A minha Poesia em pps
Formatado por Zélia Nicolodi, Vitor Campos e Estrelinha d'Alva
(clicar na Imagem)

















Quero Alguém


O meu tecer de Esperanças!...


Já escalei a minha montanha!...


Amar-te-ei Sempre!...


Não te vás nunca!...


Não foi o ocaso


sexta-feira, janeiro 30, 2009

 

Musiquices do meu amanhã!...



Sempre adorarei os sons que me façam lembrar África, o mato, a batucada na noite. Quantas e quantas vezes estive sentada à volta da fogueira, em bancos feitos de troncos de árvores... e o mais próximo desse som deve ser aqui o Djambé!... Acho eu, e nada como esperar para ver como sentirei os sons...

Ah, agora só preciso que me expliquem a diferença de sons que há entre Clarinete, Trombone e Saxafone... é isso aí!... se um é mais fino, se isto, se aquilo, vão explicando para eu começar a ambientar-me neste mundo divino da música!...


Confesso que quando ouço Jazz, com os auscultadores e podem estar bem no máximo, aquela profundidade do som que entra em mim e nem consigo explicar como é o que ouço (à minha maneira!) só sei que aquilo soa-me a coisa sublime e mais nada...
E claro que vou tentar aprender, isso se conseguir ouvir mesmo bem, tão bem que até me assusto que isso pode acontecer...

E assim, minha gentinha, se preparem para tapar os ouvidos, mas eu não vou parar. Sempre disse aos meus filhos que só os abandonaria quando pudesse ouvir Jazz, Soul e iria pelo mundo para ouvir os pretos de rua do Harlém ou New Orleans, bem, Nem Orleans afundou, já não é a mesma coisa, mas, os pretos de rua têm aquele som que poucos conseguem ...



Imaginam? Acham que falo em vão? Será o meu desafio, claro que para isso terei de estudar, aprender, mas, se ouvir... porque não? Alguém me acompanha à guitarra? ahhh, estou a ver a plateia na minha casinha, a que pedi para ter, num belo jardim florido e todos juntos em unissono cantaremos a plenos pulmões... Julgam que falo em vão? Não me parece!...Para ELE e NELE não há impossiveis!... A prova está aqui... na nina das resteas que confia e acredita que a vida vai mudar!...






quinta-feira, janeiro 29, 2009

 
Entrei aqui...
Olhei de relance, fui descendo, ai, tanto amor, tanta alegria, tanta frase linda, minha nossa, enlouqueci de vez; pensei...

Tornei-me numa estrela
Que percorre o firmamento
Num manto de luzes
Atapetado
De estrelas reluzentes
Cintilantes
Sinto minha alma aconchegada
E numa alegria efusiante
Qual caminhante cansado
Que encontra enfim
O repouso ansiado...

Não sei se vou conseguir responder a todos nos seus blogues mas, digo-vos; parece que nem saí de casa...
Cheguei pelas 18 h e ainda assisti a uma perseguição policial na auto estrada, é por isso que por vezes os perseguidores morrem e os bandidos escapam... que horror... e o bandido lá ia na frente, e, nunca mais os vi...

A operação correu bem, não obstante quando acordei, o pé esquerdo doía-me que nem sei, a pontos de julgar que o tinham partido, sem querer... e digo eu em voz alta; Credo, cruzes, vim operar a cabeça e saio daqui de pé partido ou operado?será que se enganaram e nem me mecheram na cabeça? bem, ainda se riram da minha ousadia nas palavras...

O médico fez visita de médico mesmo, ele já sabe que comigo é sempre a correr! Apertou-me a mão perguntou como ia blá blá e lá se foi...
A comida? Bem, eu bem dizia às ninas todas que o cozinheiro devia andar de relações cortadas ca namorada!...só podia, é que a vida sem amor já é insossa que chegue, imagine-se um cozinheiro!...Mas que insossice!... (é assim que se escreve? não conheço a palavra, mas, inventa-se..)
O pessoal era todo alegre e bem disposto, só me fazia confusão quem era médico, enfermeiro, pois, espreitavam, sorriam e..andor e assim, eu sorria também, ora pois... (porque não vi lá nenhum médico...é que quando a Anestesista me foi ver, recolher dados, etc, eu falei de um problema velho na garganta e ela disse; mas não falou já com o médico agora? e eu; eu?? quando? aqui? não senhora, e ela mostra-me o relatório do pseudo médico que me viu!!! e até escreveu e assinou que eu devia estar nos conformes como manda o figurino etc etc.. eu vi, ela mostrou-me a assinatura do médico de serviço!)na folha do meu relatório, mas que giro... e esta hein? até lhe disse que da primeira vez, só assinei a autorização para ser operada, quando me ia embora ehhhhh ! ela estava parva, mas, é a verdade..enfim ela deu o recado ao meu médico operador e pelos vistos ele fez um passe de mágica e já tenho a garganta boa...

O grupo do quarto já todos sabem como é, ou antes era, na minha cama ficou uma nina de 8 anos que conheci no consultório quando fui mudar o penso, e na cama da Cristina uma nina dos seus dois anos, ai minha mãezinha, aquilo eram mil diabinhos num corpo só, fez tanto alarido, meteu tudo ao canto, gritou quanto quiz,deitou as revistas ao chão, pegou no telemovel e já ia plo ar... a mãe nem sabia tomar conta dela!!! (dela própria (mãe) pois) quanto mais da catraia, tive de ir ter com ela, da pimpolha, olhei-a nos olhos e disse-lh; NÂO! NÂO gritas, não corres,não meches, acabou!...e mai nada! ficou a olhar-me, parou, desviou os olhos dos meus e ...caladinha foi para a mãe...dali a nada vieram as enfermeiras (3) para a agarrarem e tirarem sangue, acham que gritou? uma ova...caladinha e lá se foi fazer exames, e assim; desconfio que a nossa Inês vai ter uma noite complicada com os gritos da parigaça...

A querida Sum Melodi lá apareceu com o namorado, ah, digo-lhe sempre que ela é linda porque é mesmo, é mesmo giraça a rapariga, tem um rosto belissimo...é alta qual espiga de milho ehhhhh e o namorado um amor de rapaz, enfim...falamos quanto pudemos e lá se foram, iam apanhar o Combóio. Adorei vê-los e já prometemos que num dia mais quentinho,e que calhe ser na mesma data (há-de calhar, a gente pede ehhh) faremos um pic nico ou perto do Mondego ou ali no hospital que tem muitos jardins...

