A minha Poesia em pps
Formatado por Zélia Nicolodi, Vitor Campos e Estrelinha d'Alva
(clicar na Imagem)

















Quero Alguém


O meu tecer de Esperanças!...


Já escalei a minha montanha!...


Amar-te-ei Sempre!...


Não te vás nunca!...


Não foi o ocaso


terça-feira, setembro 29, 2009

 

Era o som dos teus passos !...


Era o som dos teus passos
Que queria ouvir
Tal como o cascalho que piso
E ouço
Neste Outono
Que ainda é verão !...
E o cascalho
Que piso
Desolada
Está ao abandono
Tal e qual
O meu coração !...



Fotos de laura, tiradas ontem num dos meus passeios a sós por aí!... Acrescentei algumas palavras, depois.

De ressaltar as belissimas cores das folhas das árvores com seus trajes Outonais, são belissímas, coloridas e por isso adoro o Outono, porque ainda não é frio de todo e o calor mal e sente, mas este ano, sente-se sim!... e de que maneira!
Cascalho, pedaços de arbusto, pedras, ramos partidos, de tudo se faz cascalho, e enfeita a terra de cores mil!...






segunda-feira, setembro 28, 2009

 

Moa, o homem, o amigo e o Poeta, Escritor !..


E foi assim que nasceu a mais pura e terna amizade, entre o Moa e a nina, o Moa dos livros de Poesia, cantares, prosa, o Moa do fado, o Moa homem gentil, querido amigo, com quem já tinha trocado emails e, juntamente com o Osvaldo e Ana, no chat do gmail, e, quando estavamos todos no melhor da treta, a esposa, a Teresa,chamava-o para o almoço ou jantar, o que nos riamos os três, na altura, à conta disso... e lá ia ele, pois ela já o tinha chamado mais vezes... mas, conhecer este jovem galante, educado, ao vivo, foi um privilégio dos Deuses!... Assim, andamos de braço dado por aí a passear, como diz a velha canção, e fizemos de muleta um ao outro, que o terreno era acidentado!... se já eramos amigos da alma na pouca troca de palavras, amigos mais chegados ficamos, depois destes 3 dias em sintonia de passos, de falares, de dizeres e sentires, porque os Poetas conhecem-se a fundo, sabem do que falam quando escrevem, e o que sentem!...
E assim, o nosso encontro só poderia terminar desta forma como as fotos mostram, no painel lindo no miradouro, em terras do demo, e onde nos separamos uns e outros para cada um regressar ao seu lar! Apesar de para mim serem 4 dias bem contados! Dançamos na rua à luz da lua e das estrelas, bebia-lhe as palavras, se o entendia tão bem, ah, Moa, dificuldade em ler-te? Nenhuma, se a todos eu entendesse assim! e o Fado? ler as palavras de perto, ouvir o som da sua voz!... (Kim e Osvaldo, verdinha) obrigada pelo filme e fotos sem o qual não seria possivel guardar aqueles pedaços de tempo!Não vale a pena alongar-me mais, mil palavras que dissesse, não chegariam para descrever este Homem de coração ternurento e de alma como a minha, sentindo a vida como eu, sentindo que a vida não é para viver com os ensinamentos ou quereres dos outros, mas, sim, com a forma como a queremos viver, e pensar!...E assim, meu querido Moa, o primeiro que ao outro lado chegar, já sabe que nos vamos ver e continuaremos a treta interrompida, como se diz; no melhor da festa! Amei conhecer-te, amei estar convosco, com todo o nosso grupo, com a gente da nossa gente. Foi pena a Teresa não poder ir, mas outras oportunidades virão!
Da parte do Osvaldo, o convite foi feito, o Kim aprovou e envolveu-se, e nós todos ansiando aquele encontro, mas, sabendo de antemão que seria assim, memorável, puro, amigo, e belo, belo nos sentires e dizeres de cada um, belo no amor que tomou conta de todos...
Assim; gracias Osvaldo e Ana, Kim, Luisa e Luis, Moa e António, o contador de histórias, Verdinha e Leonel, e gracias também ao irmão da Ana, de Rio de Moinhos, o homem que sabe a história da terra, e nos mostrou montes de cultura e arte. Pena ter de regressar à base, ainda cedo e não continuou connosco, obrigada Zé, grande Homem no tamanho e na alma!...

E lembrei-me de um verso escrito e bordado, numa almofada que ainda existe em casa dos meus avós!...

Era assim que eu te dizia
Nesses tempos que lá vão
Tudo envelhece na vida
E sempre novo o coração !...

Abraço Moa, abraço de ternura de mim para ti, e que a vida te dê alegrias imensas, pois ela muda a cada instante!
Laura.






sábado, setembro 26, 2009

 

A uma flor do deserto!... Verdinha!...


Parabéns à verdinha!


Nasceste em solo d'África
Ao lado da terra onde vivi
Cruzaste os mares
Voltaste à terra de teus pais
E por força do destino
Vieste parar
À terra onde nasci !...

És uma flor
Nascida no deserto
Que trocaste o teu País
Pelo amor de um homem
O homem a quem sempre
Amaste
E teu amor dedicaste !...

