A minha Poesia em pps
Formatado por Zélia Nicolodi, Vitor Campos e Estrelinha d'Alva
(clicar na Imagem)

















Quero Alguém


O meu tecer de Esperanças!...


Já escalei a minha montanha!...


Amar-te-ei Sempre!...


Não te vás nunca!...


Não foi o ocaso


quinta-feira, dezembro 31, 2009

 

E lá se passou uma noite mais!


Tinha pensado não fazer nada, apenas o jantar como sempre, apenas os dois! A Getta vinha, nem que a fosse pescar a casa, estaria sozinha, sem os filhos, mas, veio de boa fé!
Pensei que isso de nada fazer e de me desinteressar desta noite que foi sempre motivo de alegria, e trabalho, já se sabe, não me ajudaria nada e, mudei a cabecinha de lugar, recordei os meus sonhos de sempre, respirei fundo e disse; nánaninanão...

Bom, laurinha, pensa feliz, pensa num amanhã maravilhoso, sonhar é a vida a acontecer, sonhar é querer e querer é poder! Porque não!
Imaginei que poria a mesa para ele, ora nem mais! Dali a fazer tudo, foi um passo, passei a tarde na cozinha, sorridente e feliz, é que eu falo com os azulejos quando me retrato neles! os meus sonhos povoam-se de belas imagens, belo sentir, ah, já vejo o senhor Amor a namorar-me pla casa toda! Vou estender a roupa e lá está ele encostado na varanda, a apanhá-la, segura nela, se na cozinha, até me ajuda a mexer os tachos, segura na louça enquanto eu a arrumo, até pusemos a mesa os dois! Pois foi! Onde quer que eu esteja, ele não me deixa sozinha, interessantes os nossos diálogos, a nossa forma de amar!

Pus os pratos que mais gosto, os talheres do faqueiro das melhores ocasiões, a toalha, ah, foi o Gilinho que a enviou de presente, do Brasil, há um ano, estava à espera de ser usada, linda, branquinha toda feita artesanalmente, com renda na bainha, é linda, pena que a foto não lhe faça jus. Obrigada querido maninho de Teresina, gracias pelo bom gosto que a Lenita teve na escolha... pus a toalha vermelhão para dar mais alegria, eramos os três, eu, manel e Getta, o jantar foi bacalhau com natas, segundo a Getta (divino, laurinha) espargos, pikles não apetecia salada fria. Depois a aletria maravilhosa, tem segredo! os mexidos, rabanadas à minha moda, a Getta adora, figos com nozes, frutas secas, etc... e um verde geladinho, e, claro, ó pois claro, o Moscatel, dois belos cálices.Estivemos no chat com a estrelinha e o Moa, afinal a Getta , é de pertinho de Tabuaço, a mãe do Moa nasceu na terra em frente de onde a mãe da Getta era natural, ah, mundo pequenininho!

Fui levar a Getta a casa agorinha mesmo. Foi bom ter-te comigo, assim passei um jantar agradável, conversamos, fizemos companhia uma à outra, admiraste-te de o manel falar tão pouco ou quase nada, ah, desses-lhe público e ei-lo que fala pelos cotovelos! demos cabo da garrafita do Moscato... quase, quase... vá que a Policia deve estar a comer a sua ceia de fim de Ano, nada de soprar balão, nunca soprei, mas um dia há-de ser, e que não seja em dia de Moscatel, senão!

Pela meia noite estarei na janela a ver se te vejo nalguma estrela, a passar, só quero que me digas adeus, que prepares a nossa carruagem, e possamos iniciar a viagem!
A Soledade diz que toma conta dos alazões, e deixa-nos andar a vadiar até às duas da manhã, ouviste? que tenho licencinha para ficar duas horas, mais duas que a cinderela! e duas horas dão para tanto filme, ah!...
Boa noite senhor Amor! e que o Novo ano onde acabamos de entrar de mãos dadas, nos leve rumo à felicidade tão sonhada!

Dias felizes a todos os meus amigos dos blogues, e que a vida lhes sorria, seja generosa!






quarta-feira, dezembro 30, 2009

 

Obrigada querida Luisa, da dupla L&L...


Obrigada querida Luisinha, menina do GT, quem não souber pensa logo que pertences ao GT, grupo de corridas acho eu! seja lá o que for, sabendo que amanhã termina o velho (ah, como seria bom que tudo quanto é velho desaparecesse daqui) sem ofender quem é mais velho...
Hoje o dia nem brilha tanto, chove, e como amanhã seria de festejos e alegrias mil, enfim, sabes como me sinto! E o que fui fazer? nada que nem devesse. Abri a tua garrafa, aquela de Moscatel, o que eu acho o melhor no País, já o Zé do canito me tinha oferecido uma e, gostei, amei. se nem o conhecia, ao Moscatel, ora pois, depois no almoço tinhamo-lo na mesa, mais um cadito, ah, sabe bem e recomenda-se... Enfim, parti meia dúzia de nozes, enchi o cálice, (nem te digo quantos, ah, segredo de Estado!) brindei a nós duas, aos teus e aos meus, aos amigos queridos que trago na alma, e... e, bota abaixo...