Ahhh, também lá foi duas vezes a querida Elza, a minha auxiliar preferida da bloco da neurocirurgia... mas que amor existe entre nós, que nunca mais nos vimos mas nunca nos esquecemos, é mais um ser do meu caminho de estrelas!...Foi lá antes de eu me vir embora..adoro essa nina, adoro-a e é tão, tão linda que nem sei explicar-vos a beleza desta mulher...é a alma dela que me ofusca? nem sei!...É um Ser de muita luz...

Ah, já esquecia a minha repórter das luzes, mas que trabalho... e como dizia a tété, nem os ministros têm tanto tempo de letra e antena!...Obrigada nina Angel Ligth, pascoalita sãozita e todos os que de uma forma ou e outra, deram noticias a todos...

A Filipa lá veio de portátil que pôs na minha cama para eu ver os comentários e responder, a Cristina foi nesse dia, ia doentinha e pelos vistos parece que os medicamentos não a ajudaram. Aguardo noticias dela. O email dela ficou no bloco que deixei na senhora que fez o implante... A Inês diz que ela lhe ligou e pensava que eu ainda lá estava mas a Inês deu-lhe o meu número e assim depois falamos. A Neide levou natinhas e deixei uma na mesa de cabeceira de cada uma, mandou mensagem depois a dizer que adoraram são uma delicia mesmo, são de uma boa pastelaria junto à Central de Camionagem, uma deliciaaaaaaaa...
E assim, comi comidinha gostosa, frutinha, miminhos, a casinha estava arrumadinha, o fogão brilhava, ah, mas que bom, a minha caminha feita de lavado, graças à minha querida Neidinha e ao namorado dela , o Telmo, esse é que limpou o fogão..mas que moço jeitoso...
Só posso agradecer-vos reconhecidamente a vossa amizade, amor, alegria, tudo o que deixasteis aqui expresso. Li e reli de cima abaixo e nem sei se conseguirei ir a todos os blogues. A minha nina já aqui veio ralhar, que chega de rua... de pc... que tenho de me deitar, que... ai tantos quessssssss minha Neidinha!...Já lá vou!... e como ela tinha cara de mãezinha, tadinha...






quarta-feira, janeiro 21, 2009

 

Amanhã!...


Amanhã já estarei planando por aí...
Vou sentir-me livre, solta, liberta das amarras que tenho todos os dias. Vou cruzar os ares, os mundos, E depois direi o que vi, o que senti!
E, se mais perto puder estar DaquEle que a todos ouve; vou pedir-lhe por favor, que ajude todos os meus amigos e amigas, conhecidos ou não... Mesmo os meus amigos bloguistas, aqueles que só conheço por fotos, ou nem isso... Sim, pedirei por eles, por todos e pelo mundo, para que a luz se vá tornando menos distante e as trevas se afastem cada vez mais, para que possamos todos, viver em Paz, em amor e alegria!...
Vou ter momentos em que pegarei na mão de cada um e a cingirei ao coração, e de meus lábios brotarão palavras agradecidas, palavras de paz e harmonia, e como me soube tão bem, poder conhecer-vos e ter-vos presente nas minhas horas de alegria ou dor...


Meus irmãos e Irmãs, é para Ele que meu pensamento vai mal acorde, e será para Ele minha prece sentida.
Como sempre, levarei meu bloco e veremos o que sairá dali. Foi no Hospital dos Covões que fiz o Poema; Já escalei a minha montanha, (está aqui ao lado em pps) pois foi sonhado tudo o que escrevi... Terei momentos de solidão, de saudade de casa, Mas tudo passará e 8 dias nem darão para me sentir tão só!...
Assim; amo-vos ó minha gente, amo-vos seres de coração ardente que me encheis de palavras belas, de força e coragem...
Talvez alguém possa deixar aqui noticias que darei por mensagem. Veremos, mas, nem se preocupem, eu já sei que tudo decorrerá às mil maravilhas, eu já sinto tudo feito e já me sinto a ouvir e a rir, a rir por me poder ouvir a mim própria a rir também!...
Hei-se passar noites a ouvir os sons do céu, das estrelas, hei-de escutar as gotas de chuva a cair, o esvoaçar das asas dos passarinhos, e o seu pipilar quando pequeninos estão no ninho, moram mesmo aqui em frente nas árvores que quase toco, e, quando querem pão, desafiam-me e ficam especados em frente a mim, apenas nem a um metro, e batem as asas parados no ar, para me dizerem; então? o nosso pão?...Hei-de ouvir tudo isso, e hei-de cantar a alegria de poder voltar a ter em mim os sons da vida, os sons da paz e do amor, se é que não os esqueci!...
Obrigada a todos que tanto me ajudaram, que tanta força me deram e apoiaram em tudo!
Enlaço-vos no meu abraço. Laura..






terça-feira, janeiro 20, 2009

 

Esperei toda a vida por este momento !...


Esperei toda a vida
Para que meus passos
Me levassem
Ao verdadeiro caminho
Que me traria talvez
A felicidade perfeita ...

Já percorri tantos lugares
Andei de mundo em mundo
Sofri mais que as pedras
Dos caminhos que pisei
Mas, apesar de tudo
Nunca atrás, voltei ...

Hoje
As mudanças foram tantas
Os desvios acabaram
E parece que deslizei
Nas águas mais puras do rio
Que algumas vez, atravessei ...

Sinto que neste momento
Piso um chão de flores
Cheio de cores
E odores
E não quero olhar para trás
Com medo de estar a sonhar ...

Que o pesadelo pode de vez
Acabar
E que os sons da vida
Vão de novo regressar
E nunca, nunca mais
Em mim, vão acabar !...

E assim vos dou a feliz noticia de que!...
Calma, não se agitem tanto. Continuo a dizer que, apesar de tantos infortunios, de tanta dor por viver no mundo sem sons, desta vez acho que sim, é desta, é desta mesmo... Não importa que me digam para refrear tanto entusiasmo... Sou assim; uma amante de tudo o que a vida me propõe, e, ontem foi o dia D das boas noticías cá prá pariga de Braga!, apenas para dizer que acredito que há quem nos traga boas notícias. Pedi Aos meus queridos amigos do mundo real, o mundo verdadeiro, aquele mundo onde as criaturas se amam, se admiram e encorajam... Para que o implante demorasse tão pouquinhos meses que seria já dali a dois meses , o máximo!...