Enfim, ambas rodamos o mundo
E encontramo-nos aqui
Através da escrita
Através de amigos
Que vão entrando nas nossas vidas
E no nosso coração
Vão tendo guarida !...

Amei conhecer-te
Finalmente
Amei todos os momentos
Instantes
Do tempo que passou a voar
Mas que dará para de sonhos
Minh'alma, alimentar !...

Felicidade
Neste dia em que nasceste
E que a vida sorria para ti
Toda em verde
Tão certo verdinha te chamaste
No mundo da virtualidade
Este mundo onde te conheci !...

Pois foi, um amigo nosso que tem o dom de trinar como os passarinhos, ontem segredou-me algo, e, aqui estou a desejar-te um dia feliz, pois sei que és uma mulher feliz, junto do companheiro amado, filhotes queridos, e em paz, muita alegria, amor !...
Quantos fazes? Nem importa, acho que estás perto de mim, enquanto tu nasceste lá, nascia eu aqui, mais cedo, e como podes ver, viajamos para longe e perto, mas, acabamos por nos encontrar... o mundo queria que nos viessemos a conhecer!... Estas flores ali acima, são dos lagos da tua terra, segundo me parece!...
Adoro-te princesa, princesa por um dia!...






sexta-feira, setembro 25, 2009

 

Pão de Palavras !...




Enquanto o lavrador

Vai semeando os campos

De onde extrai o pão

Eu semeio palavras

Com uma pena na mão !...


Palavras de solidão

Que não me sabem a pão

Mas a lágrimas

Que trazem angústias

Ao meu coração !...


Cansei de arrancar

Espinhos

E de semear sonhos

De tentar adubar a mente

Racionalmente!...


Com palavras de amor

E com elas veio a dor

E mais palavras

Sofridas

Por mim colhidas !...


Ah, como é fácil

Segurar numa pena

Plantar palavras

E enxertá-las

No papel, serenas !...


E difícil meu destino

Tentar cumprir

Sem saber

Se hei-de chorar

Ou se hei-de rir !...


Das partidas que a vida

Me anda a pregar

Quais ervas daninhas

Que crescem dentro de mim

E não sou capaz de as arrancar !...








segunda-feira, setembro 21, 2009

 

Qual brevemente! em Tabuaço !...


Para quem já estava farta, fartinha de estar em casa, onde nada de novo acontece, e para o passeio que estava programado, passeio assim a modos de casamento cigano... a festarola para mim, durou 5 dias!... fui um antes e dois depois, dos restantes! Ora, deve ser o tal castigo de que falam, ah, nunca me senti tão feliz, tão amada, e mimada pelo pessoal todo...(A Ana e Osvaldo, ainda queriam que ficasse até ao fim de semana, amanhã iriamos ao Museu José Malhoa, nas Caldas que até gostaria de ir lá, mas, tenho pena da Neide, com as coisas da casa e o trabalho, e como diz o Osvaldo; nina, nem penses que te livras de nós! agora tens de arcar connosco todos os anos, ah, já me convidaram para ir com eles e mais uma nina dos blogues e o marido, e o Chef e dono do Tábua'Daço, à terra onde se tornou famosa a Valsa de Strauss , longe lá longe, e, quem sabe!)
Assim, almas amigas, (todos os que fizeram parte do encontro!) sinto que já fizesteis parte do meu passado! fazeis agora do presente, e o futuro, Deus o sabe!...

Ana e Osvaldo. Acreditem que não há palavras para definir estes dois maravilhosos Seres de LUZ!... basta que se diga que aquilo que eu tinha definido como as pessoas que eram, era tal e qual e assim!... A própria família dela que vive lá, irmãos, ai o irmão dela que fez de cicerone até um certo ponto do caminho, que afazeres inadiáveis, não o deixaram prosseguir... esse Senhor é que sabia o que dizia, a relatar a verdadeira história de cada local! bebi-lhe as palavras! os sobrinhos, Jesus, acreditem em mim, é tudo gente de outros mundos... pouco têm de terrenos!

A primeira foi a verdinha, na sexta de tarde, tal e qual a imaginava, a loirinha Belga, a nina da simpatia e do coração transbordante de ternura e amor... ah, que marido, que marido conversador, querido, gente genuína,gente que espalha amor, sinceridade, e, bem, agora que já passou, ficaram saudade!... nesse dia fizemos jantar de churrascada, sobremesas lindas, já nem sei quantos eramos. Ah, verdinha, vá que entendi e entendeste-me, o nosso linguajar já faz parte da lingua Universal... e que tal aquele passeio quase agendado plo Osvaldo e Ana? Valsamos?