Hoje não estou nos melhores dias, mas, não se pode andar a rir quase todo o ano! Eu bem faço por isso, só que recordar o dia de amanhã, com a pasmaceira que vai ser, prefiro beber uns copitos de Moscatel e quem sabe, daqui nada já sou a laurinha, de novo! E amanhã mais vale começar o dia com o Moscatel por companhia! Chegando á noite já não devo lembrar que dia é! Vá que a laurinha é ajuizadinha e nem fará nada disso, mas olha que a vontade de ser uma nina bem comportada é pouca. Já hoje fiz a verdinha andar à roda com as minhas parvoices, coitada, só me fazia rir com as respostas, só visto! Obrigada a ti também, ó verdinha!...
Obrigadinha pela lembrança, mas é mesmo o meu preferido! Abraço apertadinho, daqueles d'esganar à tua dupla, e ao rapagão de quem eu tanto gosto! Um brinde a vós! e a todos os nossos do GT. e aos iniciados que só depois de batizados, pertencerão à casta famosa!...
Viva o Moscatel, que acabará por alegrar a nina e dar-lhe-á riso a granel! espero bem que sim, se a garrafa não o conseguir, no fim sempre a posso partir ehhhhhhh! e entretanto vou ouvir uns fados da Ana Moura, sabe bem, é nostalgia, é boémia, é amor, é fado!...Beijinho da laura.

E agora ai vai um fadinho, acabadinho de escrever, é que pelos vistos o Moscatel tem a ver com isso, só pode!... A estrelinha dalva, comigo no chat, bem tenta animar-me para deixar esta disposição para outro dia! Querem escrever fadinhos, ora , bora pra lá, Moscatel em cálices, quantidade? segredo de Estado! e pa rimar, beba moscatel e terá riso a granel!
Ah, farei a calda das rabanadas com este néctar divino, acredito que sairão bem... pois o Porto do Kim, escoou-se, deve ter-se evaporado!
E como o Osvaldo te chama 'a minha irmã'!... pois, somos irmãs também, sim senhora, cá do Norte, que é do Norte que vem a boa gente, de cêpa, de fartura e de abrigo de amor!... Mil Felicidades e que o Amor esteja convosco, em alegria e Paz!

São os olhos a chorar
é a alma a falar
a vida que não quer
que eu possa atrás voltar.

É a alma a gritar
meu coração a sofrer
e minha mente a perguntar
o que é que vou fazer.

A vida é senhora ruim
que não se compadece de mim
enche-me de promessas vãs
quando me acorda todas as manhãs.

Em cada acordar
eu fico a lembrar
se a noite que passei
foi a sonhar ou chorei.

Chorei ao lembrar-me de ti
chorei ao lembrar que te senti
chorei ao saber que te amei
e que sem saber te perdi!...






terça-feira, dezembro 29, 2009

 

Um lindo Postal personalizado!


Poderia dizer que era a menina do capuchinho branco, a caminho da avózinha, atravessando a floresta da Moa, e fazendo uma pausa para matar a sede, não de amor que tem tanto, não precisa de mais!... seja do marido, o Osvaldo, dos filhos, netas, familia, ah, nunca será exagero dizer que se acredita, porque é verdade e porque se vê, e além disso ainda tem o amor dos amigos que a adoram, e de todos os que com ela compartilham a vida. Eis a nossa Aninhas de Rio de Moinhos!... Eis os belos votos que o casal me enviou! Um casal que por artes mágicas (só podia) se encantou pela nina de Braga, e fez dela uma nina muito, muito feliz! a partir do momento em que começamos a trocar emails por aqui e ali! a minha vida mudou, se mudou, com ele vieram mais amigos. (O Kim, familia, já conhecia) mais quereres mais carinho e sinto-me feliz no meio de todos, pois todos me apaparicam, e, sabe tão bem não sabe ó Laurinha?... Realmente, meus amigos, meu grupo lindo, mais desejos de um Ano Novo feliz, tão feliz como desejo para mim, é que, convenci-me que é desta que a felicidade chegará, virá numa carruagem puxada por belos alazões, e trará aquele principe que adorarei conhecer!

Estes versos foram escritos com a participação do Osvaldo, ontem no chat do gmail, o Moa ainda entrou, caíu, a net tem destas coisas, e não deu para falar! Moa, Moa, aparece, tu imaginas o bem que me fazes quando falamos ali com a nossa estrelinha D'alva, a nina que ilumina as nossas alvas?

Água da Moa!


Água da Moa
meu sonho tamanho
sons que me soam
ao tempo de antanho!


Água da Moa

onde o som ainda soa

aos passos que por lá dei

e no meu coração, guardei!


Água amiga

que corres sem pressa

da fonte que atravessa

larga Avenida!


Água da Moa

ribeira bendita

onde tive a dita
de ser feliz!


Mais, mais muito mais
água da Moa
mais, mais muito mais
que água boa!








domingo, dezembro 27, 2009

 

Ai os meus pés!... quem me aquece?