Esperei que me chamassem, o Nuno foi comigo. E de repente; Laura? Laura Vieira? Assim falava o Dr Luis do Hospital dos Covões. Onde estás? Aparece rapariga!... E o Nuno ergue-se surpreso e diz; está aqui!
Vem para nós, sempre a correr, a bata a esvoaçar, mas que ser lindo ele é, lindo em tudo, na beleza de homem, na beleza da alma e no seu sorriso belo... Papeis, mais papeis, pc, perguntas, respostas, mais um lance de escadas, que lindo escritório. Para boas noticias, boas vistas... falamos sobre o lugar ideal para o implante (cá por mim já ia preparada para lhe dizer que se não desse para colocar no lado operado, nem no outro lado esquerdo, que mo implantasse no pescoço, ou lá onde raio desse, mas tinha de me ajudar!... e a palavra que queria dizer; Dr. Por favor, não me mande de novo prá bicha (fim da fila) Já fiz 57, lembra-se? de sorriso impenetrável, olha-me consciente do que dizia e saem dele as palavras mais belas que alguma vez senti; Que tal sexta feira? esta? Sim!... Vem quinta feira para se preparar e na sexta logo de manhã será operada!... Apenas saiu de mim o UAU mais lindo que dei na vida. Uau, Dr, não está a brincar? Não. Houve uma desistência e... quer? Tudo bem, vamos tratar da papelada e esteja aqui, na unidade onde foi operada da última vez e!... Dsta quinta a 8 dias estarei por ali, nas férias mais felizes que alguma vez tive!...






domingo, janeiro 18, 2009

 

Ser filho de ninguém!...


Pai, já se passou mais um aniversário teu. Já nem conto quantos fazes, isso significaria que ias sendo mais velho e eu guardo-te na alma como sempre te vi! Um ser belo, belo de ideais, belo no querer que no mundo todos fossem iguais! Já todos te conhecem por aqui, já todos sabem a ternura e o amor que nutro por ti! Mas hoje, hoje encontrei esta foto quando andava à procura de outra, e lembrei-me desta do Batizado da filha do Óscar, da qual fomos os dois os Padrinhos, e naquele dia, nesta foto, estava a pedir para ir ter com as amigas que me iam buscar; a Luisa Any, Licinha, Carlitos e o namorado da Any... E pela tua cara vê-se que; estavas renitente em dar o sim, e eu sentada nos teus joelhos a tentar convencer-te que eram só umas horitas, e; como tal, lá fui eu, feliz por poder ir para junto do meu grupo e por me sentir uma nina ditosa tendo o pai que tinha, embora por vezes fosses dificil de convencer!... Ah, olha o meu vestidinho de mini saia, de cores que eu adorava, o primeiro que comprei numa Boutique com o meu salário como auxiliar de escritpório, na CABIE AN ah, pois é pai, ensinaste-me a trabalhar, a viver e a amar, e como digo, nada da nossa convivência se perdeu! E lá nos Céus onde estás, decerto que ao ler a tua folha como Pai, te devem ter dito; Certo, nota máxima, nada a reparar!...
Eu sei Pai, sei que te fizeste homem sózinho, que nasceste e cresceste sem pai, porque a avó (viúva) amou um homem casado, mas que mal o mundo reage a isso, como se o amor tivesse de ser apenas um privilégio de um só homem e uma só mulher!...Não importa, estavas no ventre de tua mãe quando mataram o teu pai num acto de cobardia. Um dia escreverei sobre isso, por agora chega. Não quero lembrar aquela história da tua vida que me contaste quando eu tinha 20 anos!... Demoraste vinte anos a contá-la. Talvez te magoasse o ser assim, até que te perguntei; Pai, o que é ser filho de Pai incógnito? Porque tu tinhas nos teus documentos; Filho e Pai incógnito!... E lá me explicaste que era ser filho de ninguém, para as bocas do mundo.
E que tiveste quem te falasse dele e do belo ser que era, uma espécie de Zé do telhado. Chefe de contrabandistas, que roubava aos que mais tinham para dar aos que nada tinham!.. E no ocaso da vida tornaste-te parte das forças que protegiam o Pais, a lutar contra esses ditos contrabandistas,sem saber que... o teu pai esteve muitos anos antes, do lado oposto!... Nem sabemos quem era, de que familia descendia, sabemos que era aqui do Norte, dos lados de tua terra, Linharelhos, nas Minas da Borralha, e que tinhas irmãos que por trás, eram tal e qual a ti (os filhos da mulher que tinha escolhido como esposa, os beneficiários de todos os seus bens...)
O que mais me magoou, foi que do lado dele, da familia dele, sabiam, decerto que sabiam, que tu existias, e que nasceste sem ele, sem Pai... era senhor de avultada fortuna. Poderiam ter ajudado tua mãe a criar-te, mas não. E lá ia ela contigo, e tu levavas a tua ovelhinha pela mão, vender ovos e coisas ao lado de lá de Espanha, e, caminhavas dorido pela neve, e choravas quando contavas que um dia regressaste sem a tua ovelhinha, porque a mãe teve de a vender, para poderem comer, tu e os teus seis irmãos!...Pai, que difícil foi para ti o aprendizado da vida. Caminhavas 4 km para lá e vice versa para ir à escola e nunca faltavas, e falavas-me de ter um amigo Carabineiro lá do rio, que te dava muitas vezes parte da merenda dele que constava de; Broa, presunto, cebola com sal, azeitonas ah, porque é que quando lancho isso, me lembro de ti e como dizias que o petisco te sabia tão bem, a conversar com ele. Deus o Abençoe lá onde ele esteja. Pois deu-te amor, coisas que um menino sem Pai precisa tanto!...Mas por isso mesmo te fizeste um homem grande, daqueles com H grande.
Assim posso dizer que; Não sei de quem é o sangue que trago comigo. O da mãe sim, são todos conhecidos, todos amados. Refiro-me ao sangue dos antepassados, da árvore genealógica. O teu sim, sempre o teu porque tu és meu, eu estou em ti e tu em mim!...

Olha para nós 3, os teus rebentos. O mais pequenito, o Dérito já está contigo. Eu tinha 12 anos, o Bita 13 e o Dérito 5...


As minhas raízes!... (Ao meu pai que era filho de Pai incógnito)



Todos têm as suas raízes
Quase todos sabem de onde vêm
Só eu não sei de onde sou
Sou de todo o lado
E de lado nenhum...