Mais tarde veio o André Moa, na foto com a nina das resteas! autor do Livro Mau tampo no Anal... Bóina à janita salomé, mais o mano dele, o António que já conhecia de ouvir falar, pois foi colega de Curso, de uma grande amiga minha,a Majo, ahhh, apanhei-te António!... mas que rir com este moço amigo! queria a todo o custo, fazer-me crer que eu nem sou gorda, que sou linda, enfim, gostos nem se discutem! o Kim chegou mais à noite, acho que mudou de estrada, enfim...o Kim mai'la maquineta dele de fotos e filmes, é que quando dei conta, estava na cozinha a fritar os pasteis de bacalhau, e, só passado um pedaço sinto que estou a ser observada e, lá estava o homem da maquineta, escondidinho atrás da parede, e, filmou, espero que os pateis tenham saído bem no filme... e as carradas de amor que este homem derrocha, ele a Luisa, o filho...

Desculpa a minha nuvem na foto, Moa, é que não dá para verem a beleza estonteante da nina das resteas, se é que me entendes!..

O Moa, Fadista de garra, Escritor, Poeta, Advogado, Juiz e sei lá que mais, rapaz, daqui nada precisas de mais que uma bengala para te encostares, tão pesado és em titulos!... cantou para a nina das resteas, para ela entender, ah, Moa, Moa, deves ter visto a nina a correr para a cozinha!... era cada fado que me enchi de botar lágrimas. Moa, meu querido amigo, ofereceste-me a amizade que já nasceu há um tempinho através de emails e do blogue, fizemos parte da vida um do outro, desde aquele dia. Espero que nos possamos ver muitas vezes, entre risos e lágrimas, sim... que, se o riso mostra a alegria e a felicidade, não é menos certo que a dor é o apanágio de muitos, pois o sofrer transporta-nos a mundos que poucos conhecem, e elevam-nos para outros ainda melhores!... se a muitos a dor transforma em revoltas, a nós transformou-nos em guerreiros de Amor! Adorei ser a tua márida enquanto tu eras o meu márido! Namasté! oh, apenas faziamos o teu pequeno almoço, juntos... e caminhamos de braço dado (que bom andar de braço dado plas ruas, com um Ser maravilhoso como tu)
Que ternura nos vossos relatos de meninos ! assim como é a terra do Osvaldo, esse Osvaldo tão amigo que como já disse, é um Ser diferente da maioria, é alguém que se preocupa com os outros, alguém que ama a sua terra também!... e se preocupa com a sua mulher. Ah, e ela? ela? idem, idem, se só vendo se crê, eu vi, eu senti o amor que os une! É esse sentido que eu tenho do casamento, para mim é esse viver lindo que eles têm, que eu adoraria ter, um dia, ora pois, sonhar é livre! Que bom que ficou tudo relatado em filme e fotos para a posteridade... Moa, até dançamos no meio da rua, à noitinha, só com a luz das estrelas, a verdinha e a Ana, o Kim, cantavam a plenos pulmões, em Francês, e nós a dançar no passeio... a música acabou e eu continuei... ora pois, Moa, atã a gente não faz a música de dentro? isso foi depois do jantar no Tábua D'aço,do Thomas Egger, no Tabuaço, grande amigo do Osvaldo... ai que cozinha (tem fotos no Kim,(às vezes fim de semana) da telha com bacalhau na mesa, ui, que bem se papou, tanto que tivemos de ir andar a pé... e passamos numa fonte que é rica em amor, se mais água bebermos mais o amor nos bate à porta, enfim; andei para despejar a dita, mas,vamos ver se resulta!... e dormir, dormir? Pois, na Quinta dos Herédias, ê cá por mim dormi com o Conde e o Visconde... se tinha lá as fotos e era o quarto deles.
De manhã, acordei e fui à varanda, e ouvi um certo pássaro a cantar bem alto, é que o Kim tem o Dom de fazer sair esses sons, mas, não, não era o Kim, eram os passarinhos a cantar a chilrear naquela rica manhã! Saí por ali, eram socalcos e mais socalcos, uvas, e as vindimas, vimos muitas vindimas, no terreno, até tinham as lojas fechadas para vindimarem. (por ironia, nem conhecia esses lugares lindos, as curvas botam-nos os ossos em farelo, mas, chegamos inteirinhos a casa, graças à condução do Piloto Osvaldo... xi, o nino carrega que nem sei... mas, em segurança, e com aquele potente Mercedes, quem não vai bem?)

E o moinho da tia Rosa, nas Poldras, estava prometido pelo Osvaldo, iremos ao Moinho das Poldras, e blá blá, tal e qual foi feito. Claro que uma pessoa, pensa que; agora vamos, mas depois já não se vai, ahhh, meninas, nem vos digo onde é, pois aquele local é digno de ser visto, amado, sentido e assim me senti lá, a gosto, deitei pedras ao rio, sentei-me na margem, aquilo é tudo entre o monte e outro monte, a verdinha descalçou-se e enfiou os pés na água, ó verdinhaaaaaaa, podias constipar-te... Deitei-me na rede, balancei, soube tão bem, até os gatos se apaixonaram e vieram acompanhar-nos até ao carro, bem longe ainda! O Kim,ah, esse fazia as pedras saltarem mais de quantas vezes, as minhas, se saltassem duas já era bom, o filho do Kim, aprendeu, apanhou-lhe o jaito e saiu ao pai... o pessoal quase todo, todos deitaram pedras para saltarem, ainda consegui alguns saltos mortais, com as pedras, o mais famoso foi acertar na perna da verdinha ehhhhhh, e de que maneira, ehhhhhh...
uvas, bastava apanhá-las, figos que eram bons cumó milho...ui... só que tivemos de andar a pé pra caraças, o carro mal dava para virar ali, mas, era tudo lindo. Deixei recado para que quando for acompanhada, claro, quero dormir ali uma semana e o casal que lá mora vai para a cidade que têm lá um apartamento, basta pedir... só a dois, vai ser lindo, há onde tomar banho, flores mil, paisagem de sonho, enfim, a ver se terei uma foto para vos fazer ter uma ideia, e, descansem que não sabem encontrar o local... nem de gatas, nem de boca. Eles são ciosos da sua privacidade. Mas, emprestam aos amigos.