Raio do frio, veio mesmo atazanar-me o juízo, digo os pés, de há uns dias para cá, os dois ficam cá num gelo, não ando de meiinhas de lã, como recomendei ao Moa, quando lhe perguntei se não queria dois pézinhos para aquecer, respondeu; frio estou eu, ora assim não chegamos lá, disse-lhe que usasse meias de lã de ovelha e ele retorquiu; e porque não as usas para ti? respondi que as minhas devem ter mistura de fibra e nem aquecem nada, são mais meias para Inglês ver... Valha-me as meias que a avozinha e as tias faziam. Aqueciam na certa, ou porque será que as ovelhas ficam tão lãzudinhas e quentinhas? claro que seria para aquecerem os nossos pés, ora pois! e depois encontrei este cãozito tão lindo, piegas meio adormecido, será que está quentinho? pelo menos parece. Mesmo o chinelo sendo de verão, ele dos lados está aconchegado e com ar de quem está a mil!...
Se tenho os pés gelados e em casa, imaginem quem anda na rua e descalço, ai, isso dói!, ou mal agasalhado, mal calçado!






sexta-feira, dezembro 25, 2009

 

A nossa Consoada!



Tradição milenária, juntar famílias, ao redor da mesa. Assim fui habituada, iamos a casa dos avós perto de Montalegre. Lembro tão bem que apanhavamos o Combóio quando moravamos em Lisboa, na Pontinha, saiamos no Porto, apanhavamos outro para Braga e depois iamos de Camioneta, e, chegando lá, era a descer o monte até casa dos avós, tão bem sabia quando nos juntavamos todos, eramos tantos, todos felizes pela alegria do reencontro, as tias subiam o monte para ajudarem com as malas. A saudade amortecida, a presença dos únicos netos da casa, eu e o meu irmão mais velho, e o mais novo, o tempo sabia a pouco, pois estar nos avós era a liberdade suprema, sair da cidade e viver na aldeia, mas que rica vida! ir com as tias e tios levar as vacas aos lameiros, carregar carros de bois de lenha e giestas, o avô gostava da lareira enorme, de fogo,

ah, tão bem que sabia. Havia sempre um joguito de cartas, umas histórinhas que a querida avó laurinha contava sentada junto de nós nos banquinhos da lareira, enquanto o avô lia o jornal à luz do gasómetro, e dava ao soco, sempre a abanar o soco dele com os pés calçados em meias de lã de ovelha que a avó e tias fiavam, eu também aprendi a fiar, a avó ensinou-me, e a fazer meias, que lindas ficavam, ajudava a cortar a carne para as chouriças, tinhamos uma tábua pequenina e uma faca pequenina, tão bom...Enfim, no Natal quando dava juntavamo-nos todos lá, ou então era na Pontinha, na nossa casa que ainda lembro embora saissemos de lá quando eu tinha quase 4 anos! Tinhamos uma mesa farta, havia os doces tradicionais, aprendi a fazer tudo e todos os anos os faço para ter na nossa mesa, e como sempre, ontem foi um dia de Consoada! Faltam tantos, e a ternura envolve-me quando sem nada dizer, os relembro, os cadinhos de amor e paz, convivio lindo que tinhamos com o pai, que tudo fazia, jogavamos ao rapa, cartas, a feijões ao dominó, mas jogos arranjam-se sempre, só que os nossos queridos estão junto de nós, em espirito, claro e sei que eles voltam nestes dias em que a saudade deve doer mais, e, ficam por aqui a ver-nos, a seguir os nossos passos, actos, enfim...
Este ano a vesicula ainda não se queixou do Natal, pudera, vêem essa garrafa de azeite com o meu nome no rótulo? Nina Laura, é azeite puro da quinta dos meus queridos amigos Osvaldo e Aninhas, em Rio de Moinhos, puro como puros são estes Seres de Luz que hoje fazem parte do rol de amigos queridos!...ah, Osvaldo, nada de nada, nem mal disposta fiquei, acho que me vou abastecer aí da próxima vez! é bom, saboroso e deu outro sabor às batatas e bacalhau, polvo, couves!
Na mesa a garrafa de bom Porto que o Kim me trouxe, quando cá esteve, e a outra foi o amigo da São que também é Joaquim, trouxe o Porto preferido dele, Borges, Roncão 20 anos, uma delicia...(saúde, Kim e Joaquim, plas garrafinhas queridas) deu pra beber uns copitos valentes, nanja, nada de má disposição! E haja também uma saúde ao azeitinho do Osvaldo!
Como se vê, nada faltou graças a Deus, dou graças sim, sempre, desde as batatas ao todo que compôs a ceia!...
Obriga querido Paizinho do Alto, Paizinho amado, nada faltou e sobrou, sobrou sim, graças pois!






quinta-feira, dezembro 24, 2009

 

Ó Meu querido Menino Jesus!...



Que todos os anos Te fazemos nascer em Dezembro e só nestes dias os corações parecem ter algo de bom (alguns) que outros nem com o Teu dia ou sem o Teu dia, não querem saber! nem de ti, de mim, ou do que for!

