se espera!
Sabia que o Moa, António e Paixão se iam encontrar em Tabuaço, recebi convite do Paixão para ir surpreender o nosso Moa, ele ia actuar num palco, uma homenagem aos artistas de Teatro dos tempos de outrora do qual ele fazia parte. (foto acima no momento em que discursava) queria vê-lo, senti-lo, estar com ele. A Getta tem uma quinta da família lá perto, íamos lá ficar. Tudo arranjado saímos daqui na sexta feira de manhã, encontramos o Paixão no caminho, que já não via o Moa há mais de cinquenta anos, estudaram juntos...
e rumamos a Tabuaço...

Foi um encontro e peras, ele disse que eu poderia estar por lá, como frisei muito que queria estar lá, mas não tinha a certeza, a certeza de que ele amou ver-me, isso sim... e eu a ele, claro, assim como ao António que se ria de todo... nessa foto o Moa a autografar livros que me ofereceu.

Foi belo, belíssimo, tivemos momentos ternurentos a por a conversa em dia, Falamos de livros poesias, escrita, o Stor Moa tudo me explicava... soube-nos bem aquelas horitas a sós para matar saudades de nós e do grupo querido, Ana Osvaldo, Kim Luisita,Luis, Verdinha e Leo. Bastava fechar os olhos e imaginá-los a nosso lado, fomos a lugares onde estivemos juntos em Setembro passado...

A Fonte da Moa aconteceu, levei o Moa no C5 para ele ver se a nina sabia conduzir ou não. Penso que saí aprovada... Na foto a Getta Paixão eu e Moa, até lavei no tanque tal a brancura das águas... Osvaldo, dizia eu; mais mais mais água da Moa, mais mais mais, que água boa!

Tinhamos de dar os nossos passos de dança na casa do Paixão, uma casa muito linda, acolhedora, graciosa, ele não tinha mais que nos fazer... Estava tudo preparado ao mais pequeno pormenor para nos receber... e tem graça, hoje a casa é do Paixão, acho que são 3 casas... (mas que classe!) por separado, e uma delas foi para onde foram morar os pais do Moa quando casaram e ele nasceu ali!
Na foto abaixo, momentos antes do jantar no TábuaD'aço, pedi que reservassem a nossa mesa redonda de sempre... e sentimos a falta dos amigos queridos do verdadeiro grupo de Tabuaço! Foi o Moa que deu o nome de G.Tinho por sermos pequeninos desta vez e se querem ir lá em Setembro... força, Tomar pode ficar para o ano... a Maria até gostará de ir a Tabuaço que ainda não conhece.Osvaldo já não precisas de me vir buscar e levar, eu já sei o caminho e posso dizer que já conduzi nas estradas Monárquicas de Tabuaço, levando ao lado o Moa! Bem que grande pariga fico no meio deles...

O Moa fez a festa sozinho, actuou em frente de uma plateia cheia, havia jovens e menos jovens (do tempo dele em que representava também) Havia lágrimas nas pessoas, ele falou lindo, depois declamou, cantou, até dançou a fazer de bebado, tudo da sua autoria. Vi o Paixão de lágrima no olho, feliz por ver o amigo a brilhar naquela noite... vi-me a mim orgulhosa do meu amigo, e nesse momento senti a falta do nosso Kim para filmar o que foi e será inesquecível... Há fotos graças ao António mas um filme é um filme, lembrei de todos e como gostaria que estivessem todos ali sentados a aplaudir o nosso grande e genial Moa!... Que diga-se, até dormiu melhor e diz ele que perdeu 30 anos, mas que bom... assim em Setembro o moço fica mesmo de novo um rapaz!

Antes de seguirmos viagem a caminho da quinta, ainda fomos visitar a campa da mãe do amigo do Moa, Ernesto Leandro, foi a professora deles, do António e o Moa levou amores perfeitos para ela e marido. Ah, como eles falam tão bem da querida professora que os ensinou e tão bem os tratou sempre!
Fomos lanchar à quinta de um primo do Moa, o Joaquim Arranca, ah, ficou lugar obrigatório de passagem por Tabuaço. O Homem tinha tudo à nossa espera para um lanche de arromba, e a quinta dele é junto ao rio Tedo! Osvaldo lá ando eu a recuperar as minhas raízes! (Princesa Andhina) este Joaquim é de velha cêpa, é um homem e peras, ahhh era eu contra três, saí-me bem nem os deixava refilar, soube bem... pelos vistos cheguei para três...
Abraços a todos meus queridos irmãos do G.T. !...






quinta-feira, junho 17, 2010

 

Porque não temos todos os mesmos direitos?


Quando a vida falha, quando o desemprego nos bate à porta, ou o visto de residência terminou num país qualquer, e andamos pelo mundo neste desassossego, nesta angústia sem fim!
Que pensais ó minha gente que viveis em casas vossas ou arrendadas que conseguis manter um certo estilo de vida, não tendes falta de pão, passais férias pelo mundo, ou simplesmente mudais de ares quando vos apetece! Já pararam para pensar que nem será nada disto, ou antes, será falta de amor, de um lar, de um aconchego? Não é preciso encolher os ombros. Qualquer um está sujeito a que a vida amanhã o trate mal, nem é preciso muito!

Por mais que pense, não atino com respostas, mas, imagino ou antes, tento imaginar que vida será a deles! Sei que há quem responda já numa voz azeda, ora, procurem trabalho e deixem de ser parasitas! Nem se trata disso, cada história é única e cada ser é Uno!

Já é costume vê-los pela cidade, mais no tempo dos turistas nos meses de Junho-Julho-Agosto. Certo, se não fosse necessário nunca teriam inventado essa postura tão bizarra, tão fora de tom, sinto a alma apertar quando os olho nos olhos e eles se desviam, como se quisesse devassar-lhes a intimidade. Continuo a andar e pergunto-me porque será necessário ter vidas assim? são migalhas que lhes dão! terão um lar, uma renda para pagar? haverá sobra de comida ou terão falta dela? terão água para um banho decente, um colchão para dormir, terão medo e sentirão abandono?

Por vezes pergunto-me porque o farão. Claro que é a necessidade, é um ganha pão como outro qualquer, mas, ter o corpo em contacto com tintas e produtos tóxicos não é brincadeira nenhuma! Quem aguenta aquelas vestes todo o dia, aquela imobilidade que não termina? aqueles olhares perdidos no tempo, num tempo sem tempo porque agora até de ser gente teremos deixar de ser!
Sei que é engraçado para os vermos, uma figura fora do habitual que quebra a rotina das noites nos lugares onde os turistas se divertem a olhá-los, a deitar umas moedas para dentro da caixa.
Já há vários dias que percorro a cidade e encontro por lá um que tem uma mão com chupa chupas, paro sempre a olhá-lo, olho-o bem no fundo, ele sorri, mas nada diz, sabe que já entendi porque está ali!