A nina Maria dos Alcatruzes, ligou ao Osvaldo e ainda falei com ela, entendeu, ó pois, mas quem não me entende?
Enfim, foram dias de festa cigana como já tinha dito. O Kim,Luisa e nino, adoro-os e quem me dera tê-los mais vezes em festas, juntos. Estar junto deles é estar á vontade, descontraídos e em simplicidade...

Esta poesia foi escrita para o blogue do Kim, tirei-a de lá, por agora, e é tudo o que sinto que está nela...
A poesia do encontro será escrita ainda!...

Mesmo que um dia me perca de vós
Mesmo que um dia o tempo se acabe
Mesmo que um dia o sol deixe
De brilhar
Na nossa amizade
Tenho a certeza de que o nosso amor
Jamais se irá acabar
Esteja eu onde estiver
Sempre vos hei-de
Recordar e amar!...

Nomes?
Nem serão precisos
Apenas recordarei
O belo coração de cada um
A ternura que deram
À nina, que infeliz
Soluçava em pranto a dor
Que não sabia como amenizar
E tinha o coração magoado
E a sangrar!...

Mas, os amigos
Os amigos de toda a hora
Deram as mãos
Fizeram roda
Cantaram para ela
Enxugaram o seu pranto
E tudo quiseram fazer
Para a ajudar
Só que a dor que ela tinha
Demoraria a passar !...

Mas, não tarda
estarei por aqui
de coração a brilhar
Porque o amor dos amigos
É tudo o que por agora
A vida , me pode dar !...

Antes de vir embora, fomos almoçar a casa do sobrinho da Ana, moço novo com três filhos lindos, mas, a mais novinha! Esperem, fica para o próximo post... Mas, tomamo-nos de amores uma pela outra, só com dois aninhos, era vê-la sempre pela minha mão a dar-me miminhos, beijinhos, amor, carinho, e até já vinha comigo para Braga, eu não digo? Há Anjos na familia!...E a Ana é um deles!... e o Osvaldo? senti-o como um anjo protector!... É por isso que Deus no-los empresta, de vez em quando, para sabermos que é possivel viver em harmonia, na terra!...
Fotos do Kim! e, beijinhos Kim, sempre!...






quarta-feira, setembro 16, 2009

 

Levo sonhos, debaixo do braço !...


Eu levo sonhos
Debaixo do braço
Levo-os para todo o lado
E nunca me esqueço
Que preciso de ir longe
Tão longe para onde eles me levam
Tão longe que me esqueço
De voltar ao lugar de onde parti !...

Eu levo os sonhos
Tão longe
Que eu própria me admiro
De tanto sonhar
De viajar por tantos mundos
De encantar
Que quase esqueço
De à terra voltar !...

Nos meus sonhos
Há fantasias
Há mil palavras por definir
Mil desejos por cumprir
Mil quereres por querer
Mas como sei que todos
Um dia se vão realizar
Deixo-me apenas, sonhar !...

Porque sonhar é que me trará
Tudo o que desejei
Todos os sonhos que sonhei
Acordada
Porque os sonhos que sonho
A dormir
Esses já me levam ao mundo
Onde tudo se pode descobrir !...






segunda-feira, setembro 14, 2009

 

Em busca de ti !...



Consigo estar assim

Como quem, não sabe de si

Sei sentir que há momentos

Em que saio de dentro de mim

E corro pelo mundo

Em busca de ti

Mesmo sem saber

Por onde andarás !...


Eu consigo

Sonhar-te

Eu sou capaz de adivinhar

O que farás neste momento

Sei o que sentirás em ti

Quando o meu olhar

De tão longe

No teu se perder !...


Eu sou capaz

De estar assim

Tão dentro

E ao mesmo tempo

Tão fora de mim

Porque eu sei

Que o amor

Jamais se sente só !...


Eu sei sentir-te

Eu sei tocar-te

Eu sei amar-te

Somente com o coração

E o teu rosto

Vive em mim

Porque no amor

Não há indecisão !...


Porque o amor

Jamais deixará de ser

A minha ilusão

E enquanto eu conseguir

Ter-te em mim

O tempo vai passando

E cada vez mais

Te irei sonhando !...









domingo, setembro 13, 2009

 

Exorcisar, fantasmas...