Faz hoje 2009 anos que vieste ao nosso Mundo, vindo de um Planeta Distante, longe, tão longe assim...vieste porque tiveste pena do nosso sofrimento, já que se não nos ensinasses o Caminho, a Verdade e a Vida, jamais deixariamos de ser uns miseráveis, ávidos de viver para a Luxúria a Ganância, Mesquinhês e por aí fora! Nem sempre gostei de Ti, quando comecei a crescer (ah, o fermento era pouco, nem cresci lá grande coisa!)e comecei a ver que não havia forma de ouvir (sou surda!, para quem não sabe) e via as outras raparigas todas de ouvidos afinadinhos, a namoriscar e eu? eu, pois, nada, tornei-me arisca, recolhida, escondida o mais que podia, sempre zangada contigo, lembras-te da nossa zanga na Igreja da Sagrada Familia lá em Luanda, ai que deves lembrar-te, se Te lembras!Estava ajoelhada junto à tua Imagem que dava para uma saída lateral, encostei-Te à parede e disse; ou ajudas ou não ajudas, e, sendo assim, nunca mais ali voltaría, ah, como lembro as lágrimas que chorei por te manteres impávido e sereno como se nem fosse nada contigo! E quantas vezes Te suplicava, por favor, só ouvir um pouquinho, fosse de música, de vozes, dos sons do mar, distante, enfim...


E, anos mais tarde, compreendendo e vendo a vida por outro prisma, entrei na realidade e pedi desculpa, pedi perdão por uma zanga sem sentido! e realmente o problema era meu e não Teu!...
Pazes feitas, voltamos a ser os velhos amigos de sempre. Quem sabe já vivi no Teu tempo, Na nossa Betlhem da Judeia, brincamos os dois ao esconde esconde, corremos pelos montes cheios de flores exóticas, rasgamos as nossas túnicas, guardamos os rebanhos, e quem sabe, foste Tu que me abriste os olhos para a enorme complexidade do Mundo e de todos os Mundos que giram à nossa volta! Por Ti, aprendi, li, imaginei, sonhei, senti o que querias que eu soubesse, e, já não tenho dúvidas nenhumas ó meu querido Amigo, meu Menino Jesus, sei que haja o que houver, dê a vida as voltas que der, Tu estarás sempre Presente na minha vida!
Sim, sei que por vezes também te magoo, mas, sabes que somos todos humanos,se fossemos seres mais elevados,estaríamos junto a Ti, lá nas alturas onde os Anjos cantam Honsana ao filho de David!

Não sei cantar, não sei nada de músicas, só as sei sentir, ouvir, mais ou menos, mas, prometo que mais logo, vou até à janela, e ali, sózinha, cantarei baixinho para Ti, e só Tu ouvirás, será aquela cançaõ que escrevi para ti, aquele Anseio estar Contigo, porque na verdade, por vezes sinto-me tão a mais neste mundo que só me apetece fechar os olhos e, acordar pertinho de Ti, não a teu lado, sou ainda muito terrena, muito do mundo, mas sei e sinto que o meu lugar está lá, Tal como prometeste!
Meu Menino Amigo, não te esqueças dos meus amigos, de todos os meus amigos, e abençoa também os meus inimigos, porque todos temos sempre quem não nos grama, mas, deixa lá, hoje é dia de perdão!...






terça-feira, dezembro 22, 2009

 

Consegui!



Clicar na Imagem

Para ouvir a música do pps, favor desligar o som das batidas ali ao lado!

Consegui sim senhora, reverter o tempo em mim, o tempo de amar, de querer, desejar, o que sinto que posso querer, desejar!...

Claro que quem formatou foi uma nina querida dos blogues, a minha estrelinha. Eu andava sempre a dar trabalho à Zélia Nicollodi,a querida da Zélia, a amiga fantástica que todos queremos ter, e, como sei, tem montes de pedidos, não pode atender a todos, assim, a estrelinha que é inteligente quanto baste, aprendeu aqui e ali, perguntou a um amigo meu que lhe foi ensinando coisas e loisas, e, neste, a música foi a Zélia que a colocou, o pps foi mesmo a estrelinha, o primeiro de muitos, já tem uns poucos e deu-lhe um ataque de pps e, lá vai mais um! Eu escolho as imagens, envio para ela que escolhe consoante o tema, e muitas imagens que aparecem nos que ainda vêm aí, é ela que as coloca... Estão lindos, mas à espera da música, um está na Zélia, acredito que a nina tem mil trabalhos entre mãos!
Assim, preparem-se, vem aí uma enchente deles!

Beijinhos a todos e continuação de Felizes festas em todos os lares pois o nascimento de Jesus é para todos, da mesma forma, e nada tem a ver com Religiões !...






domingo, dezembro 20, 2009

 

Um Novo Coração! ...



Um novo coração dentro de cada um no aspecto de perdoar, dizer que se perdoou, sentindo ainda por dentro o remorder da má acção de alguém contra nós, por vezes leva-nos a interrogar mais profundamente o nosso coração; perdoei mesmo? é que!
Não é fácil perdoar, mas tudo depende de quem ofende e de quem perdoa!

Nem é por ser a quadra alusiva ao perdão, aos bons sentimentos,que falo disso, é que se não formos capazes de tomar a atitude de perdoar, digamos que, por dentro, nem nós viveremos bem com essa sensação, nem os outros! Eu pelo menos não fico bem até que resolvo dar o primeiro passo, se me sentir culpada, está claro! Por vezes quem ofende, arrepende-se, e nunca ganha coragem para pedir desculpa a quem magoou,muitos sentem que os ofendidos foram eles, quando!... Haja pensamentos harmoniosos e complacência para os outros também. Por vezes somos culpados dos dois lados e assim! embora se for católico, vá ao confessor que a troco de meia dúzia de Avé Marias e três Pai Nossos, perdoa a culpa toda. O que foi magoado continua magoado, e o que se confessou, sai de lá de coração airado, como se costuma dizer! Assim como muita gente que professa várias religiões, cada um pede perdão à sua maneira, para dentro, e, isso não vale nada! Tem de ser no terreno!