Sou daqui e dali
Das terras que me deram
Abrigo
Das terras onde tive amigos
E onde pude em paz viver...

Que me importam as minhas raízes
Se as raízes do meu pai foram
Arrancadas
E não sei de quem é o sangue
Que trago comigo!...

Que me importa saber
Já tarde, a quem pertenço
Se eles sabiam bem
Que meu pai estava no ventre
De sua mãe
E que seu pai o amava também...

Que importa que venham agora
Dar-me o nome a que tinha direito
Se ele já não está...
E era a ele que deviam pedir perdão
Pela solidão a que o condenaram!...

Porque me lembro de ele contar
Enquanto as lágrimas corriam
Como foi solitário o seu nascer
E viver
E como sentiu a falta do pai
Para amar...

E como ele teve sempre
Que mostrar
Que era filho de Pai
Incógnito.
Como se disso
Tivesse que se envergonhar...

Mas, descansa Pai
Eu tenho-te a ti
Mesmo do outro lado
Para amar e honrar!...

E os meus filhos
Que teus netos são
Levam o teu sangue
Trazem o teu nome
Que jamais esquecerão
E nunca o quererão
Apagar!...

Poema do meu livro Sons de Amor !...
Na foto abaixo os meus filhos e sobrinhos ou seja; os netos de meu pai, todos, a Neide com 12 anos, o Nuno 16, Claudio de 12, Alivio de 8 e Daniela de 6, esses 3 são os filhos do meu maninho Dérito, já falecido...
E a todos os que são filhos de Pais incógnitos... Para eles vai meu amor e minha ternura, mas não entristeçam. Do outro lado saberemos quem foi o autor e autores de nossas vidas. Somos todos filhos do mesmo Pai, Aquele Pai que é tudo na vida e no nosso caminhar!...






sexta-feira, janeiro 16, 2009

 

Discos pedidos e Grafonolas !...


A nina pandorabox, no post anterior, disse que estava na fila para ter um poema só para ela, e como falou em discos pedidos, lembrei-me que há muitos anos quando vim cá de férias, aos 15, 16 anos, estava na aldeia dos meus avós, onde passava a maior parte do tempo e num dia antes da festa lá da terra, veio um moço de Vieira do Minho, colocar os autofalantes na Igreja e lá no cruzeiro, onde o pessoal se juntava a bailar aquelas danças folclóricas e estavamos no tempo dos cantores românticos...

Eu andava com as ninas a enfeitar a Igreja e ele no adro a por os ditos autofalantes, depois ainda foi para a casa do meu avô, no Cruzeiro, para por as aparelhagens, gira discos e fios, mais autofalantes e claro, fomos falando, ehhhh... E o rapaz encantou-se pela nina que veio de longe, e, claro, toca a arrastar-me a asa... e no dia da festa, as minhas amigas a cada passo diziam ; laurinha, mais um disco pra ti, dedicaram-te esta canção, e lá me explicavam qual era. Eu perguntava; e quem dedicou? era sempre o mesmo (ele nem pagava, era ele que punha os discos ehhhh) até que os rapazes lá da terra, começaram a achar que o rapaz abusava, ehhhhh, e lá iam eles, acho que se pagavam 2$50 e devo ter sido a nina que sem ouvir, mais discos pedidos teve... Bem, não lhe dei treta, nesse momento tinha o coraçãozinho ocupado ehhh lá nas terras de Luanda... e ainda lembro o rosto dele, não mais o vi, nem sei se anda por cá, se vive em Vieira, nem me lembro do nome do rapaz, mas que gira esta recordação.

Mas que lembrança a nina pandorinha me trouxe...
E assim, voltei às lembranças queridas da casa dos meus avós, da grafonola do meu padrinho que era quase igualzinha a essa, e aos discos que me lembro ainda. Ah, e os discos eram da Voz do Dono, lembram-se? e adorava que me cantassem a do António Calvário, Perdão para dois! e Oração. Sabia a letra quase de cor... e não é que o moço me perguntou quais as musicas que gostava, ora pois, ia lá por o que eu não gostasse!... (e o pessoal teve de curtir a minha onda !)

Bem, estive a ouvir a musica, claro que a letra não a posso acompanhar, teria de ter alguém ao lado a fazê-lo... E realmente, mexeu comigo. Não importa que seja de um passado distante, não importa que seja do tempo de antes, importa que me senti bem e aos meus olhos vieram lágrimas, lágrimas de pura magia, lágrimas pela saudade dos avós, dos tios, dos amigos da terra, e de estarem todos dispersos por ai, os que restam ainda!... Beijinhos à minha querida Adelaide, ao Zé, Tony, Ana, Manuel e Guilherme, os manos da familia da Tia Antónia que não era familia, era amiga, mas a amizade que nos une é tanta que os lembro sempre, e a Fina, essa está aqui perto, os outros estão todos longe... A Tia Antónia ajudava as minhas tias no campo, e elas idem, mas a amizade já perdura para lá dos anos, tantos quantos eu tenho, e o Zé, da minha idade, ainda se lembra de mim em pequena, que tinha tranças pretas e era morenaça, parecia uma India, dizia... Ai que saudade me deu!...

Pandorinhabox, faz como te disse; escreve, manda fotos e depois te farei uma poesia, terei de conhecer-te mesmo virtualmente, preciso de coisas sobre ti... sabes como é!... e olha, que mais faz? Moramos perto, da minha terra à tua, são no minimo, uns 20 minutos e assim!...Bora pra cá dar uma passeata!...






quinta-feira, janeiro 15, 2009

 

A ti...À Sãozita do meu Bairro de S. Paulo, Luanda !...


A ti, que buscas um sentido na vida !...


Chove lá fora
Chove dentro de ti
Que em passos
Apressados
Tentas mudar o teu caminho
Trocá-lo por um destino incerto
E vais seguindo pelas ruas da dor
Em busca de amor…

Chove também
Dentro de mim
Porque sinto a chuva
A fustigar meu rosto
A enregelar meu corpo
Enquanto que minh’alma
E meus pensamentos
Voam para ti…

Da minha janela olho o céu
Tão liso, sem nuvens
Parece um lago
Para por patinhos a nadar
Pinguins a esquiar
Crianças a brincar
Adultos a passear
Sem mágoas no coração...

Eu sei que o mundo
É um mar de dores
Que quase conseguem
Fazer-nos desistir de viver
De lutar
Ou de recomeçar
Noutra terra
Noutro lugar...