O Rod, como carinhosamente a nossa Soledade lhe chama... diz que as minhas poesias de amor, não são mais que o meu exorcisar de fantasmas, ó Rod, atã, explica aí como exorcisar os meus fantasmas, já que te mostras tão sábio, no assunto! e até já tens o turbante, estás prestes a começar a sessão!... só falta mesmo a bola de cristal, mas, como não a vejo, deves tê-la enfiado nalgum lado, no bolso das calças, por exemplo, ehhhhhhhhhh.

Relmente andam por aqui uns fantasmas que precisam de uma boa dose de exorcismo, mas, que queres, ainda nem há latas no super, que façam o efeito na imagem abaixo, pelos vistos já as há de água benta, mas, como dizem que; presunção é água benta,

(ai, nem queiras saber a cara com que fiquei, quando num funeral, vejo uma senhora do Povo, a deitar um spray qualquer na cara da minha amiga que estava já sem forças, eu olho-a e digo; tenha lá calma senhora, a moça não precisa disso, ela, olhando-me furibunda pela minha intromissão; a senhora sabe o que é isto? e sem me dar tempo de responder, remata; é água benta... ( disse eu, pra dentro; arre, tu é que precisas de água benta, deves estar possessa mulher)


e, os meus fantasmas têm carradas dela, (de presunção e de falta de imaginação, e, são distraídos!) e bem alvitrava a Soledade, fffffffffffffffffffiuuuuuu com o mata insectos rastejantes, mas, amigo Rod, se os meus fantasminhas se forem, já viste a seca que vai ser? Isso quer dizer que já saí de circulação, e, enquanto me mantiver em tempo de antena, o estatuto sobe! Adoro sentir a sua presença todos os dias, várias vezes, e, nem me provocam arrepios, só gozo.

(Na imagem, da net, fantasma depois de ser exorcisado, com a lata da água da presunção)

Foto do shakita, tirada pla dona num momento de descontração!

Divirtam-se a ligar, o shaka fica no posto de trabalho dele, e atende os telefonemas. Quanto à dona, ela vai daqui nada sair com os amigos e só regressa noite cerrada...








sexta-feira, setembro 11, 2009

 

Há vozes que cantam o amor !...


Há vozes que cantam o amor
Há ternura nos seus sorrisos
Há saudade nos cantares
Há dores de amor
Pedaços da alma
Que se vão
Recordações que nos ficam
No coração
Sentimentos que ficaram
Aprisionados
E ainda revivem em momentos
De solidão
Porque o amor
É algo que sempre vai existir
É algo porque toda a vida
Hei-de percorrer
Caminhos
Irei ao seu encontro
E dele nunca me desviarei
Nem nunca me perderei
Porque o amor
Estará sempre comigo!...






quinta-feira, setembro 10, 2009

 

Já me deixei de pão, ao pequeno almoço!


Duas bolachas de água e sal, doce, fiambre, o que apetecer, o meu sempre presente café, caké com leite, caké como a Neide pedia em pequenita, queijo, etc. fruta só se apetecer. Os comprimidos o coaprovel para o coração funcionar a preceito, os outros dois são, ferro e vitaminas, produto natural.
Claro que o café nunca mais soube tão bem como o das terras distantes, Carmona, Serpa Pinto), feito pelas mulheres naturais da terra, torrado e moido por elas, nas fazendas, e, sentada à fogueira e só com a luz desta, e a luz do luar, com os amigos em amena cavaqueira, sabe muito melhor! e nas noites de lua cheia a ouvir os tantãs, porque eu ouvia o som, estava tão pertinho deles, tão perto, o encanto e a magia da noite, a serenidade, a paz!... embora fosse tempo de guerra...

O pão, o malfadado pãozinho de todos os dias, pu-lo de lado, é raro comer pão, isso tem ajudado a que a perda de peso se vá mantendo! (o que não quer dizer que; se a vontade doer, como já tenho feito, lá vai um pãozinho, fresquinho com fiambre, por exemplo, e como sabe a pecado, ainda sabe melhor, ora pois!) São servidos? Sentem-se na minha cadeira azul, é que eu adoro o azul, já deve ter dado para reparar, adoro todas as cores, mas, morro pelo azul do céu, do mar, das cores da felicidade!...
E... vou prá rambóia, mal tenho saído e casa, a chegada do Nuno para breve, o arrumar, limpar a fundo, porque quando não se limpa a fundo, mais cedo ou mais tarde há que fazê-lo e, como eu aldrabo imenso, o tempo!... lixa-me!...






terça-feira, setembro 08, 2009

 

massagem!... hem hem hem ....



Ui, tô de todo, hoje deu-me, não, não me deu, perdi o juizo isso é que foi... Fiz coisas que nem devia, enfim, de mim espera-se tudo e mais alguma coisa! Eu fiz mais de nem sei quantos exercicios de quiroprática, de massagens manuais, ahhh, as melhores que tive até hoje, se não acreditam, olhem pra mim! e olhem para as mãos que me afagaram, perdão, massajaram o meu corpo... Relaxadinha, podem começar os exercicíos que eu vou explicando!... é tiro e queda para ficar a necessitar de outra massagem ainda mais prolongada, ao comprido, ora pois...