Nánaninaná, as coisas não funcionam assim. Quem magoou só tem um caminho a seguir, procurar desculpar-se ante quem ofendeu! Não é a velha cantilena de sempre, ah, já passou muito tempo, não vale a pena. Seguramente que o ofendido deve reter na memória, os maus momentos porque o fizeram passar! Haja um acercamento, e cada um reveja dentro de si, a forma pouco correcta como tratou o outro, só que o orgulho fala mais alto e muitos preferem esquecer, e deixar andar, mas serão mágoas que o irão atazanar a vida inteira e mais ainda do lado de lá! Mágoas ou raivas, já que muitos consideram-se os ofendidos, quando na verdade foram eles os ofensores!

Claro que tenho mágoas profundas em alguns aspectos da minha vida, não, nem é por aí além. Ao pai dos meus filhos, que como ele disse; ia em busca da sua felicidade, e saiu de casa deixando os ninos pequenos ainda, o Nuno com 8 a Neide com quase 3, num País Estrangeiro, sem familia por perto, o meu irmão vivia a uma h e meia de carro. Asseguro que nunca fui capaz de o odiar, e muito menos ter pensamentos de revolta. Nem nunca ensinei os ninos a odiar o Pai, isso nunca, pelo contrário sempre falei bem dele e continuo a falar. Ao principio, claro, era normal, sentir a reviravolta no meu lar, mas, aguentei a parada, tive muitos e muitas amigas como sempre a apoiar em todos os aspectos, e, nunca deixei de falar com ele, nem ele, pois quando telefona aos filhos (agora esporádicamente, longe da vista, longe do coração), pergunta sempre pela mamã, e manda beijinhos à mamã, e nunca deixou de elogiar a mãe dos filhos e a educação que lhes deu, quando confrontado por terceiros, sobre os filhos serem tão educados, queridos! Uma amiga dele que conheceu os meus filhos na casa dele na África do Sul, quando de férias de Natal com o pai, disse; Carlos, dou-te os meus parabéns pelos filhos que tens, e virando-se para eles; e dou parabéns e um grande abraço à vossa mãe, que vos educou da forma que sois. Nunca vi jovens assim, tão evoluídos na forma de ser e agir, estando num lar (inimigo como soe dizer-se)! Não, não tenho pensamentos de raiva ou revolta, tenho pensamentos de Amor, e peço por ele, para que possa criar a filha que ainda é novita, e viver a vida feliz, que seja ajudado e que nunca nada lhe falte! Quem segue o resteas há muito, deve ter lido o post que fiz sobre a nina deles, mulatinha, linda, linda a quem me afeiçoei e de quem tratei o melhor que pude! e ela quando liga ou fala com os irmãos na net, manda sempre beijinhos prá laura!
Assim, há lares desfeitos por causa de uns e outros, mas essa realidade, vivida por mim, dificil de aceitar por uns e outros (ainda pouco evoluídos) já faz parte da vivência que temos agora! Mais vale separados se não existir amor, do que juntos a degladiarem-se dia após dia!
Há velhas contendas familiares que sempre envolvem zangas para toda a vida. Há coisas e loisas que cada um tem, mas, aproveitem a quadra festiva que atravessamos, e, lembrem-se, sai um peso de cima quando se perdoa, ou se pede perdão! Não se trata de cada um se humilhar, porque pedir perdão ou perdoar, nada tem de humilhante, é sim o mais belo acto de Amor!
E que tal rever a sua lista de prioridades para deixar tudo quanto é mau de lado, para começar um Novo Ano cheio de projectos e anseios, e com um Novo Coração!
Haja projectos de Amor e que esses projectos envolvam o Perdão!
E cá por mim nada a perdoar!






quinta-feira, dezembro 17, 2009

 

É Natal!


É Natal!

Anjos cantam
à alegria interior
e apelam à alegria de todos
para juntos trabalharem em prol
da PAZ a verdadeira paz que se sente
quando há amor e alegria dentro da gente.

É Natal

Há fome nas ruas e nos lares de tanta gente
há dores e rancores de quem sofre por nada ter
e há quem lute inutilmente por nada poder fazer

há Países em África onde as crianças não sabem o que é

NATAL

E nunca saberão a não ser que lhes estendamos a mão
E as aconcheguemos ao coração se temos tanto e podemos dividir
Com quem nos aprouver, haja amor dentro de cada um, e gratidão


Natal nenhum nos trará a paz enquanto os corações não vibrarem na mesma harmonia
e o sol não brilhar para todos


Os nossos sorrisos soarão a falsidade se nada tivermos para doar se temos no lar
tanto a sobejar apenas temos preguiça de ir a correr distribuir sorrisos, agasalhos, aos que nada têm e ficamos em casa intolerantes e surdos ao sofrimento dos outros que gritam em vão
por * um pedaço de pão
um abrigo um pouco
de compreensão um
bocado de amor
de gratidão e cada um
poderá tirar do que tem
distribuir entre quem nada
tem e assim será Natal no
teu lar e no lar de mais alguém!