Sei que é preciso coragem
Para velhos hábitos
Abandonar
Novos caminhos experimentar
Mas não julgues tu amiga
Que será fácil
Percorrer velhas estradas
Ter um novo recomeçar…

Tem calma que;
Nem todos os dias serão iguais
Nem todas as tuas dores
Tirarão a alegria
Que em ti sabes manter
E sabes também
Que a cada dia que passe
Um novo dia irá nascer!...

Querida Sãozita, nina que conheci entre chorosa e risonha!... Chorosa porque quando me abraçaste, sentiste em mim o amor de irmã, irmã já desde o antes e o depois, o antes no nosso Bairro lindo de S. Paulo, e o depois, o agora, em que mais juntas ainda, caminhamos pelas veredas da vida, que, diga-se; nem sempre é como queremos. Nem poderia ser !...
Querias um poema para ti? Aí está, e aquilo que digo; todo verso ou poema tem um momento, e eu escrevo apenas o que sinto cá dentro... Podemos deixar o mundo pensar que; Poetas apenas inventam, não sonham, não vivem!... Claro que a maior parte é inventada, e se, nem dermos asas à imaginação... que seria de nós?
Fica bem maninha lá do bairro, maninha da alma. Momentos de dor temos todos... Haja amor pelos que sofrem, pelos que ainda estão pior que nós, sem lar, sem abrigo, sem pão!...
Adoro-te ó rapariga. Podes crer que daqui a tempos, sorrirás e riremos ambas daqueles momentos em que quase desistimos de viver... Porque viver é lindo. E as dores que temos na alma, acabarão por desaparecer. Não de todo, Não para sempre, pois não é a alegria que nos ajuda a crescer !...






terça-feira, janeiro 13, 2009

 

Um cinema, um ombro amigo e Pipocas para a Pascoalita!...


Bem, o sonho da Pascoalita é poder ir ao cinema, a rapariga até tem razão, há um ror de anos que não pisa uma sala de cinema e não se senta ali envolta na penumbra, a ouvir musica, e a comer pipocas... ver bons filmes, encostar a cabeça num ombro amigo e...

Eu quando quero ir vou com a Neide, ela paga o bilhete, as pipocas, enfim, só lhe dou prejuizo é o que é! O manel quando os miudos eram mais pequenos, fomos dar uma volta (muito raro irmos todos) lá por cima, vimos um filme que queriamos ver e resolvemos ir naquele momento...mas o Manel? quem seria capaz de o enfiar numa sala de cinema? Meninas ouçam sábios conselhos; nada de casar se o cara não gostar de cinema... arruma-se ali e pronto... desde que ainda não haja papeis assinados, tudo na maior...


Aí tens o teu ombro amigo, tu que até tens nome de papagaia, e até és como eu, um pouco papagaiana, olha que se conseguires alguém que te acolha assim no ombro...não o deixes fujir, digo, voar!... Ó pra ti tão ternurenta e cheia de charme, ah, nina, charme pois, nem o pacagaio, pacagaio mesmo, te resistiu... ah, ombro amigo, onde andas tu?...

Agora a pipoca ou pipocas e o ombro amigo isso é lá contigo, não sei é se apanharás pipocas ou algo mais, mas isso ficará no segredo dos Deuses!... Só que a cara do sujeito não parece ser lá de confiança!...






segunda-feira, janeiro 12, 2009

 

Quem é que nunca dorme o suficiente?...



Adormeceu no Bus e acordou 3 kilómetros depois?
Bem, é uma nina equilibrada, mas, pelos vistos nem é assim tanto e como me ri perdida, resolvi mostrar para que se rissem também, mas se adivinharem, seria melhor! Não há prémio, o prémio é o riso dobrado quando souberem quem foi!...O que está escrito abaixo é o relato firme dela... tal e qual... ora vejam lá se sabem quem é!... a nina ia de autocarro pra casa ao fim de um dia de trabalho que segundo ela, mal fez a ponta de um corno porque... só tinha sono...

Quando a certa altura abri os 2 olhos, não percebi logo onde estava, mas levantei-me, corri para o motorista que já estava a arrancar da paragem e questionei-o? Onde estamos? Na ..........., não é? Ops! Eu era para ter ficado (3km antes)

Lá desci, olhei o horário e percebi que só tinha um autocarro 40m depois ... liguei para casa para pedir ao filho que me fosse buscar mas como tinha saído com o carro, acabou por ser o Manel a tirar o outro carro da garagem e lá foi ter comigo.

Mas não acaba aqui a minha tonteira ... estava numa rotunda e depois de ter dito ao manel onde estava exactamente, fui descendo em direcção a casa sempre com os olhos o mais abertos que podia ter quando via o meu PEUGEOT 307 subir na minha direcção (eu encontrava-me a uns escassos 50m da tal rotunda.

Não é que não vi o homem vir na minha direcção? Passou por mim (na via oposta) contornou a rotunda e só dei por ele quando parou junto de mim ... bem, nem acreditava que ele tivesse passado à minha frente e não o tivesse visto ahahahahahahah

Puxa!!! Hoje estive um pouquito menos doida
...






 

Sons, apenas sons !...


Sons
Apenas sons
Que não se perdem
Por aí.
Sons
Que vêm de longe
Entram em mim
E me fazem dançar
A dança mais louca
A dança dos sons !...

Sons
Em cascatas
Que vibram
Quando entram e saem
Do meu ser
Enquanto minha alma
Rasga os mundos
Em busca de um dançarino
Que acerte seus passos
Com os meus !...

Sons
Magia Divina
Que soam para todos
Mas nem sempre ecoam
Nos corações.
Sons
Que nos transportam
Ao mundo das canções
Onde nascem mil sóis
E constelações !...

Sons
Que ecoam dentro do meu ser
Me fazem vibrar
Numa entrega total
E me deixo levar
Pelos braços que me estão
A enlaçar
E com sua alma junto da minha
Os passos da nova dança
Vamos iniciar !...






domingo, janeiro 11, 2009

 

Minh’alma canta em silêncio !...


Minh’alma canta em silêncio

A cada dia que nasce

E fica a olhar o infinito

Bem dentro de si

Sem saber o que lhe reserva

O dia que vai nascer !...


A minha vida é feita de silêncios

De dizeres para dentro

De murmurares entre si

De perguntas sem respostas

Pois só o que vem de dentro

Tem valor para mim !...


Canta minh’alma, canta

Que é no canto que nos aproximamos

Do encanto da vida e do seu sorrir

É no canto que sai de dentro

Que nossa alma sorri

E nos mostra o que há em si !...