Exercicio número - 1 subir descer escadote centenas de vezes
Exercício número - 2 fazer gestos de quem está a lavar azulejos desde cima até agachar
Exercício número - 3 dançar com a vassoura pelo chão, em todos os sentidos
Exercício número - 4 escorregar na lixivia e levantar-se rápidamente, senão...
Exercício número - 5 patinar vezes sem conta no chão molhado

Ufa, à parte das vezes que escorreguei e fiquei ajoelhada, eu e a minha mania de andar sempre a pedir perdão a toda a gente!...
Patinar, que saudades e vá lá que a minha cozinha é espaçosa quanto baste, parei antes da parede... acontecer, e, para me proteger, ainda finquei o dedo médio, o que me valeu uma negra, é o carimbo da marca do trabalho feito, enfim...
Bom, dá para ver que hoje foi faxina na cozinha, que levei joelhadas, tombos de'spantar, esfreguei esfreguei que já nem conseguia parar, mas, a gaja ficou a brilhar com as cores do arco iris..., até pus as cortinas limpinhas.
Me massagem por favor! Onde tem massagista disponivel agorinha?
Ufa...






segunda-feira, setembro 07, 2009

 

Rosas brancas para a nossa Lady, Zélia Nicolodi !...


É sim, um ramo de noiva
A noiva linda que você foi
A noiva linda que continua a ser
Porque o brilho da sua alma
Ofusca as mais belas rosas

Que o mundo pode ter !...


PARABÉNS QUERIDA ZÉLIA NICOLODI !...


Essas tulipas são em açúcar, um bolo para todos festejarmos com você o dia de hoje ! E, soube do seu aniversário pelo nosso querido amigo, o Xistosa, foi memso por acaso, estavamos a falar os dois e, ele segredou-me uns z.z.z.z.z.z.z.zzzzzzzzzzzzzzz e, aqui estou, desejando-lhe as maiores felicidades e um dia fora do normal, cheio de paz, alegria e amor!...

E... tiro-lhe o meu chapéu, aí vai ele em bolo... pela grande, enorme, talentosa Artista que você é, ou seja, a Diva da Poesia, pois suas Poesias nos encantam a alma, por vezes parece que foram escritas para cada mulher, cada mulher que nós somos, porque todas fazemos parte do mesmo Universo!...
Para quem não a conhece, ou reconhece, aqui, é a Zélia Nicolodi, a nina que formata os meus PPS!... lhes coloca a música que eu ainda não posso escolher, enfim, é uma grande e linda mulher de olhos azuis, profundos como mar !...

E me desculpe, só consegui apanhar essa foto, ah, o meu pouco jeito para o pc, deu nisso, mas, fiz questão de que sua foto aparecesse...
Lhe abraço ternamente neste dia, um dia que lembra a sua chegada ao Planeta Terra!...






domingo, setembro 06, 2009

 

Um linguado à maneira!...


Também tenho desejos de um bom linguado, ora pois !... E há quanto tempo não provo um destes, de categoria, à maneira!... como nos velhos tempos.

Como quando me entrevistaram, aos 16 anos, e a minha amiga me perguntou; já provaste alguma vez, beijo de linguado? 16 anos, ó santa parvoice e tola ignorância, já, respondi prontamente, enquanto que a minha amiga arregalava os olhos desmesuradamente! enquanto eu desfiava o meu provar! Já , pois, a minha mãe faz todas as semanas, recheado com camarão pequenininho (verdade) com arroz de tomate e salada de alface!... Ó burra, ó palerma, não é isso rapariga, estás parva laura? atã? respondo eu, já chateada com aqueles mimos todos... diz ela; são beijos que se dão com a lingua ó rapariga, e eu presumida a espertinha? ãn? tão? ó laura, caramba, não me digas que nunca deste um desses! Ê cá na dei nã... no cinema só vejo daqueles de lábios colados, tão lindos, mas isso não é de linguado, bom, explica lá ó Landa... ó mulher, isso é por a lingua de um na boca do outro, e eu pouco convencida, ná, nã nã nã, e os dentes?... (bem, pelo sim pelo não, imaginei uma boca fechada, e, os dentes, ó pois, os dentes abrem-se, bolas, ehhhhhhh enfim... ainda hoje dá riso quanto baste, lembrar os meus 16, e até aos 18, fui burrinha de todo, mas, aos poucos lá fui olhando e aprendendo, não pela experiência não senhora! Isso só aos 22 é que se começou a tornar mais claro, para mim...

E, voltando ao linguado, o Manel foi ter com um grupo de amigos, só regressa à noite, a pariga foi à sogra, e aqui a je, sozinha, comprei frutinha fresca, e fiz este almoçinho mimoso, sem calorias a mais, e... que bem me soube, saladinha de alface, cenoura ralada e um bom linguado, só com alho e azeite no vapor... e uns bagos de uva, bolachitas de água e sal.. e viva o velho linguado!...