Haja Natal no coração e no lar de todos os meus queridos amigos, virtuais ou não!
Haja Natal dentro de cada um, saiam do vosso quentinho e do conforto, olhem na despensa, o frigorifico a abarrotar, olhem a carteira tão cheia, por vezes, e esquecei-vos de gastar desalmadamente, em prendas que ninguém precisa, em atavios para as casas que já nem sabem onde os por, e, doem, doem-se, façam o Bem pela vossa mão, visitem os abandonados da sorte, vesti os nús que hoje já quase que não há rotos, e acima de tudo, AMAI, amai a outrém como gostarieis que vos amassem, sabe tão bem, tão bem! Temos aqui meninos necessitados, assim como as suas familias, muitos moram ao vosso lado e nem para eles olhais. Tende piedade! Vede os filhos dos vossos amigos, dos colegas que hoje, lançados no desemprego e no infortúnio, têm filhos que adorariam ganhar um presentinho que fosse, uma ceia melhor, não seria bom levar uma pequenina consoada a casa de quem sabeis que não a terá? uma garrafinha de azeite?
Olhai os meninos de África, eles também gostam de carrinhos, nem que sejam os que os vossos filhos já não querem, mesmo com defeitos, eles ficarão felizes por ter carrinhos, e as bonecas que as vossas filhas já nem lhes ligam, e, doai euros para que tenham pão, não só no Natal, mas todos os dias de suas vidas! Trocai de lugar com aquelas mulheres indefesas entregues à guerra ao ódio e devassidão, elas não têm quem lhes crie oportunidades, as ensinem a viver e a ter formas de o fazer!
Olhai ao que tendes e pensai bem, se vos sentis dignos de tanto receber, se algo fizestes para o que recebeis agora! Não se transforme a vossa vida nos caminhos pedregosos da dor, amanhã, porque a quem muito foi dado, muito será pedido!...
É Natal, demos as mãos e juntos cantemos a Aleluía

Esta árvore foi feita por mim, a estrelinha d'alva enfeitou-a, mas aqui ficava com problemas e, a estrelinha dourada em cima da árvore foi ela que a colocou assim como o video, escolhido por ela, e de que gostei muito!

FELIZ NATAL
PARA TODOS OS QUE AQUI VIERAM E VÊM EM BEM
E para os que nem em bem vieram, também!
Amo-vos a todos, acreditem!








quarta-feira, dezembro 16, 2009

 

As minhas amigas são todas Artistas! ...


Kim, o presépio grande na entrada está aqui, e a primeira foto é a continuação de África e do presépio, faço sempre com sabor e cor a África, tem de ser, gosto!... adoro peças de lá, são todas feitas artesanalmente em Angola, Namíbia, África do Sul! até adoro ter algo quentinho na cama do menino Jesus!

Fomos as duas para o monte, a Sãozita, e eu como sempre, (desta vez a Glorinha não foi) antes do Natal, vamos apanhar troncos, abetos e as velharias que estão caídas no chão, ela pega em tudo que como já a conheço, metade vai pró lixo, enfim, como eu digo, levamos lixo para casa, e depois a maior parte volta para o lixo. Era cá uma sacada e o que nem coube no saco! deixei-a em casa, mais o lixo ecológico dela, e... dei às de Vila do Diogo. Nem vos digo nem vos conto, monte abaixo monte acima, lixo que nem sei, ah, como as pessoas são desmemoriadas para verem que o que ali puserem, ali fica, era máquinas de lavar, colchões, peças de carro, assentos, um nunca mais acabar de lixarada, até um pobre cãozito lá estava, a caveira já a descoberto, quase a meus pés, quando olhei melhor em redor, vi o saco aberto, roto pelo tempo e pela chuva, com o pelo ainda mal desfeito, ah, como doeu, com tanto monte, porque não lhe cavaram uma sepultura? Bom, claro que fiquei magoada com quem o fez, sei que é proíbido, mas, caramba, não tinham amor ao animal? Ah, aquilo era um trilho de motas A4, xi, os putos aceleravam que nem sei, e eu nas bordinhas, não fosse ser colhida por algum!


À tardinha ela liga para eu ir buscar o meu arranjo, ah, adoro passar aqueles cadinhos com a minha Sãozita, sentamos na cozinha e damos à taramela que sei lá, não nos vimos todos os dias! e lá estava o meu arranjo, aqui, na foto acima na minha mesa da sala,( a foto não faz jus ao meu arranjo! é muito mais nito visto ao natural) pus o presépio pequenino debaixo da mesa para os ninos das minhas amigas. Criançada gosta de ver.

Este é o arranjo da mesa da sala de jantar, ah, como ela aproveitou tudo tão bem, lixo? qual lixo?