E se não souberes cantar para dentro

Vais ter que aprender

Pois a vida e a luz

Só reluzem

Quando há amor e harmonia

No lugar mais próximo de ti !…


Que é a vida em si

O amor que dás

O sorriso que espalhas

E as mãos com que recebes

O bem que a vida te dá

Sem esperar nada em troca !...









sábado, janeiro 10, 2009

 

Hoje fazem anos os meus queridos!...


FELIZ ANIVERSÁRIO meus queridos!...

Gilinho do Brasil, meu amigo de há muitos, muitos anos, e a minha querida Neide, a filhota enviada para encher minha alma de cânticos de agradecimento ao Pai!
E aí vão mais uns Parabéns para um amigo recente da Blogosfera, o nosso Kim. Fez anos ontem e pelos vistos devem ser iguais aos meus!... Ou antes; devo levar uns 28 dias de avanço de ti e assim; respeitinho que sou mais velha... Ou então... ele fez um a mais que eu e assim; baixa a bolinha laurinha!...

Ehhh, como sempre adiantei-me e... os parabéns do Kim foram alterados, ou seja, lá vem a treta do costume, o homem é touro e touro é de Abril a Maio... portanto deixem as cançonetas para depois e o rapaz continua a ser da minha idade até lá!... ahhh, o que rio prá qui sozinha... Ficam os parabéns na mesma, e agradecidos também..


Costumo colocar aqui festas de arromba, mas, o momento é de crise como se diz por ai, e já não me seduzem as mesas cheias de coisas, e a rapariga nem quer doces que engordam, o Gilinho também não precisa, ehhh, derrete-se todo lá com o calor do Piaui, Campo Maior, Teresina e a tomar banhos atrás de banhos na sua piscina e nós a embrulharmo-nos em casacos e mantas...
Aqui vão belissimas imagens de flores, arranjos, e sempre têm um cházinho para tomar... e um delicioso bolinho para acompanhar... As velas são para cada um juntar e somar as suas vezes sem conta! e assim... fazem muitos ou poucos anos? ahhhh, a Neide ainda os pode contar, o Gilinho já está mais pertinho de mim.


Pois é minha querida Neide, já lá vai mais um, e 25 fazem o total dos anos que estamos juntas!... Juntas em amor, em paz e carinho, numa convivência cheia de amor, de lutas também para que a vida se possa viver em harmonia...
Hoje é dia de festa sim minha querida Neide. Podemos não ter mundos e fundos, mas temos amor, amor entre todos para compartir e repartir... Sabemos que não estamos sós, e temo-nos aos três, sim, somos apenas 3 dentro do nosso amor!...
De certezinha que já sentiste o beijinho que o Avô e o Dérito te vieram dar... E muitos mais te irão dando pela vida fora, mesmo estando eles do lado de lá!...
A minha prendinha é pequenita, (nem tão pequenita assim!) mas mais vale sentirmos o coração cheio de gratidão por nos termos, do que o anel mais valioso dado sem amor!...

Gilinho; os nossos anos de amizade já são tantos que; irmãos já nos sentimos nas nossas almas agradecidas ao Criador, por nos juntar mesmo de tão longe...
Aceite estas flores, sinta o seu perfume, inebrie-se de amor e paz, é tudo o que precisamos não é meu querido Gilinho?
Que passe este dia muito feliz, rodeado pelos que mais ama e que a vida decorra serenamente entre a mais suave harmonia e paz!...
Claro que sabe que daqui não vai presente... E eu que lhe devo tantos presentes que ao longo dos anos me vai enviando, mas, sabemos que um dia nos iremos abraçar e espero nessa altura poder bafejá-lo com lembranças lindas cá da nossa terra!...
Receba um abraço de Parabéns e a certeza de que continuarei em ter em vc o melhor irmão que a vida me pode dar!...

Kim; apenas nos conhecemos por aí nos blogues, mas como viveste lá no Bairro em Luanda, não ia deixar de te cantar mesmo desafinado, os parabéns a você!... Aproveita o bolo, as flores, e tudo a que tem direito quem faz anos!... E para o ano já não me atraso...

Enlaço-vos no meu abraço de amor. Laura...






sexta-feira, janeiro 09, 2009

 

Está a nevar em Braga, agorinha mesmo!...


As fotos foram tiradas agora, e o primeiro carro é o do Nuno, todo branquinho, acreditam-me agora? mas a beleza é ver a copa das árvores toda branca, é irreal!... E com isto ainda só tenho a sopa ao lume, o resto é treta e visionar as janelas, tenho as da cozinha todas com as cortinas recolhidas, e as da sala, mas que bom, que lindo e que fenomenal!... Obrigada Pai de todas as coisas!... E já vejo mães com filhotes pequenitos a brincar e a apanhar a neve, mas que belezinha... (cliquem nas fotos para ampliar e ver a neve no seu melhor )

O manel chamou-me lá abaixo, e vi uns floquitos tão pouco perceptiveis que; que pena, se fossem maiorzinhos, e, ontem pelas 5 da matina, como não dormia; levantei-me e fui espreitar entre os buraquinhos das persianas, se nevava, já que dava alerta laranja em Braga...
Mas agora, agora neva, vêm-se os flocos a cair e eu na varanda a ver feliz, pedacinhos de neve, flocos de neve, o que for, mas sim; está a nevar aqui e eu pedi, pedi sim, para que a neve caisse aqui!...
Pois, beijinhos nevados para todos, sem faltar seja quem for!... e sem deixar de dizer o que sinto neste momento; amo-vos a todos, ó minha gente!...






quinta-feira, janeiro 08, 2009

 

Sonhar com bébés !...


Costumo sonhar com bebés, mas todos sabemos que quando sonhamos estamos na realidade a viver o momento do sonho, ou seja, do lado Espiritual!... Já não é a primeira nem a segunda ou terceira vez que o faço, e normalmente estou sempre a cuidar deles. Por vezes apenas a embalar o soninho, tenho-os nos meus braços e ajudo-os a adormecer. Outras a dar-lhes o biberon, e eles mamam, adormecem e volto a colocá-los nas suas caminhas. Certo que do lado de lá há bebés que se foram daqui e as mães permanecem ainda aqui na terra! E claro que onde estão têm mãezinhas, os Anjos mulheres que tomam conta deles,(ou pensam que o Pai os deixaria desamparados?) os mimam, não, não é como aqui, que os maltratam e manuseiam a seu belo prazer, não, decididamente, lá nos Reinos do Alto não acontece isso. Não poderia ser.