Foto de laura.






sexta-feira, setembro 04, 2009

 

Viver noutras linguas !...


Nesta foto, o Parlamento Sul Africano, em Pretória, foi lá que tirei as fotos do meu casamento com o pai dos meus filhos!...


Quando em 74 começou a guerra em Angola, e todos a debandar numa de salve-se quem puder, pelos caminhos das matas infestadas de animais selvagens e de terroristas acoutados, caminhos que muitos nunca tinham trilhado, em caravanas de kilómetros e kilómetros...

caminho onde passava imensas vezes a pé, o cheiro dos jacarandás é único!...

Como não ouvia, ó valha-me... porque iria eu viver num País de expressão Inglesa e Africanze, se nem se lia nem uma nem outra nos lábios! Laurinha, minha querida laurinha diziam as amigas, naquela dor de nunca mais nos voltarmos a ver, o que será de ti para entenderes e aprenderes a lingua se é necessário ouvir para pronunciar, e não se lê como a nossa lingua, será que vais conseguir arranjar trabalho?...!... Eu, como sempre, metida a guerreira, nem parei para pensar nisso, alguém do Alto velaria para que nada disso fosse um impedimento para a nina de 22 anitos, feitos há pouco. Deixei um belissimo emprego em Luanda numa Firma muito avançada e moderna, enfim, tinha de ser... Sortuda sempre fui, nestas andanças de mudar de terra, de País, de mundo. Acreditem que nunca me passou pela cabeça que seria dificil de arranjar trabalho para quem não falava a lingua! Parece-me que nem pensei nisso, eu e aminha ligeireza de que tudo se resolve...

Era nesta linda cidade que vivia, trabalhei, amei e fui feliz, feliz até um dia!aqui nasceram meus filhos!

Cheguei a Pretória no dia 11 de Junho, no dia 1 de Julho, já estava a trabalhar nos CTT, no Centro de Pretória, o General Post Ofice! Na correspondência! nas cartas de caixa postal. Comecei logo, não, não vim nas caravanas ao frio à sede e à fome, não senhora, simplesmente tomei o voo para Jhoannesburgo e mais nada, sozinha, sem bilhete de retorno... qual problemas no aeroporto? Fiz amizade com duas senhoras Portuguesas, vinham sentadas a meu lado (não era por acaso, pois não? no meio de tantos Sul Africanos!... laurinha, se precisar de ajuda, diga, estamos aqui deste lado e à vista noutro guichet a tratar dos passaportes... Nada foi preciso, desembaracei-me num instantinho, só que ainda estou para saber o que é que o homem me disse, enquanto eu dizia os meus únicos yes yes e yes...e o meu thank you... o velhote carimbou tudo, disse-me bye bye, e, apanhei-me lá fora nos braços do meu pai que chorava por ver que eu não fiquei retida como a minha mãe, por levar so viagem de ida e não de volta... bom, os meus yes yes resolveram tudo, e o meu mano mais novo que falava tão bem Inglês, de nada lhes serviu até que o pai fosse buscar o papel da naturalização... e ele e a mãe ficaram retidos horas e horas por causa disso.

O Pai já lá estava com a mãe e o mano mais novo ! Já tinhamos uma casinha linda, e a paragem do autocarro em frente à porta, apenas uns 30 metros, por ai. Acordava pelas 4,30 da matina, fazia a cama, preparava o lanche, bebia café que o frio apertava, e, ia apanhar o Bus da linha de Pretória Nort!... até ali tudo bem, saíamos todos a uns bons cinquenta


Era neste largo, o prédio é o da Supreme Court, que eu saía do autocarro, só eu, o resto vinham a pé!... o motorista era alguém que me queria proteger, mais nada!...

metros antes dos CTT. O motorista, homem dos seus 55, por aí, simpatizava comigo, pelos colegas, sabia que eu não falava a lingua, tinha chegado de Luanda e ainda era cedo para aprender... O homem tomou-me o gosto, devia achar piada por ser tão pequenina , já que me chamava my stompie (minha pequenina) eu saía como toda a gente, no final da paragem, mas ele começou a fazer-me sinal e dizia-me, Wait, espera, e eu a inquirir, esperava que saissem todos e deixava-me mesmo na linha onde começava o Post Ofice... eu até me sentia mal pelos outros passageiros! Um dia um mais afoito deixou-se ficar, já que trabalhava comigo, noutra sala, mas ele mandou-o sair e ele saiu!... Stompie, wait, e lá ia eu poupar as solas mais uns 50 metros ehhhh, foi disto que me lembrei hoje, ao ver um velho motorista de Bus, de cabelos brancos, como ele... era gordo, mas, sorridente, e um dia oferecei-lhe uma caixinha de bom boms, pela gentileza e no meu fraco inglês, lá lhe disse que ia mudar para Pretória West e claro, de Bus e de motorista. Abraçou-me com carinho, beijou-me na testa e disse ternamente, boa sorte, my stompie, good luck for your! sortalhuda? Claro que sim, onde quer que vá, seja um País de lingua esquisita ou não, sempre tive lá o meu lugar, o meu trabalho, o meu espaço e a minha familia, amigos e tudo o que uma pessoa precisa!...
Assim; sou sortalhuda, ora pois!...






quinta-feira, setembro 03, 2009

 

Mudei de visual !...