O da entrada! um must!
Assim, as minhas amigas são todas diferentes, ah, não há nenhuma com os mesmos feitos ou defeitos, reparo no que fazem, cada uma à sua maneira e!... São Artistas e está dito! A Getta é Pintora escultora, ceramista, a Glorinha tem mãos para transformar tudo em Arte, a São é o que se vê, a Jusy pinta, se pinta e também escreve!... (refiro-me às minhas amigas de Braga, aqui ao pé da porta!) ah, tenho outras espalhadas por aqui, mas, quando der, mostrarei a Arte de cada uma!

Parabéns Sãozita, e, obrigada pela parte que me tocou...
Para o ano há mais... começamos mais cedo o nosso dia!






segunda-feira, dezembro 14, 2009

 

Nunca tive tanta festa como agora!...



Na foto o Moa a declamar uma Poesia minha!

Moa, acredita que não sei de onde vem este amor que sinto, esta lembrança amiga, este querer-te demasiado, desde que começamos a falar, eu, tu, Osvaldo, Estrelinha naquelas noites de chat, e quase sempre dizias; tenho de ir a Teresa está a chamar-me para jantar. Mas não ias, ias ficando embebias-te na conversa e eu bem te dizia; olhó rolo da massa... Eu janto mais cedo, arrumo tudo e toca a rebate que já tenho a nina estrelinha a chamar por mim... tu apareces, e dali nada lá ias jantar, cear, o que fosse, e junto com Osvaldo, davamos largas à treta que servirá de recordação para muito tempo, e por isso mal te via dizia-te; olhá Teresa e olhó jantar, mas que riso o de todos. Agora rara é a noite que não nos juntamos na treta amiga, é saudável, não há maldade, embora haja sempre quem queria ler o que não existe!... Adoro-te sim, sei que tu também, e depois de nos olharmos nos olhos e convivermos aqueles dois dias seguidos, ah, a amizade amor, mantém-se... assim é que a vida é linda, com amizades como a nossa, acredito que o mundo seria bem melhor. Adorei conhecer a tua Teresinha, em Lisboa, a filha Susana e o netinho tão lindo o Luis Thiago...
Obrigada pelo almoço e pelo maravilhoso dia que passei aí que deu para festejar os meus anos que somem o que somem, eu não sou da idade que tenho! se não a sinto... sentia-me embriagada de alegria e amor, a energia nem me deixou sentir cansaço... senti-me reviver naquele dia, feliz, muito feliz, rodeada de amigos e de amor por todos os lados!

Sexta feira foi o meu jantar de aniversário aqui em casa, os filhos sem nada dizerem, eu já tinha dito que não queria festas nem trabalheiras... compraram camarão, vinhos bons, e foi barrigada de camarão como eles diziam, eles levantaram a mesa, puseram tudo na máquina de lavar, a Neide fez tiramisu na foto abaixo, Nuno, Neide, Telmo e Claudio de prato na mão, o meu rastinhas... pelo sorrir de todos, estavam bem dispostos...
abaixo o tiramisú e o shakita a ver se tinha direito a um cadinho!...

Domingo foi o jantar nas meninas, as garotas amigas, a São e o Kim a Adelina e Hermínio, a Glorinha e getta o Senhor Antunes e todos nos fomos juntando até alargar a mesa mais e mais... foi uma risada pegada, maluquices e mais maluquices, papamos bem, declamaram as minhas poesias, xi, que bonito, que lindo e a companhia, que bom!... cheguei a casa pela meia noite e um minuto, ah, foi por isso que perdi o sapatinho, só que o mê principe ainda nã me veio procurar!... e graças a Deus, são festas e mais festas, e bem dizia eu que na sexta feira o Mateus fez-me perder a cabeça e ficar rosada, mais que a conta!... vá que o Mateus já se foi!... Abaixo estava a responder à minha mãe por estar bem disposta! tão mãe? se me sinto feliz, porque não dançarei? até a Neide ri feliz:) Olhem o grande mateus na mesa, só para mim e mãe!...

Obrigada filhos queridos, obrigada Moa pelo amor e carinho com que me acolhes em ti!... Obrigada ninos de Tabuaço, Osvaldo, Ana, Kim, Zé, dupla L&L, Verdinha e Leonel, António, ah, que gira a nossa dança Popular, ahhhh pena os candeeiros serem baixos demais para ti... e obrigada a todos os que foram desta vez,o Zé do cão, a Bichinho de conta, mai'lo homem da farda azul, a Dad a Paula, Maria Clarinda, as outras ninas que não conhecia, a nossa querida Maria dos Alcatruzes mais o João e o filho o bloguista Corvo... a Brancamar e a filha linda, enfim a esposa do Moa e a filha, netinho, todos, a Tété e o maridão, ah, tété, tens um lindo maridão sim senhora, tens razão quando te referes a ele assim! e mais alguns de que nem sei o nome... se algum esqueci, desculpem lá qualquer coisinha... e os outros que não puderam ir, para a próxima irão, uma coisa é certa, quem não foi ou não pode, é porque não estava destinado!... Acontece muitas vezes porque a vida tem as suas voltas a dar e a roleta nem sempre para em frente aos sortudos que vão estar connosco nestes almoços incríveis!... Haja esperança!






sexta-feira, dezembro 11, 2009

 

Pedaços de vida!...