E como dizia; esta madrugada (sei que era madrugada porque acordei, estive ali a pensar, enquanto o sono não regressava (deve ter ido espairecer para outro lado e esqueceu-se de me adormecer primeiro) vi um grupo de mulheres e crianças, mais me pareceram ser do nosso Planeta, eram como nós, as vestes, as pessoas. Então vejo uma mulher a dirigir-se a outra, se não estava a ver o filho com dificuldades respiratórias, a mãe ainda nem se tinha apercebido que ele estava com falta de ar (um bebé de digamos, de 2 a 3 meses Cheguei-me a ele, peguei no seu corpinho pequenino, agasalhado, deitei-o no colo e fiz-lhe respiração boca a boca, devagarinho, era tão frágil... Deixei que a respiração normalizasse, voltei a colocá-lo onde estava e vim embora com aquela sensação de Bem fazer!...
Depois ainda andei por lugares conhecidos, por casas onde já tinha vivido, há muitas vidas atrás, e acordei com aquela sensação de ter ajudado um ajinho que estava em apuros!... Soube tão bem!...






terça-feira, janeiro 06, 2009

 

Quem lhe resistia ?...



Com 5 anitos, camisa de seda azul, calça de linho, penteado à Valentino, no dia do Batizado da Neide, cujo vestido foi confecionado por mim, há 24 anos... Na foto a Neide ao colo do meu mano mais novo, o Dérito já falecido, e na de cima ao colo da minha mãe, e ao lado dele, de bigode o pai da Neide e do Nuno, cliquem na foto, é só uma folha e podem ver a nina laura ao lado do padre, está escura a foto, mas vê-se... atrás de mim a minha querida cunhada a Rosa, a quem amo tanto. Desde sempre. e ainda dizem que há cunhadas que se detestam, ah, quem me dera estar pertinho da minha!...

Eu nunca consegui resistir-lhe. Sei que nasceu de mim, que o criei, e graças a Deus, hoje com 29 anos, apesar de estar a trabalhar fora, continuo a criá-lo! Porque o amor de mãe não acaba quando eles se vão! É que daqui a nada estará aqui, vem numa média de uma vez de dois em dois meses, e vem sempre com saudades, escrevemos lindos emails.

(ahh, por falar em emails, ontem escrevi um a perguntar o que queria para o almoço que tinha de tudo e fazia o que lhe apetecesse, bem, enviei o email para um amigo meu, por engano, claro, que respondeu; laura, enganaste-te no filho! Minha nossa, ri-me tanto, tanto que nem sei...)

falamos no Messenger, e que mais queremos? Desta vez como temos tido tempos conturbados monetáriamente, escreveu assim; mommy, podres de pobres, ou podres de ricos, havemos de nos amar sempre! Ah, ternura do meu coração. Eu já sabia isso, mas não que ele ia escrever uma frase tão linda!

Quando já ia nos 25 anos, um dia enchi pois ele é desarrumado na roupa, deixa tudo nas costas do sofá! Repreendi-o e disse; Olha meu, estou tão cheia de ti e de seres desarrumado que estou mortinha pra te ver na tua casa! Ele desata a rir, vira-se para mim, pega-me no queixo para olhar bem para o metro e oitenta e cinco dele e diz; ná, ná, o nuno nunca vai deixar a casa da Laurinha; o Nuno só sai da casinha da mamã quando se casar, e mesmo assim depois, vem ver a laurinha e papar da comidinha dela!...ná ná, o nuno nunca vai largar a Laurinha... e como ficaria eu? mais zangada; claro que não, acabávamos sempre a rir, se tem algo de bom também, é o sentido de humor que quando me faz zangar, lá está com as piadas tolas e as palhaçadas, e eu tenho de me rir e mando a zanga às urtigas!... Como quando lhe dizia no fim das aulas e com os exames à porta! ; Nuno; agarra-te aos livros, mete a matéria nessa cabeça, pois bem, aparecia junto de mim com um molho de livros na cabeça e depois apertava-os contra o peito prá matéria entrar, dizia!...

Foi sempre amoroso e gentil com a sua mommy. Pois mal aprendeu a falar, com ano e meio já falava correctamente a nossa lingua, pois o pessoal no estrangeiro aprende o Inglês e o Franciú e a lingua materna fica para trás, mas o bom disto tudo é que a mãe (eu) não falava Inglês, e assim em casa só se falava a nossa lingua... E rápidamente aprendeu Inglês e Africanze, e recebeu louvores no colégio (3 anos) que tinha uma excelente voz e ouvido para música. e, claro, iamos pela rua e se metiam conversa connosco, ele desenrascava-me logo, fazia a tradução à letra, e a Neide, igual... Ouvia tudo por mim; avisava quando ia uma ambulância a passar e o barulho que fazia, que iam carros da policia com a sirene ligada, etc. etc. Aos dois anos já sabia ligar o telefone para a avó e uma amiga, os numeros eram fáceis, atendia, chamava para junto do telefone primeiro, e depois perguntava quem é e lá ia traduzindo, falava e continua a fazê-lo agora, com a voz sem som, para não perturbar quem está do outro lado, e ia dizendo o que do outro lado falavam( e os do outro lado quando não estão habituados a ouvir a nossa forma de estar ao telefone dizem; então? dá o recado à tua mãe! Mas eu já lho dei! e do outro lado; mas eu não ouvi nada, e ele; eu falo com a minha mãe sem som para não atrapalhar quem está do outro lado. Ah, entendi... depois respondia eu!... Que Graças a Deus dou por eles!
A Neide foi buscá-lo agora, já antevejo o abraço que vão dar, ele é mais velho, mas era ela que cuidava mais dele!...

(nesta última foto, a de cima, a irmã tinha apenas mês e meio, e só lhe disse; endireita a tua irmã que está toda torta, e, zás, olhem prá cabeça da pariga!)






sexta-feira, janeiro 02, 2009

 

Um vinil dos anos sessenta!...




Tudo tem uma história mas, o certo, é que nem todas as histórias acabam bem! Pelo menos esta que foi e continua a ser um suplício de Tântalo para a nina das resteas, mas vai acabar em breve, seguramente! E, vejam lá, o Kim chamar-me de Dolce Laura, depois de falar na música do Adamo, Dolce Paola, que já está aqui. Queria ouvi-la e...