Com 11 kilos a menos, gracias, não é a mais, voltei aos vestidos de sempre que já nem entravam... Ah, a isso devo o empenho de muitas pessoas que nem sequer conheço, uns por me estimarem, outros por me detestarem, enfim, no conjunto só tenho a a gradecer a importância que me deram e me deixaram sentir feliz por saber que ainda tenho algo que se aproveite!
Assim, a filha lembrou-se de me levar ao cabeleireiro dela, um jovem regressado à pouco à terra, penteou cabelos de celebridades, andou por N. York, Miami,Inglaterra, Austrália, e sei lá por onde mais andou... Adorei o corte, a cor, o sentir-me mais bonita e realmente, quando cheguei a casa e me olhei ao espelho! Caspice, laurinha, estás toda boazona, os vestidos ficam-te a matar, o cabelo idem, e agora só precisas mesmo de uns retoquezinhos e vais ver!...

Minha gente, me esperem, a velha laura foi-se e a miúda renasceu das cinzas e da esperança, e ah, podem alegrar-se os mais convencidos, mas, o meu velho telemóvel também me desfiz dele e consequentemente o número também se foi (os amigos já têm o novo) e...escusam de se preocupar comigo na hora do almoço ou do jantar, para saber se papei bem, é que quando mandam chamadas para eu atender, sabem que eu não atendo, e o número é sempre desconhecido, e porque será? Esperam que o shaka atenda?






terça-feira, setembro 01, 2009

 

Vicios, tardios !...


Chega de ser certinha
Chega de ter juizo
Chega de muito siso
O bom é ter vicios!...

Estavamos numa das nossas tardes d'espelunca, (eu e Getta) falamos da vida, ou antes, falei eu da minha! Tão reprimida fui, tão sempre vigiada, tão isto tão aquilo que... Todos sabemos que o que não se teve, mais tarde ou mais cedo, chega-nos em forma de desejos insatisfeitos, aos tropeções, a plantam-se à nosssa frente em desafios!... Nem é preciso ser Piscólogo para entender isso...

Já os poetas diziam
Que uma vida sem vicíos
É um grande desperdicío !...

E, chegou a hora de deixar de ser parvinha, ou tolinha, como quiserem, chegou a hora de pegar os copázios que quiser, apanhar pifos doidos que nunca apanhei, assim ficarei a saber as figuras que se fazem e o que se tira dali... não contando com a carraspana ao outro dia, e sabendo que as más figuras só são lembradas por quem assistiu...

Toca a entrar no ritmo da chaminé a fumegar, fumar? fumei aos 17 anos, nem uma dúzia deles, mas, o moderador lá de casa dissuadiu-me depressa... já que o castigo era ficar de castigo!...O primeiro cigarro aos 17 anos durante a estreia do filme Love Story, de onde saí a chorar... ou será que o boom agora é charrar? Ora, há tanta gente que o faz e diz que é cá uma ganda coisa... Bora pra lá laurinha, bah, deixa ver se aprendo as lides!...

E, transar, dançar sem fim pla vida, ah, acho que estou no melhor da idade para isso, entre o recomeço e o declínio, logo se verá!...

Amar, amar sem conta nem razão, viver o tempo que me resta numa grande paixão, o que for...
ir com ele dançar as nossas danças de amor, despacha-te laurinha que o tempo escoa-se, corre veloz, e quando deres conta já nem a bengala te safa!... Mas, esta vida aqui, é só uma, e mal empregado tempo o nosso, vivendo entre quem não nos ama, não nos dá valor, não nos apetece... Mas que lei, que tendência a viver vidas tristes, desbaratadas em horas onde nem se pesca uma palavra de amor,de compreensão!... Há quem teime (como eu) em viver dessa forma, porque sim, porque se tem papel assinado, porque a vida é assim mesmo, porque ficaria mal a familia falar, porque é feio, porque nem sei quantos... Ai quanta gentinha eu conheço que vive assim, se queixa, se desespera, mas, continua a manter as aparências, só para Inglês ver, porque no fundo, todos sabemos que esse viver transforma-se em sofrimento...
E por isso mesmo, um dia destes, perco a cabeça, (ou encontro uma nova e) começo a viver como sonho, como quero, como penso, porque a vida merece que se lute por ela!...

Ah, vicios, quem não os tem, não se tenta a tê-los? Não sonha que a vida ainda vale a pena ser vivida!... e serve de desculpa que não nos deixaram tê-los na idade certa... E, olhando para trás, ai menina certinha, devias ter seguido pelos caminhos que a vida te mostrava, pelos caminhos do coração, devias ter lutado quando te trocavam as voltas, e não, baixar a cabeça e trilhando os caminhos opostos áqueles que devias seguir, porque o bom senso estava ali, mas, o que tem o bom senso a ver com o amor?... O que tem a cabeça a ver com o coração! Nada, e, tudo!...