Clicar na Imagem



A Vera, Verinha, prima da Carlamar, é uma nina mais nova que eu, sem ouvir também, e, sem falar, e agora acamada, enquanto a Carla me falava dela no chat do gmail, senti a poesia correr, e, apanhei o momento. São para elas estas imagens que o Martim, o filho da Carla, fez o favor de formatar! Obrigada Martim pelo miminho de me chamares também de Tia Laura, soube bem!...

Verinha, hoje é o dia do meu aniversário, e senti que queria partilhá-lo contigo, e em vez de festas e champanhe, preferia estar junto de ti a mimar-te, mas, estamos tão longe, tão longe assim!... Um dia que seja possível, hei-de ir dar-te o meu abraço apertadinho. Tem a certeza de que não estarás tão só! A partir de hoje terei o pensamento na menina que, teve a vida difícil... mas, o amanhã será melhor, muito melhor, ELE prometeu!...

Um beijinho da laura






 

Essa Luz !...



Essa luz

que acompanha meus passos
e me faz trocar de caminho
essa luz que ilumina e me canta baixinho
os acordes do amor.

Essa luz

que me diz sem pudor
que o amor é para viver
e o caminho teremos de ser nós
a escolher.

Essa luz

que sinto ser divina
que me diz que não estou a pecar
se alguém em amor desejar
e em mim quiser ficar.

Essa luz

que acredito verdadeira
que me deixa sentir a vida na imensidão
envolta no mais puro amor
que faz as delícias do meu coração.

Essa luz

que quero ver brilhar
por todos os dias da minha vida
essa luz que me vai levar ao encontro do amor
e à felicidade na terra, prometida!



Laura, laurinha, mais um ano que se vai, pleno de sonhos por sonhar, ainda, ou sonhos vividos, em míseras migalhas, mas, vividos! (pequenos momentos de felicidade) sou grata pelos bocadinhos tão maravilhosos que a vida me deu ! Nesse aspecto os meus amigos da blogosfera, alguns já a morar no mais recôntido do meu ser, serão especiais por toda a vida! Falo do nosso grupinho tão selecto que gostaria de manter, para que em momentos oportunos, possamos juntar-nos de novo, e também dos novos amigos do almoço do dia 6, ainda irei postar, só que não tenho fotos à maneira, espero que o nosso fotógrafo que não brinca em serviço, as mande, mas só lá para o dia 20, por aí, ele estará em casa e assim!.. não me alargo! Vai ser um dia normal, faremos jantar abastecido das mais finas iguarias que os filhos combinaram, mas, claro, a mãe tem de dar a sua parte, ou seja, ajudar no jantar, na cozinha, ora pois! Mas, Domingo haverá jantar de gala nas meninas, tudo a preceito para festejar, é que o restaurante já está cheio, sábado...Kim, ontem abri a tua garrafa de bom Porto! estavamos os três, o Nuno, Neide e euzinha, brindamos a ti, a mim, pelos anos e a todos pela vida feliz que lhes desejo!

Laura, laurinha, que tens tudo para ser feliz, mas, a vida não deixa!...


Hoje ia colocar um post em homenagem a uma amiga, amiga por ser uma nina como eu,surda, sofrida, a quem a vida rasteirou desde menina, mas, não consegui colar o pps e pedi ajuda, e, será o meu aniversário, e os parabéns não ficariam a jeito,ali!enfim!... Amanhã será, ou logo pla meia noite!

Um beijinho querida Verinha!










quarta-feira, dezembro 09, 2009

 

A difícil arte de agradar a todos!...


Comecei de pequenita a escrever, aos cinco anos já andava na escola, nem de propósito para aprender os sons das palavras, das letras! uma vez que passado um ano, pouco mais, perdi a audição e assim, aprendi a dicção das palavras, a escrita e muito me ajudou! Nada é por acaso!
Sempre gostei de ler, ah, ler, adorava os longos dias de férias de Inverno, quentinha, na lareira ou na cozinha, e livros, o pai comprava-os, abençoado pai que me ajudou e ensinou a ler... a multiplicar, somar, enfim, ajudou-me a entrar no mundo das letras! e sabe Deus que jamais sairei dele, a não ser que algo aconteça!


Aprendi tudo em matéria de Arte, a Arte de ganhar a vida, entre artes e artes... a arte de ser uma mulher, enfim, a arte das artes a máxima de todas, acho que é a escrita! mas para me desenrascar na vida, sei a dificil arte dos sete ofícios, faço de tudo, aprendi, ora pois!... um sem fim de coisas que em toda a vida me ajudaram a ganhar quando era preciso. Nunca gostei de trabalhar fora de casa, nunca, temos no lar tanto que fazer, voltamos estoiradas para casa, continuar a tarefa do dia anterior, enfim!
Mas, quando é preciso ter Arte, aquela arte de nos fazer estar de bem com a vida e com todos, ah, essa sim, eu desenrasco-me bem, aprendi que nada na vida se alcança sem trabalho, sem custos! e nada custa também saber ceder, saber fazer de conta, mesmo que não se concorde, não lhe chamo hipocrísia, chamo-lhe apenas aquele bocadinho de compreensão que faz falta a muita gente, mas, naquele momento se torna difícil de aplicar!


Haja Arte, ora pois! é preciso saber manejar os cordelinhos sem nos transformarmos em marionetas, e eu que o diga!...