... E assim, voltei aos meus dezassete anos quando, em Serpa Pinto, junto do casal Côca e Béquinho, Irene e Óscar respectivamente, me preparava para arribar a South África e ser vista pelo melhor especialista de ouvidos. Tanta era a fama desse médico que nem por um segundo duvidei que ficaria a ouvir! Estão a imaginar os pensamentos da nina das resteas? Claro que não. Então vejam aquele meu sonhar, os meus desejos mais prementes para quando ficasse a ouvir, a ouvir de vez. Tinham passado apenas (apenas) 12 anos desde que deixara de ouvir, e a esperança vivia e viveu sempre em mim, e os meus dezassete anos estavam cheios de sonhos mil, sonhadora sempre fui e continuarei a sê-lo!


Ouçam os meus desejos no ano de 1969: - Vou trocar uma nota de mil escudos em moedas de um escudo, para telefonar às amigas e amigos, e a todos aqueles de quem gosto. Com um escudo falava-se bué de tempo, naquele tempo. Imaginam um saquito cheio de moedas? Pois eu sim, imaginava-o nas minhas mãos, moedas castanhas escuras, mil moedas que dariam para mil chamadas! Tá!...

- Vou falar com o pessoal pelas ruas e responder à letra aos galanteios dos rapazes, principalmente daqueles que, na "Casa Lisboa", me assobiavam e, por vezes, acompanhavam-me lado a lado a falar, à espera de resposta e de risos doidos, mas como não os ouvia, o que fazia era ir caladinha e apressar o passo e deitar umas bocas pra eles e uns olhares de lado, lembras-te de assistir a algo assim Marius? O teu mano leão decerto deve lembrar-se de mim. E como não lhes respondia pensavam apenas que era esquisita (palavras de um desses moços na altura)!... esquisita, pois!

Tantos e tantos sonhos. Credo laurinha olha prós anos que já se foram e continuas a sonhar que ainda hás-de responder aos galanteios dos cotas da tua idade e dos mais novos, por vezes!...

A minha Côc (a Irene) cantava para mim, e gravava musicas no gravador dela, daqueles antigos que as cassetes rodavam aos nossos olhos, e eu levava-o para o meu quarto e ouvia com os auscultadores que o aparato tinha, ah, lindas recordações desta mãe querida a quem chamei timidamente de Inha, quando a fui conhecendo. Ela e o Béquinho acolheram-me na sua casa e foi ele que tratou de tudo para que não gastasse um centavo, nem em deslocação nem em viagens. O Exército Sul Africano levou-me até Windhoek, estive no Calai, Rundu. Bem, estive na tenda dos Generais e posso dizer que eram mais de 50 todos sentados em conferência quando a minha avioneta,onde ia acompanhada pelo Béquinho, chegou (ele escoltou-me até terras do lado de lá) apresentou-me aos Generais todos e um a um me apertaram mão! Dali fui entregue a pessoal amigo! Em Johannesburg esperava-me O Maior da Força Aéra, o Dennis Hearp, o Comandante Nass, que já conhecia, e bons amigos foram!... E a Helena, secretária do Adido da nossa Embaixada, em cuja casa fiquei e nem podia ter sido melhor. Vivia em Sunnyside, um bairro lindo em Pretória!

A Côca dias antes de embarcar, ofereceu-me o disco de vinil, com o titulo, «Dite A Laura Che L'amo», por Michele, a capa vermelha e branca, e atrás estava escrita a dedicatória mais linda que alguém me tinha feito: - Oxalá quando voltares de Pretória, já o possas ouvir, com a grande amizade da Irene e Óscar!...
Chegou o dia, o meu pai veio e com lágrimas e abraços nos despedimos, fui de avioneta até ao Rundu e Calai, depois de avião rumo a Johannesburg.

Adorei estar lá, a Helena desfazia-se para me ver feliz e fomos à consulta com o tão famoso médico! Exames e mais exames, eu nem cabia em mim de contente, e se o pensamento positivo ajudasse assim tanto, claro que voltaria para casa a ouvir! Népia, never, não, nada, nadica! Apenas me disse que tivesse mais um pouco de paciência, a medicina estava a evoluir e dentro em breve a cura seria encontrada!...

Ali no consultório, portei-me com uma calma que nem sonhava... só não sabia como iriam ser os dias seguintes!
Chorei que me fartei, chorei, disse coisas que nem devia, decerto, fiquei revoltada com os meus amigos do Alto, que não me ajudavam porque não queriam, que não era justo, eu era boa nina, não fazia mal a ninguem, e por aí fora...Bem, fiquei 8 dias, 8 longos dias de cama e a pobre da Helena sempre a dar-me apoio. Ela tinha de ir trabalhar, mas vinha a casa várias vezes por dia e tinha um apartamento lindo e fazia de tudo para me distrair. Levava-me às compras, o Béquinho e a Côca deram-me dinheirinho para fazer compras, o meu pai também, claro, e comprei coisas para as amigas, os manos os pais etc! A choradeira depressa passou e mandei tudo às urtigas, pois sempre tive aquela coisa que me empurra mais prá frente e me faz ficar ansiosa à espera do próximo episódio...

E assim guardei ciosamente o meu disco de vinil, para ouvir quando chegasse a altura. (Em Luanda, levava-o para casa da Ligia, a minha Gi,morava no meu andar e dois apartamentos antes. Ela punha-o a tocar no gira discos, e, cantava pra mim vezes sem fim, imitava o Michele a cantar,levava as mãos ao coração e fazia aquelas caras cheias de sentimento, ahhh, só ela... ehhh, pobre Gi que foi uma nina Doce, uma nina mulher ao fazer as coisas de forma a que eu puesse sentir e ouvir) Tinha-o guardado juntamente com os nossos discos numa caixa na garagem e, quando veio aquela enchente até ao tecto, tive de deitar as minhas centenas de livros fora, foram todos para o lixo. Mas está guardado dentro de mim, e a dedicatória continua escrita no meu coração!...

Quem sabe laurinha se dentro de meses, já poderás entrar na you tube e escutar as canções daqueles tempos, o Rafael a cantar, "sin Laura", do filme «Quando tu não estás», ahhh!... Vamos devagar que nunca, mas nunca mais, aconteceu ir a consultas médicas para voltar a ouvir, e jamais verti uma lágrima, aprendi a lição com aqueles 8 dias de cama a chorar revoltada!... Não valeu a pena...
(A foto é no rio Kuando e o sapato é do béquinho)